Menu
2021-04-11T13:34:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

11 de abril de 2021
13:34
China-Brasil
Imagem: shutterstock

O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse no sábado, 10, que a China quer trabalhar com o Brasil para promover uma parceria estratégica abrangente a fim de continuar fazendo progresso. Wang fez o comentário em uma conversa por telefone com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França. As informações, divulgadas neste domingo, são da Agência Brasil.

As falas ocorrem após um período de estremecimento das relações entre os dois países, que se iniciou em 2019, e mais recentemente envolveu declarações de políticos e autoridades. Um exemplo é a fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que disse em 2020 que a China era a culpada pela pandemia de Covid-19. No mês seguinte, o então ministro da Educação, Abraham Weintraub, insinuou que o país asiático teria ganhos com a disseminação do Sars-Cov-2. A declaração foi considerada hostil pelo embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, que à época exigiu um pedido de desculpas do governo brasileiro.

Ao parabenizar França por sua nomeação como ministro, Wang disse que, como grandes países em desenvolvimento, representantes das economias emergentes e parceiros no Brics, a China e o Brasil são forças importantes para impulsionar a multipolarização do mundo e compartilhar interesses.

Segundo Wang, os dois lados devem promover o crescimento estável do comércio bilateral e expandir ativamente a cooperação em 5G, economia digital, inteligência artificial e outras áreas. A cooperação China-América Latina, afirmou o chanceler asiático, foca no desenvolvimento comum e na cooperação pragmática.

França, por sua vez, destacou que as relações Brasil-China são de grande significado estratégico, e que os dois países têm feito cooperação saudável em várias áreas. De acordo com a Agência Brasil, o chanceler brasileiro acredita que a conversa telefônica injetará ímpeto na cooperação bilateral.

"O Brasil espera desenvolver ainda mais as relações harmoniosas com a China e realizar a cooperação a longo prazo", afirmou França. Ao agradecer à China a ajuda ao Brasil desde o surto da pandemia, ele lembrou que o país asiático é um produtor importante de matérias-primas farmacêuticas no mundo. O Brasil depende de matéria-prima chinesa para produzir vacinas contra a Covid-19.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

juros no brasil

BC prevê ‘alta robusta’ da economia no segundo semestre e indica alta da Selic

O Banco Central avalia que o segundo semestre deste ano deve mostrar uma retomada robusta da atividade econômica, segundo ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta terça-feira (11). Para a autoridade monetária, a economia deve se recuperar na medida em que os efeitos da vacinação sejam sentidos “de forma mais abrangente”. […]

cardápio de balanços

Itaúsa e BTG: os balanços que mexem com o mercado nesta terça

Resultados são do primeiro trimestre de 2021, período ainda marcado pela incerteza por conta da pandemia de covid-19; veja os destaques

AGORA A SEMANA COMEÇA

Ata do Copom, IPCA e expectativa com balanços devem ditar o rumo do pregão

Aversão ao risco no exterior e cena política agitada recomendam cautela

Coronavírus no Brasil

Brasil tem 423,2 mil mortes e 15,2 milhões de casos de covid-19

Ainda há 3.744 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito

na b3

Leilão de aeroportos regionais de SP terá como destaque bloco de Ribeirão Preto

Segundo o governo, dos 22 aeroportos, seis já contam com serviços de aviação comercial regular e 13 têm potencial de desenvolvimento de novas rotas regulares durante a concessão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies