2021-10-09T15:04:08-03:00
dinheiro no caixa

Oi (OIBR3) confirma intenção de vender imóvel no Leblon

Empresa aprovou em conselho a proposta de venda do imóvel da companhia localizado no Rio de Janeiro, em mais um passo para ter dinheiro no caixa

9 de outubro de 2021
15:02 - atualizado às 15:04
Imagem: Divulgação

A Oi (OIBR3), em recuperação judicial, confirmou que aprovou em conselho, por unanimidade, a proposta de venda do imóvel da companhia localizado no Rio de Janeiro, na Rua Humberto de Campos, 425, Leblon.

O imóvel está em um terreno de aproximadamente 2.295m2 e tem área construída de 13.182m2, segundo a companhia, que destacou que a operação está sujeita à realização prévia de due diligence pelo futuro comprador e à aprovação da Anatel.

"Será dada ciência da aprovação ora concedida ao Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro e será postulada a expedição de alvará judicial para a transferência do bem", disse a Oi.

OI (OIBR3) quer dinheiro no caixa

A Oi (OIBR3) tem vendido ativos com o objetivo de reduzir seu endividamento. Entre as maiores alienações feitas pela companhia estão a da Unitel (R$ 4,2 bilhões), das torres e data centers: (R$ 1,4 bilhão) e da telefonia móvel: )R$ 15,8 bilhões).

Quando entrou em recuperação judicial, em 2016, a operadora tinha dívidas na casa dos R$ 65 bilhões. A empresa, nas palavras de Rodrigo Abreu, CEO da companhia, "fazia de tudo, para todo mundo, em todo o país", o que gerou uma espiral de problemas financeiros.

Em paralelo, também havia um problema estrutural atingindo o setor: a queda da telefonia fixa e dos serviços associados à infraestrutura de fios de cobre. As receitas foram minguando com a transição da tecnologia — a banda larga passou a usar cabos coaxiais e, agora, começa a migrar para a fibra.

"A companhia precisava de um plano pra fazer duas coisas: primeiro, para recompor a receita, substituir a receita que estava caindo muito rapidamente, relativa à telefonia física e ao cobre", disse Abreu em entrevista ao Seu Dinheiro. "E, segundo, para investir em algo que tivesse perenidade e capacidade de crescer muito rápido".

E as ações da Oi (OIBR3)?

Alvo de especulação e muita volatilidade, as ações da Oi (OIBR3) fecharam a sexta-feira (8) a R$ 0,93, longe do preço-alvo de R$ 2,65, segundo mediana de estimativas reunidas pelo TradeMap. Três entre quatro casas de análise recomendam a compra dos papéis.

VÍDEO: Vale a pena comprar ações da Oi?

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

CERCO FECHANDO?

Com big techs na mira dos órgãos reguladores, Cade britânico manda Meta, a dona do Facebook, vender a Giphy

A Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido considera que o negócio tem potencial de prejudicar usuários de redes sociais e anunciantes

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro recua com novos temores sobre a covid-19 no mundo e dólar também cai

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios na CCJ do Senado, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022