🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
SELIC NÃO ASSUSTA

Alta nos juros não deve desacelerar o crédito imobiliário, diz presidente da Caixa; confira os destaques do banco no 3º trimestre

Segundo Pedro Guimarães, mesmo nas concessões que utilizam os recursos da poupança e são diretamente afetadas pela Selic, não há uma desaceleração até o momento

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
18 de novembro de 2021
18:01
Caixa Bolsonaro
Mais cedo, a Caixa anunciou um lucro líquido de R$ 3,207 bilhões no terceiro trimestre. Imagem: Shutterstock

A disparada da taxa Selic é uma ameaça para o financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal? Segundo o presidente da instituição, Pedro Guimarães, o banco não espera que a alta dos juros desacelere as concessões da modalidade de crédito mais importante na carteira do banco.

Guimarães explicou, durante live nesta quinta-feira (18) para comentar os resultados trimestrais da Caixa, que cerca de 40% das concessões são feitas através de recursos do FGTS, o que torna a carteira mais imune à alta dos juros. "É importante separar o que é FGTS e o que é poupança (SBPE). Em torno de 40% das concessões não têm impacto da Selic, pois vêm do FGTS"

Segundo ele, mesmo nas concessões que utilizam os recursos da poupança, não há uma desaceleração até o momento. "O que nós estamos vendo e uma manutenção da demanda, há algum ajuste, porque é TR mais uma taxa", comentou.

Guimarães, no entanto, afirmou que a demanda por crédito segue forte não apenas no ramo imobiliário, mas também em outros segmentos, como o crédito direcionado a micro e pequenas empresas, e o crédito agrícola, uma das bandeiras de sua gestão à frente da Caixa.

Destaques do balanço

Mais cedo, a Caixa anunciou um lucro líquido de R$ 3,207 bilhões no terceiro trimestre, crescimento de 69,7% em relação ao mesmo período de 2020, mas queda de 48,8% ante o segundo trimestre deste ano.

Vale destacar que o resultado dos meses de abril a julho foi influenciado pela abertura de capital (IPO) do braço de seguros do banco público, que rendeu ganho de R$ 3,3 bilhões.

No acumulado de 2021 até agora, o resultado somou R$ 14,1 bilhões, aumento de 87,4%. Segundo Guimarães, apesar de contabilizar apenas nove meses, o número é o “segundo maior lucro da história da Caixa, atrás apenas de 2019”.

A carteira de crédito ampliada do banco público encerrou o terceiro trimestre em R$ 842,3 bilhões, crescimento de 11,3% em um ano. No demonstrativo de resultados, o banco destaca que entre julho e setembro concedeu R$ 118,1 bilhões em crédito para a população, crescimento de 8,5% em relação ao segundo trimestre.

Entre os destaques da carteira de empréstimos está o aumento de 79,4% no crédito para o agronegócio em 12 meses, além da alta de 28,5% em crédito para pessoa jurídica, principalmente, para micro e pequenas empresas, e expansão de 8,7% em habitação.

No terceiro trimestre, a Caixa registrou crescimento de 429,1% nos empréstimos para o setor de saneamento e infraestrutura e de 201,0% em crédito comercial para empresas, principalmente para as menores, destaca o banco em seu balanço.

Na inadimplência, a taxa para atrasos acima de 90 dias fechou o terceiro trimestre em 2,16%, abaixo dos 2,46% do segundo trimestre, mas acima do nível de um ano atrás, em 1,87%. As despesas com provisão para devedores duvidoso somaram R$ 2,975 bilhões no trimestre, alta de 15% ante o encerramento de julho.

A Caixa encerrou setembro com R$ 2,675 trilhão em ativos administrados, expansão de 5% em um ano, incluindo aqui os recursos do FGTS. Descontando estes números, os ativos somaram R$ 1,488 trilhão.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar