Menu
2021-01-02T16:55:14-03:00
Estadão Conteúdo
disputa continua

China afirma que agirá contra deslistagem de empresas chinesas da NYSE

Casa Branca proibiu investimentos em empresas que, segundo ela, sejam controladas pelas Forças Armadas chinesas

2 de janeiro de 2021
19:24 - atualizado às 16:55
Guerra comercial EUA China
Imagem: Shutterstock

O Ministério do Comércio da China afirmou que tomará as "medidas necessárias" para assegurar os direitos e interesses das empresas chinesas após três companhias do País serem removidas da Bolsa de Nova York como consequência de uma ordem executiva do presidente americano, Donald Trump.

O órgão informou que espera trabalhar com os Estados Unidos para criar um ambiente de negócios "justo, estável e previsível".

Na quinta-feira (31), a New York Stock Exchange (Nyse) informou que a China Telecom Corp. Limited, a China Mobile Limited e a China Unicom Hong Kong Limited serão removidas dos pregões já em 7 de janeiro ou até o próximo dia 11. Segundo a bolsa, as companhias poderiam apelar a um comitê do conselho da Nyse.



A retirada é consequência de uma ordem emitida pela Casa Branca em 12 de novembro que proibiu investimentos em empresas de capital aberto que, segundo o governo americano, seriam controladas pelas Forças Armadas da China. De acordo com o Ministério do Comércio chinês, a medida é abusiva.

"Este abuso da segurança nacional e o uso do poder nacional para suprimir empresas chinesas não está em conformidade com as regras e a lógica de mercado", afirmou um porta-voz da pasta. "Isso não apenas fere os legítimos direitos e interesses das empresas chinesas, mas também fere os interesses de investidores de todos os países, inclusive dos Estados Unidos."

O porta-voz afirmou ainda que a medida reduz a confiança de investidores "de todo o mundo" no mercado de capitais americano. Ao mesmo tempo, o representante disse esperar que os dois países encontrem um meio-termo e trabalhem juntos para melhorar o ambiente para empresas e investidores, "trazendo as relações econômicas e comerciais de volta aos trilhos o quanto antes."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Sem dieta

McDonald’s tem planos de abrir 50 novos restaurantes na América Latina, 80% deles no Brasil

Rede pretende investir até US$ 130 milhões (R$ 690 milhões) na região e também quer reforçar o drive-thru, delivery e o aplicativo

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies