Menu
2021-01-26T11:08:50-03:00
Estadão Conteúdo
inflação continua alta

IPCA-15 sobe 0,78% em janeiro ante alta de 1,06% em dezembro, diz IBGE

Foi a maior alta do IPCA-15 para meses de janeiro desde 2016, quando o índice avançou 0,92%, segundo IBGE

26 de janeiro de 2021
10:18 - atualizado às 11:08
coronavírus mercado inflação
Imagem: Shutterstock

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) registrou alta de 0,78% em janeiro de 2021, após ter avançado 1,06% em dezembro de 2020, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi a maior alta do IPCA-15 para meses de janeiro desde 2016, quando o índice avançou 0,92%.

O resultado ficou abaixo da mediana de 0,81% das estimativas na pesquisa feita pelo Projeções Broadcast, cujo intervalo ia de 0,63% a 1,08%.

Com o resultado anunciado nesta terça, o IPCA-15 acumulou um aumento de 4,30% em 12 meses, após fechar 2020 com alta de 4,23%.

As projeções para o acumulado em 12 meses iam de 4,14% a 4,62%, com mediana de 4,33%.

Alimentação e Bebidas e Habitação

Apenas os grupos Alimentação e Bebidas e Habitação responderam por 69% da alta do IPCA-15 em janeiro, segundo o IBGE.

O grupo Alimentação e Bebidas avançou 1,53%, com impacto de alta de 0,32 ponto porcentual (0,32 p.p.), mas passou por uma mudança de composição, com aceleração nos preços dos alimentos consumidos em casa e desaceleração nos custos da alimentação fora.

O subgrupo "alimentação no domicílio" desacelerou para uma alta de 1,73% em janeiro, ante alta de 2,57% no IPCA-15 de dezembro de 2020. O destaque foi o recuo médio de 4,14% nos preços do tomate.

Além disso, "as carnes (1,18%), o arroz (2,00%) e a batata-inglesa (12,34%) apresentaram altas menos intensas na comparação com o mês anterior (quando variaram 5,53%, 4,96% e 17,96%, respectivamente)", diz a nota divulgada há pouco pelo IBGE. As frutas subiram 5,68%, ante alta de 3,62% em dezembro, e contribuíram com o maior impacto (0,06 p.p.) entre os itens pesquisados no subgrupo.

O subgrupo "alimentação fora de casa" acelerou para 1,02% no IPCA-15 de janeiro, ante uma alta de 0,58% em dezembro. "Enquanto a refeição (0,81%) apresentou variação próxima à do mês anterior (0,86%), o lanche passou de um recuo de 0,11% para alta de 1,45%, contribuindo decisivamente para o resultado observado em janeiro", diz a nota do IBGE.

Já o grupo Habitação subiu 1,44% no IPCA-15 de janeiro, com impacto positivo de 0,22 p.p. A alta foi muito próxima do 1,50% registrado no IPCA-15 de dezembro.

A energia elétrica, com alta de 3,14%, foi o item de maior impacto individual (0,14 p.p.) no IPCA-15 de janeiro, embora a variação tenha sido menor que a do mês anterior (4,08%). "Após a vigência da bandeira vermelha patamar 2 em dezembro, passou a vigorar em janeiro a bandeira tarifária amarela, em que há acréscimo de R$ 1,34 na conta de luz a cada 100 quilowatts-hora consumidos", ressalta a nota do IBGE.

O segundo maior impacto no grupo Habitação, com 0,03 p.p., veio do gás de botijão, com alta de 2,42%. O preço médio do gás de botijão registrou alta pelo oitavo mês seguido.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies