🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-21T15:18:59-03:00
Eslen Brito
Eslen Brito
Repórter multimídia do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Rádio Alpha FM e pela Jornalismo Júnior.
Desaceleração da indústria

Made in China? Indústria brasileira perde fôlego e participação no PIB; saiba quais os setores que mais caíram

Por problemas estruturais, doze dos quatorze segmentos analisados reduziram gradualmente a participação do setor industrial no PIB nos últimos 30 anos

21 de junho de 2022
15:18
Indústria
Imagem: Shutterstock

Já percebeu que os produtos que você consome cada vez mais têm origem na China ou em outros países? Pois esse é um dos resultados da perda de fôlego e participação da indústria de transformação na economia brasileira.

Praticamente todos os ramos industriais — 12 de 14 pesquisados — diminuíram sua participação no PIB desde a década de 1990. O dado é de um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

A indústria de alimentos e bebidas, por exemplo, reduziu sua fatia na geração do PIB de uma média de 2,9%, de 1990 a 1999, para 2,7% na década seguinte, recuando para 2,2% entre 2010 e 2019. 

No mesmo período, a indústria têxtil viu sua contribuição encolher de 1% para 0,5% e, depois, para apenas 0,3%; a de artigos de vestuário e acessórios passou de 1% para 0,6% e, na sequência, para 0,5%. Já a da indústria de siderurgia, que era de 1,7% entre 1990 e 1999, encolheu para 1,5% e, depois, para 1,3%.

As únicas exceções entre as 14 atividades pesquisadas foram os segmentos de veículos e de calçados, que também não expandiram: ficaram estagnados ou encolheram ante a década imediatamente anterior. 

O ramo de veículos, peças e outros equipamentos de transportes passou de uma fatia média de 1,1%, entre os anos 1990 e 1999, para 1,4% de 2000 a 2009; mas recuou para 1,2% de 2010 a 2019. No mesmo período, o segmento de artefatos de couro e calçados saiu de 0,3% para 0,4%, retornando a 0,3%.

"A queda na produtividade tem a ver com máquinas menos eficientes, treinamento ineficaz de trabalhadores, alcance da educação, problemas estruturais", disse Claudio Considera, coordenador do Núcleo de Contas Nacionais do Ibre/FGV.

Participação nas exportações

Na mesma medida, a indústria de transformação perdeu força nas exportações. Em 1997, o setor representava 81% das vendas externas, número que caiu para 51% em 2021, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Desde então, ganharam espaço nas exportações a agropecuária e a indústria extrativa, segmentos mais competitivos no mercado internacional.

Por outro lado, o Brasil foi o país que concentrou a maior proporção de bens industriais em exportações, quando comparado ao restante do G-20, grupo dos 20 países que, juntos, representam 80% da economia global. 

Entre 2002 e 2020, a pauta exportadora industrial brasileira saltou de 28,1% para 49,3%. Nesse mesmo período, a média de concentração das exportações industriais dos outros países subiu apenas 2,3 pontos percentuais.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

FRUTOS DO CASAMENTO

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) apresentam relação de troca final de ações; veja quanto os acionistas receberão

Mais cedo, a Superintendência-Geral do Cade aprovou, sem restrições, a venda de parte da frota da Unidas para o Grupo Brookfield, dono da locadora Ouro Verde

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) faz malabarismo para enfrentar volatilidade e seguir acima de US$ 20 mil; confira cotações

O cenário macroeconômico pesou no universo cripto e se juntou à falta de liquidez, exercendo importante fonte de pressão

AGRO EM ALTA

Governo oferecerá mais de R$ 340 bilhões para produtores rurais no novo Plano Safra; valores entram em vigor em julho

O programa do governo federal prevê o direcionamento de recursos públicos para financiar e apoiar a agropecuária nacional

O SOL HÁ DE BRILHAR MAIS UMA VEZ

Cemig (CMIG4) amplia presença em energia solar em negócio milionário; confira os detalhes do negócio

A transação envolve três usinas fotovoltaicas e reforça a estratégia da companhia de crescimento sustentável no mercado de geração distribuída

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa abaixo dos 100 mil novamente, presidente da Caixa pede demissão e o salvador do mundo cripto; confira os destaques do dia

As últimas semanas parecem ter inaugurado um novo modus operandi no mercado financeiro: não há boa notícia ao amanhecer que perdure até o anoitecer.  Alta de commodities, alívio no cenário fiscal, retomada econômica chinesa. Pode escolher a sua arma, nada parece forte o suficiente para enfrentar o temor de uma recessão global e de um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies