Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-23T18:42:21-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
só elogios

Novatas na bolsa, Intelbras e Track&Field fecham 4º trimestre com bom desempenho

Em meio a dificuldades provocadas pela pandemia, empresas fecham ano com expansão de receita, recebendo elogios de analistas

23 de março de 2021
12:08 - atualizado às 18:42
Loja da Track&Field
Loja da Track&Field - Imagem: Reprodução Shopping Leblon

Conseguir fechar 2020 com um desempenho positivo, diante tudo o que passamos no ano passado, não foi exatamente uma tarefa simples.

Mas tanto a Intelbras (INTB3) quanto a Track&Field (TFCO4), dois novos nomes da bolsa, apresentaram bons resultados no quarto trimestre, arrancando elogios dos analistas.

As ações da varejista de roupas esportivas começaram a ser negociadas no final de outubro, acumulando alta de 29,7% desde então, enquanto os papéis da fabricante de câmeras e equipamentos de segurança, que foram listados em fevereiro, têm queda de 0,71%.

Confira como foi o desempenho da cada uma e o que os analistas acharam:

Intelbras

O primeiro balanço divulgado pela companhia desde a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) foi bastante elogiado pelo BTG Pactual, com os analistas Carlos Sequeira e Osni Carfi afirmando que “não poderiam esperar uma estreia melhor” (aqui vale destacar que o banco foi o coordenador líder da oferta).

A empresa registrou no quarto trimestre um lucro líquido de R$ 206,7 milhões, alta de 190,2% em relação ao mesmo período de 2019, ganhando um forte impulso na linha de receita financeira líquida.

Ainda assim, a empresa apurou um crescimento de 39,7% da receita líquida, para R$ 671,2 milhões, e crescimento de volumes em todos os segmentos de atuação. A Intelbras informou que a alta poderia ter sido de 57% não fosse a nova forma de contabilização do crédito financeiro decorrente da Lei de Informática, cujo ajuste foi reconhecido no período.

A situação, de acordo com a empresa, também prejudicou a margem bruta, que recuou 10,9 pontos percentuais (p.p.), para 24,7%, com o resultado recuando 3,1%, a R$ 165,7 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) subiu 156,3%, para R$ 159 milhões.

“Achamos que a Intelbras passará por um processo de reavaliação de valor enquanto ela estabelece seu histórico (que é impecável, quando olhamos para a última década) como companhia de capital aberto. Não ficaremos surpresos se a Intelbras for negociada a um múltiplo próximo de 30 vezes o P/L [que demonstra quanto os investidores estão dispostos a pagar pelo lucro potencial]”, diz trecho do relatório do BTG, que inicialmente projeta que as ações cheguem a ser negociadas a um P/L de 18,8 vezes em 2021.

Track&Field

A varejista fechou o quarto trimestre com queda de 26,5% do lucro líquido, para R$ 21 milhões, mas quando se excluem despesas relacionadas ao plano de opção de ações e os efeitos provocados pela mudança na norma contábil que trata de aluguéis e outros itens não recorrentes, o lucro da empresa subiu 114,3%, para R$ 22,1 milhões.

Isso também vale para o Ebitda, que caiu 10,3% quando considerados estes itens, para R$ 33,3 milhões. Excluídos estes pontos, o Ebitda aumentou 88,5%, a R$ 31 milhões.

Para Thiago Macruz, Helena Villares, Gabriel Simões e Maria Clara Briza Infantozzi, analistas do Itaú BBA, o resultado da Track&Field superou as estimativas “de cima abaixo” (o banco também participou do IPO da empresa).

Eles destacaram o aumento de 32,9% das vendas no conceito “mesmas lojas”, que consideram o desempenho de unidades em funcionamento há mais de 12 meses, afirmando que é um dos melhores desempenhos entre as varejistas de roupas e acessórios no período, com a companhia se beneficiando da flexibilização das medidas de distanciamento social. E também as vendas pela internet, que avançaram 227%.

O crescimento de 34,4% da receita, para R$ 121,5 milhões, foi ajudado também pela abertura de novas lojas. E a margem de 61% também foi considerada um ponto alto do resultado do quarto trimestre, ao superar as projeções em 1,7 p.p.

“Acreditamos que o agressivo plano de expansão da Track&Field, seu interessante modelo de franquias e o potencial de forte crescimento do e-commerce (como evidenciado nos resultados do quarto trimestre) colocam a companhia numa interessante posição de continuar crescendo e entregando resultados robustos nos próximos trimestres”, diz trecho do relatório.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: impasse dos precatórios deve pressionar bolsa hoje antes dos dados do varejo nos EUA

Além disso, no radar ficam o risco fiscal antes da eleição de 2022 e os dados da economia dos Estados Unidos, com destaque para os pedidos de auxílio-desemprego

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies