Menu
2020-05-29T11:31:55-03:00
Estadão Conteúdo
Três Pibs Tristes

Queda de 1,5% do PIB do 1º tri ante 4º tri é a maior desde o 2º tri de 2015

Com a parada súbita da economia por causa da pandemia de covid-19, vários componentes do PIB apresentaram seus piores desempenhos desde a última recessão.

29 de maio de 2020
11:30 - atualizado às 11:31
pib crescimento
Imagem: Shutterstock

A queda de 1,5% no Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre de 2019 foi a maior desde o segundo trimestre de 2015, quando, em meio à recessão de 2014 a 2016, houve recuo de 2,1% em relação ao primeiro trimestre daquele ano, conforme os dados divulgados nesta sexta-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com a parada súbita da economia por causa da pandemia de covid-19, vários componentes do PIB apresentaram seus piores desempenhos desde a última recessão, mas alguns se destacaram ainda mais negativamente na comparação com os trimestres imediatamente anteriores.

Pela ótica da demanda, o tombo de 2,0% no consumo das famílias foi o maior desde o terceiro trimestre de 2001, quando houve queda de 3,1% em meio ao racionamento de energia elétrica.

Pela ótica da oferta, a queda de 1,6% no PIB de serviços foi o pior desempenho desde o recuo de 2,3% no quarto trimestre de 2008 ante o terceiro trimestre daquele ano, em meio à crise financeira internacional deflagrada pela falência do banco americano Lehman Brothers.

Já o PIB de "outras atividades de serviços" registrou tombo de 4,6% no primeiro trimestre deste ano ante o último de 2019, o pior desempenho da série histórica do IBGE, iniciada em 1996. Já a queda de 2,4% no PIB de serviços de transportes foi a maior desde o terceiro trimestre de 2016 (-2,8% ante o segundo trimestre daquele ano).

Ainda na ótica da oferta, o PIB da indústria caiu 1,8% ante o quarto trimestre de 2019, pior desempenho desde a queda de 1,8% no quarto trimestre de 2016 ante o terceiro trimestre daquele ano.

Na comparação de um trimestre com o mesmo trimestre do ano anterior, a queda de 0,3% no PIB agregado do primeiro trimestre foi a maior desde o quarto trimestre de 2016, quando houve queda de 2,2% ante o último trimestre de 2015. Pela ótica da demanda, a queda de 0,7% do consumo das famílias no primeiro trimestre ante igual período de 2019 é a maior desde o quarto trimestre de 2016, quando houve recuo de 2,4% ante igual período de 2015.

Revisões

O IBGE revisou o PIB do quarto trimestre de 2019 ante o terceiro trimestre de 2019, que passou de 0,5% para 0,4%.

O órgão também revisou a taxa do PIB do terceiro trimestre de 2019 ante o segundo trimestre de 2019, de 0,6% para 0,5%.

O instituto revisou ainda o PIB do primeiro trimestre de 2019 frente ao quarto trimestre de 2018, passando de 0,0% para 0,2%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Briga de peixe grande

BTG Pactual capta mais R$ 2,6 bilhões com oferta de ações para entrar na disputa dos bancos digitais

O preço por unit (certificado de ações) do banco foi definido em R$ 92,52, o que representa um pequeno desconto de 0,32% em relação ao fechamento dos papéis ontem na B3

Prazo de 60 dias

TCU cobra crédito dado a bancos públicos

A devolução envolve também os aportes feitos nas instituições por meio de um instrumento híbrido de capital e dívida, chamado de IHCD.

Agora vai?

Reforma tributária deve sair este ano, diz Bolsonaro

A reforma tributária é uma das apostas do governo para a retomada da economia após a pandemia da covid-19.

Pré-mercado

Bolsas lá fora caem, mas mercado local pode se descolar com vacina

As bolsas europeias e Wall Street reagem mal ao avanço da covid-19 e a dados mais fracos da indústria, mas mercado brasileiro pode se descolar com notícias positivas sobre vacina

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Mortes somam 214,1 mil e casos, 8,69 milhões

Nas últimas 24 horas, foram registradas 1.316 mortes, segundo dia seguido em que óbitos ficaram acima de 1,3 mil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies