Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-14T07:52:06-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: Ata do Copom domina cenário doméstico mas bolsa deve seguir cautela internacional com covid-19 e Federal Reserve

O IBGE também divulga o volume de serviços em outubro e os desdobramentos da PEC dos precatórios também ficam no radar

14 de dezembro de 2021
7:48 - atualizado às 7:52
Fed Copom
Jerome Powell (à esquerda) e Roberto Campos Neto são destaque do dia. - Imagem: Federal Reserve e Banco Central do Brasil

O esperado rali de final de ano da bolsa brasileira não contava com a chegada de uma nova variante da covid-19 para frustrar os planos de alta do Ibovespa. Os principais índices do mundo amanheceram em busca de ganhos, mas o avanço da cepa ômicron injetou ainda mais cautela nos mercados na manhã desta terça-feira (14).

Os investidores internacionais aguardam a divulgação da política monetária do Federal Reserve, o que aumenta a aversão ao risco até a quarta-feira (15), em uma semana recheada de Bancos Centrais.

No panorama doméstico, a ata do Copom deve corrigir o tom mais agressivo do BC brasileiro contra a inflação. Na última leitura, o IPCA veio abaixo do esperado, apesar de já acumular alta de mais de 10% no ano. A expectativa é de que o Copom reveja a contratação de uma nova alta nos juros ainda no início de 2022.

No pregão de ontem (13), o Ibovespa chegou a subir, mas inverteu o sinal e — ao melhor estilo Lewis Hamilton — fechou em queda de 0,35%, aos 107.383 pontos.

Confira o que mais deve movimentar a bolsa hoje:

Copom, parte 2

Depois de subir os juros básicos da economia para 9,25% ao ano, na última reunião do Comitê de Política Monetária, o Banco Central voltou à cena com a ata do Copom. 

O tom mais duro da autoridade monetária contra a inflação elevou os temores do mercado, que já espera uma nova alta na Selic logo nas primeiras reuniões do Comitê em 2022. Apesar de controlar a alta de preços, os juros mais altos encarecem o crédito e limitam a retomada da economia. 

A divulgação da ata deve trazer um tom mais ameno para acalmar o mercado como um todo, apesar das preocupações do Copom com a inflação em mais de 10%. Além do IPCA disparado, os investidores também esperam que a ata traga mais detalhes sobre a atividade mais fraca. 

Mais destaques locais

O IBGE divulga hoje o volume de serviços em outubro, que deve registrar queda de 0,1% em outubro na mediana das projeções de especialistas ouvidos pelo Broadcast. Na comparação anual, a mediana aponta para uma alta de 9,4%. 

Ainda hoje, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de dois eventos em que deve comentar a ata do Copom.

Precatórios, parte X

Está marcada para hoje a votação na Câmara das mudanças feitas pelos senadores no texto da PEC dos precatórios. O texto foi fatiado pelos deputados, o que garante que os recursos para o Auxílio Brasil, antigo Bolsa Família, sejam votados com maior agilidade.

Ômicron assusta…

Os temores envolvendo a variante ômicron da covid-19 se intensificaram após a primeira morte pela nova cepa confirmada no Reino Unido. Somado a isso, a chegada da mutação do coronavírus à China também afetou os negócios por lá. 

A variante ômicron aparenta ser mais transmissível do que a delta, mas menos letal, de acordo com dados de estudos preliminares. Por outro lado, ainda não se sabe exatamente a extensão da eficácia das vacinas disponíveis contra a nova cepa. 

… Antes do Federal Reserve

A cautela dos mercados hoje também é intensificada com a proximidade da decisão de política monetária do Fomc, o Copom americano. De acordo com o portal Yahoo Finance, analistas já afirmam que o Federal Reserve pode estar “atrás da curva” da inflação, o que exige uma reação mais intensa do BC americano. 

E “reação mais intensa” significa essencialmente uma retirada de estímulos mais intensa e antes do esperado, juntamente com uma alta da taxa de juros ainda no primeiro semestre de 2022.

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, dispensou o discurso de inflação transitória nos EUA e já considera tomar medidas mais duras para conter a alta de preços.

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos fecharam o pregão desta terça-feira em queda, após a confirmação de casos da ômicron na China continental. O cerco do gigante asiático contra o setor de tecnologia também pressiona os negócios na região. 

Já na Europa, os investidores perderam parte do apetite de risco e as bolsas recuam com temores envolvendo a variante ômicron. 

Em Nova York, os futuros das bolsas chegou a subir com mais ânimo, mas perderam fôlego e passaram a cair com a cautela envolvendo o avanço da nova cepa do coronavírus no mundo. 

Agenda do dia

  • Banco Central: Divulgação da ata do Copom (8h)
  • Banco Central: Presidente do BC, Roberto Campos Neto, participa de de summit de tecnologia, promovido em parceira com governo da Índia (8h30)
  • IBGE: Pesquisa mensal de serviços em outubro (9h)
  • Banco Central: Presidente do BC, Roberto Campos Neto, palestra sobre o 'Panorama Recente da Atuação do BC na Condução da Política Monetária', em evento do TCU (10h30)
  • Estados Unidos: Departamento de trabalho divulga o índice de preços ao produtor (PPI, em inglês) em novembro (10h30)
  • Estados Unidos: Secretária do Tesouro, Janet Yellen, e vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, participam do Fórum Freedman Bank (13h)
  • China: Produção industrial, investimentos em ativos fixos e investimento estrangeiro direto em novembro (23h)
  • Câmara deve votar hoje mudanças feitas pelos senadores na PEC dos Precatórios 
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies