Petrobras detalha plano estratégico; confira os principais pontos

Cotações por TradingView
2021-03-19T07:33:27-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
conta covid

Custo e despesas pesam e fazem lucro da Hapvida cair 55,2% no 4º trimestre

Situação, em parte provocada pela covid-19, ofuscou bom desempenho da receita beneficiada por aumento de beneficiários e ticket médio

19 de março de 2021
7:33
Ânima
Imagem: Shutterstock

A Hapvida (HAPV3) fechou o quarto trimestre de 2020 com um desempenho que pode ser considerado misto.

Por um lado, o aumento no número de beneficiários e do ticket médio dos planos resultou no aumento 27,3% da receita em relação ao mesmo período de 2019. Por outro lado, registrou um forte aumento dos custos por conta da covid-19, além de um avanço das despesas operacionais.

Olhando para a última linha do balanço, o que acabou pesando foi justamente a pressão exercida pelos custos, levando o lucro líquido da operadora de saúde verticalizada a recuar 55,2%, para R$ 94,3 milhões.

No final do ano passado, a Hapvida viu o custo total crescer 37%, para R$ 1,5 bilhão, exercendo uma pressão negativa sobre a margem bruta, que recuou 4,7 pontos percentuais (p.p.) em base anual e 6,1 p.p. na comparação com o terceiro trimestre, para 33,5%.

Segundo a companhia, a situação foi provocada, entre outros fatores, pelo maior número de faturas do SUS emitidas no trimestre, visto que a emissão de faturas foi suspensa durante o segundo e terceiro trimestres. As operadoras de saúde são cobradas quando um beneficiário é tratado em uma unidade do sistema de saúde público.

Outros fatores que pesaram nos custos foram o retorno gradual do volume de atendimentos e procedimentos eletivos e de urgência, ao mesmo tempo em que ocorreu um aumento gradual de atendimentos e internações referentes à covid-19 em algumas regiões, e o maior patamar de sinistralidade de empresas adquiridas que compõem o número consolidado de 2020, mas não que não estavam presentes em 2019.

As despesas operacionais totais também tiveram uma evolução negativa, crescendo 41,2%, para R$ 587,9 milhões. Tudo isso resultou numa queda de 34,6% no lucro operacional, para R$ 173,2 milhões.

Receita em alta

O crescimento dos custos e das despesas acabou ofuscando o bom desempenho que a Hapvida teve do lado do faturamento. A receita acabou crescendo 27,3% no quarto trimestre, para R$ 2,2 bilhões.

No período, a empresa viu um aumento orgânico de 215 mil vidas na base de beneficiários de saúde e odontologia ocorrido principalmente nas cidades de Fortaleza, Recife e Joinville, levando o número total de clientes de planos de saúde a 3,7 milhões, um aumento de 6,6%, e a quantidade de beneficiários de planos odontológicos a atingir 2,9 milhões, crescimento de 4%.

O ticket médio dos planos médicos cresceu 5,8%, por conta de reajustes de preço implementados nos contratos existentes e das vendas novas realizadas no período.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 15,2%, para R$ 432 milhões, mas a margem recuou na base anual, de 21% para 19%. Em relação ao terceiro trimestre, a margem caiu 5,1 p.p.

O fluxo de caixa livre excluindo os efeitos de aquisições foi de R$341,6 milhões, diminuição de 35,6%, impactado negativamente pela variação do capital de giro (sensibilizada negativamente pela maior saldo do contas a receber) em virtude do reconhecimento da receita de reajustes retroativos de 2020 conforme determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras (PETR4) tomba após plano estratégico e leva junto o Ibovespa; dólar cai abaixo dos R$ 5,20

1 de dezembro de 2022 - 19:31

Estamos oficialmente no último mês do ano. O clima natalino se confunde com a energia caótica da Copa do Mundo, mas o mercado financeiro sabe bem o que quer ver sob a árvore de Natal antes do Ano Novo chegar — mas boa parte desses presentes depende da disposição do presidente eleito em distribuir.  Até […]

INVESTINDO MAIS

Suzano (SUZB3) vai investir R$ 18,5 bilhões em 2023

1 de dezembro de 2022 - 19:30

O valor projetado pela Suzano (SUZB3) está acima dos R$ 16,1 bilhões investidos neste ano, especialmente pelos gastos com o Projeto Cerrado

OLHOS NO FUTURO

Sem dar grande atenção ao novo governo e possíveis interferências, Petrobras (PETR4) detalha seu plano estratégico falando em continuidade

1 de dezembro de 2022 - 18:36

Temas que mais preocupam o mercado após a divulgação dos próximos passos da Petrobras (PETR4) são distribuição de dividendos e política de investimentos

Previdência Social

STF aprova revisão da vida toda, que pode aumentar valor da aposentadoria pelo INSS; veja quem pode se beneficiar

1 de dezembro de 2022 - 18:28

Medida leva em conta contribuições feitas antes de julho de 1994, caso estas beneficiem o aposentado; em fevereiro, plenário virtual do STF já tinha formado maioria a favor

MAIS QUE AMIGOS, FRIENDS

Putin e Xi mais juntos do que nunca: China já é quase metade do mercado de câmbio da Rússia

1 de dezembro de 2022 - 17:48

A participação da moeda chinesa no mercado de câmbio russo agora é de 40% a 45%, ante menos de 1% no início do ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies