2021-10-18T08:02:39-03:00
Ricardo Gozzi
TEMPESTADE PERFEITA

Sob impacto de variante delta, enchentes e crises energética e imobiliária, PIB da China cresce menos que o esperado no 3º trimestre

Economia chinesa expandiu-se 4,9% na comparação com o mesmo período do ano passado, mas frustrou as expectativas e pesou sobre as bolsas asiáticas hoje

18 de outubro de 2021
7:30 - atualizado às 8:02
bandeira da China
O setor imobiliário chinês deve seguir pressionando as bolsas, apesar da recuperação do subíndice de Hong Kong - Imagem: Divulgação

Uma “tempestade perfeita” parece ter atingido a China no terceiro trimestre de 2021. Depois de largar na frente na recuperação pós-pandemia, a China colocou o pé no freio e agora está às voltas com um problema que muitos países gostariam de ter: uma taxa de crescimento da economia rondando a casa dos 5% mantém as autoridades locais atentas ao desafios de uma recuperação econômica desigual, mas otimistas quanto às metas estabelecidas pelo governo para o ano.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu menos do que o esperado no terceiro trimestre de 2021, impactado principalmente por um surto de casos de variante delta do novo coronavírus, por enchentes, pela ação do governo para conter a dívida no setor imobiliário e pelos cortes de energia ordenados pelas autoridades locais para fazer frente às mudanças climáticas.

A agência oficial de estatísticas da China informou que o PIB nacional avançou 4,9% na comparação com o terceiro trimestre de 2020, abaixo das expectativas dos analistas, que oscilavam entre 5,1% e 5,2%. Trata-se do ritmo mais lento de expansão econômica chinesa em um ano. No terceiro trimestre do ano passado, o PIB chinês também cresceu 4,9%.

Mais indicadores

A desaceleração do crescimento chinês veio acompanhada de um crescimento menor que o esperado da produção industrial em setembro. O indicador avançou 3,1% no mês passado, bem abaixo dos 4,5% previstos pela Reuters.

Entre outros indicadores importantes divulgados hoje, as vendas no varejo chinês superaram as expectativas, aumentando 4,4% em setembro em relação ao ano anterior. Sondagem da Reuters previa um crescimento de 3,3%. Já a taxa de desemprego urbano em setembro ficou em 4,9%.

Dados pressionaram bolsas asiáticas

Com isso, os principais índices de ações da Ásia fecharam sem direção única hoje, divididos entre o crescimento abaixo do esperado da economia chinesa e o pregão positivo de sexta-feira em Nova York.

“Os desafios de manter a economia em bom funcionamento aumentaram”, disse Fu Linghui, porta-voz da agência chinesa de estatísticas durante entrevista coletiva. Segundo ele, a recuperação econômica "ainda é instável e desigual".

Apesar disso, a China segue "qualificada" para cumprir a meta de crescimento anual definida por Pequim para 2021, de mais de 6%, acrescentou Fu.

Crise energética e impacto da Evergrande

Muitas fábricas tiveram que interromper a produção ou reduzir turnos a partir do fim de setembro, pois o aumento no preço do carvão e a escassez de eletricidade levaram as autoridades locais a promoverem cortes pontuais no fornecimento de energia elétrica.

A crise da dívida do conglomerado Evergrande também gerou preocupações sobre os riscos de contágio para o setor imobiliário e a economia em geral.

Ainda assim, as autoridades locais têm procurado amenizar os temores sobre os problemas que afetam a economia.

Segundo Fu, houve uma diminuição na contribuição do setor imobiliário para a economia no terceiro trimestre. O impacto, entretanto, teria sido limitado.

Efeitos "controláveis"

Na sexta-feira passada, o Banco Central da China assegurou que os riscos representados pela Evergrande para o sistema financeiro são "controláveis".

Hoje, na mesma linha, Fu, o porta-voz, disse que a falta de energia teve um “certo impacto” na produção, mas o impacto econômico “é controlável”.

Segundo ele, a crise será "aliviada" à medida que o governo colocar em prática medidas para controlar o problema. No início do mês, por exemplo, a China encomendou minas de carvão para aumentar a produção.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

RAIO-X DO ORÇAMENTO

Fundo eleitoral, emendas do relator e reajuste dos servidores: 3 pontos do Orçamento para 2022 que mexem com a bolsa esta semana

Entre emendas parlamentares superavitárias e reajuste dos policiais federais, o Orçamento deve ser publicado no Diário Oficial na segunda-feira (24)

PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Tesouro pode perder até R$ 240 bilhões com PEC dos Combustíveis e inflação pode ir para 1% — mas gasolina ficará só R$ 0,20 mais barata; confira análise

Se todos os estados aderirem à desoneração, a perda seria de cifras bilionárias aos cofres públicos, de acordo com a XP Investimentos

Seu Dinheiro no Sábado

E a bolsa ainda pulsa: os grandões do Ibovespa brilham e puxam o índice — mas e as demais empresas?

Além do ciclo aquecido das commodities e da entrada de recursos estrangeiros, também vale lembrar o desconto nos ativos domésticos

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) aprofunda queda da semana e é negociado aos US$ 35 mil hoje pela primeira vez em seis meses; criptomoeda já caiu 17% em sete dias

Especialista dá dicas de como sobreviver ao momento de “sangria” do mercado de criptomoedas — e o que não fazer no desespero

Dê o play!

A bolsa ainda pulsa, mas será um último suspiro? O podcast Touros e Ursos discute o cenário para o Ibovespa

No programa desta semana, a equipe do Seu Dinheiro discute o cenário para o Ibovespa e os motivos que fazem a bolsa brasileira subir