🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-06-08T16:37:24-03:00
Isabelli Neckel
EXPECTATIVAS LADEIRA ABAIXO

Na “Copa do PIB” de 2022, Brasil deve ficar atrás de Colômbia, Argentina e México em crescimento

OCDE baixou a projeção de crescimento do PIB brasileiro de 1,4% para 0,6%, abaixo da média mundial, conforme relatório publicado nesta quarta-feira (08)

8 de junho de 2022
16:32 - atualizado às 16:37
PIB

Na “Copa do Mundo” do crescimento econômico, o Brasil deve ficar atrás dos colegas latino-americanos México, Argentina e Colômbia e bem abaixo da média global. A estimativa é da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Depois da forte recuperação vista em 2021, o PIB brasileiro deve desacelerar significativamente neste ano.

A OCDE baixou a projeção de crescimento do PIB brasileiro de 1,4% para 0,6% em 2022, conforme relatório publicado nesta quarta-feira (08). E para 2023, a previsão caiu de 2,1% para 1,2%.

Mas quais são os motivos dessa revisão para baixo feita pela OCDE? Segundo a organização, "o aumento da inflação, a guerra na Ucrânia e as condições financeiras mais apertadas corroeram o sentimento econômico e o poder de compra, o que deve afetar fortemente a demanda doméstica”.

Além disso, a recuperação do mercado de trabalho brasileiro tem sido lenta, com taxa de participação e de renda real abaixo dos níveis pré-pandemia.

As eleições no fim do ano também adicionam incertezas ao cenário e ajudam a manter o investimento moderado até 2023, observa a OCDE.

PIB menor, juro maior

Se as pressões inflacionárias persistirem, o Banco Central deve continuar elevando a taxa básica de juros. A OCDE projeta que a taxa Selic suba dos atuais 12,75% para 13,25% ao ano a partir da próxima reunião a respeito da política monetária.

Para a organização, “a taxa Selic deve permanecer em 13,25% até o início de 2023 e então diminuir lentamente ao longo do ano, à medida que os efeitos defasados dos aumentos recentes são finalmente sentidos".

As recomendações da OCDE para o Brasil

Com o aumento nos preços dos alimentos e da energia, a instituição defende programas sociais para proteger a população mais vulnerável.

Além disso, o relatório afirma que são necessários esforços adicionais para melhorar o direcionamento e a eficácia dos gastos públicos, "para permanecer consistente com uma gestão fiscal sólida". A OCDE também incentiva que o Brasil continue com suas reformas "ambiciosas" para garantir sustentabilidade fiscal e evitar que as taxas de pobreza subam.

A organização recomenda ainda maior exploração das fontes de energia eólica e solar para complementar a hidrelétrica.

E o resto do mundo? OCDE também baixa projeção para o PIB global

A OCDE cortou a projeção de crescimento da economia mundial em 2022. Se em dezembro do ano passado esperava-se um crescimento de 4,5%, agora espera-se de 3%. Já para 2023, a previsão é que o PIB global cresça 2,8%.

Para o G20, grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo, a OCDE prevê crescimento de 2,9% neste ano e de 2,8% no ano que vem.

Na América Latina, em 2022, o México deve avançar 1,9%, a Argentina 3,6% e a Colômbia 6,1%.

Projeções para o PIB dos Estados Unidos

Para os EUA, espera-se alta de 2,5% do PIB neste ano e 1,1% no próximo.

De acordo com a OCDE, o fim de medidas de auxílio à população ligadas à pandemia significará que a política fiscal terá influência na contração econômica, ainda que gastos fiscais acumulados compensem parcialmente esse efeito.

A organização defende que as autoridades americanas estejam prontas para fornecer apoio temporário a grupos vulneráveis, caso aconteça uma forte desaceleração econômica inesperada.

Projeções para o PIB da China

Para a China, a previsão de crescimento é de 4,4% em 2022 e 4,9% em 2023.

Na China, a política “Covid zero” segue pesando. Além de influenciar a redução do crescimento, a política impacta toda a economia global, inclusive o Brasil, que possui fortes relações comerciais com a potência asiática.

O relatório da OCDE cita que, em meio a "ventos contrários crescentes", o crescimento da China será apoiado pelo investimento na transição energética e pela antecipação de projetos de infraestrutura.

Projeções para o PIB da zona do euro

Na zona do euro (composta pelos países da União Europeia que adotam o euro como moeda oficial), a projeção é de crescimento de 2,6% neste ano e 1,6% no ano que vem. A OCDE observou que o crescimento da região deve ser fortemente impactado pela guerra na Ucrânia e pelos lockdowns na China.

“O preço da guerra na Ucrânia é alto e terá de ser partilhado”, afirma OCDE

guerra russia ucrania - xadrez

No relatório, a organização afirma que o mundo vai pagar um preço "muito alto" pela guerra entre Rússia e Ucrânia, com custos que podem se mostrar ainda maiores ao longo do tempo.

Os dois países do conflito são grandes exportadores de commodities. Com a guerra, os preços de alimentos e energia subiram no mundo todo, inclusive no Brasil. Para a OCDE, está claro que os mais pobres serão os mais atingidos. "O preço da guerra é alto e terá de ser partilhado”, diz o documento.

A OCDE traçou um efeito dominó do cenário atual: a inflação elevada corrói a renda disponível e o poder de compra das famílias, o que reduz o consumo. Enquanto isso, a incerteza desencoraja investimentos empresariais e ameaça a redução da oferta nos próximos anos.

A instituição destacou ainda que as políticas fiscais e monetárias precisarão se ajustar às circunstâncias extraordinárias. Como prioridade, a OCDE ressaltou a urgência de evitar uma crise de alimentos e a necessidade de lidar com a inflação e seus efeitos.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

QUEDA DE APORTES

Crise dos unicórnios e demissões em massa têm explicação: investimentos em startups caíram 44% no primeiro semestre

6 de julho de 2022

Inflação global, escalada da alta de juros e a Guerra da Ucrânia geraram incertezas no mercado e “seguraram” os investimentos; as mais afetadas são as startups de late stage e unicórnios

CARA CADÊ MEU DEFI?

Roubo de criptomoedas com ataque hacker levou US$ 1,3 bilhão de plataformas de DeFi em 2022; maior crime foi de US$ 180 milhões

6 de julho de 2022

Mesmo com a alta do dia, os investidores acompanham os desdobramentos do pedido de falência da Voyager Digital

O FANTASMA DA RECESSÃO

Ata do Fed manda recado: saiba se os próximos passos do BC dos EUA podem tirar o sono dos investidores

6 de julho de 2022

Na reunião de junho, o banco central norte-americano elevou a taxa de juro em 0,75 ponto percentual, o maior aumento desde 1994, na tentativa de conter uma inflação que não dá tréguas; será que vem mais por aí?

Está vindo aí

Risco de recessão volta a assustar, petróleo amplia perdas e petroleiras lideram quedas do dia; Hypera (HYPE3) e Americanas (AMER3) sobem forte

6 de julho de 2022

Com a queda do petróleo no mercado internacional, papéis de commodities no Brasil têm maiores quedas nesta quarta-feira

MAIS DO QUE UMA VOLTINHA

Multiplan (MULT3), Iguatemi (IGTI11), brMalls (BRML3) ou Aliansce Sonae (ALSO3)? Saiba qual é a queridinha do Itaú BBA

6 de julho de 2022

Papéis das administradoras de shoppings operam em alta nesta quarta-feira (06), embalados pela prévia operacional da Multiplan, que sinalizou que novos recordes estão no caminho da empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies