Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-02-10T10:38:43-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Queda no comércio

Vendas no varejo registram queda mais intensa para um mês de dezembro de toda história

No acumulado de 2020, porém, vendas no varejo subiram 1,2%, quarto ano consecutivo de expansão, segundo IBGE

10 de fevereiro de 2021
10:01 - atualizado às 10:38
terminal de venda em loja de roupas
Imagem: Shutterstock

As vendas no varejo caíram 6,1% em dezembro com relação a novembro de 2020. É a maior queda para o mês desde o início da série histórica, em 2000, segundo informou o IBGE nesta quarta-feira (10).

A mediana das estimativas dos economistas, coletadas pelo Projeções Broadcast, indicavam um recuo de 3,20% das vendas.

No acumulado do ano, porém, o varejo fechou com uma alta de 1,2% das vendas, quarto ano seguido de avanço.

Consumo nos mercados e auxílio emergencial

O ano do varejo foi marcado por turbulência. Em março e abril, o consumo teve uma forte queda, enquanto em outubro e novembro, a retomada foi mais forte.

O auxílio emergencial, por exemplo, foi um dos fatores que manteve o consumo das famílias mais estável durante o ano de 2020. O gerente da PMC, Cristiano Santos, explica como a pandemia afetou o consumo das famílias.

“Os resultados da pesquisa costumam ter variações menores, mas com a pandemia, houve uma mudança deste cenário, já que tivemos dois meses (março e abril) de quedas muito grandes”, afirma.

Além disso, a inflação e o consumo de alimentos são fatores que influenciam diretamente no varejo. O comércio nos mercados e hipermercados corresponde a quase metade do resultado total do índice. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) mostrou que o grupo Alimentação e Bebidas avançou 1,53% em janeiro.

Setor a setor

Todas as dez atividades do comércio varejista ampliado fecharam dezembro com queda em relação a novembro.

Artigos de uso pessoal e doméstico caíram 13,8%, enquanto tecidos, vestuário e calçados recuou 13,3%.

Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-6,8%), móveis e eletrodomésticos (-3,7%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-2,7%), além de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-1,6%), combustíveis e lubrificantes (-1,5%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%) completam o comércio varejista restrito.

No varejo ampliado, a queda em veículos, motos, partes e peças foi de 2,8% enquanto em material de construção, o recuo foi de 1,8%.

Base anual

O cenário é diferente no acumulado anual de 2020. Cinco setores tiveram alta: material de Construção (10,8%), móveis e eletrodomésticos (10,6%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (8,3%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (4,8%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,5%).

Por outro lado, livros, jornais, revistas e papelaria (-30,6%), tecidos, vestuário e calçados (-22,7%), automóveis, Motos, Partes e Peças (-13,7%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-16,2%) e combustíveis e lubrificantes (-9,7%) fecharam o ano em queda.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

RIQUEZA DIGITAL

Dancinha milionária: estrelas do TikTok já ganham mais do que grandes executivos nos Estados Unidos; veja quanto elas faturam

Os milhões de seguidores de alguns tiktokers são irresistíveis para as marcas, que acabam gastando muito dinheiro não só em anúncios como em suas linhas de produtos

DA REALIDADE PARA O NOVO DIGITAL

Walmart no metaverso: gigante do varejo dos EUA vai fabricar e vender no mundo virtual; entenda

Para ter um pé nesse universo, Nike e marcas de vestuário como Urban Outfitters, Ralph Lauren e Abercrombie & Fitch também entram com pedidos de marca registrada

PEGA LADRÃO!

Fechada na economia e aberta ao cibercrime: Coreia do Norte desvia milhões de dólares com ataques a plataformas de criptomoedas em 2021

Norte-coreano Lazarus ganhou notoriedade com invasões cibernéticas à Sony Pictures e à WannaCry. Grupo já foi sancionado pelos Estados Unidos e pela ONU

EFEITOS DO CLIMA

Usiminas (USIM5) retoma gradualmente atividades de mineração afetadas por chuvas em Minas Gerais

Segundo o grupo, os problemas ainda afetam empresas responsáveis pela cadeia de escoamento de minério

Conteúdo Empiricus

Dos R$2 mil aos R$100 mil em 12 meses com esta criptomoeda? Criptoativo criado por sócio de Steve Jobs faz parte do segmento que pode decolar e deixar o Bitcoin no chinelo após evento do dia 24 de janeiro

Ele fundou a Apple junto de Steve Jobs e agora criou uma nova criptomoeda que custa centavos e pertence ao ecossistema que pode saltar 5.000% em 2022 e enriquecer os seus investidores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies