Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-20T18:24:48-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Vem novo rali pela frente?

Bitcoin volta ao patamar dos US$ 12 mil pela primeira vez desde agosto

Depois de dois meses longe das máximas, mas ainda bem acima dos patamares pré-crise, o ativo parece ter recuperado fôlego e chegou a ser negociado a US$ 12.047,10 nesta terça-feira.

20 de outubro de 2020
17:35 - atualizado às 18:24
bitocin
Imagem: Shutterstock

Após dois meses longe das máximas do ano, o bitcoin voltou a ser negociado na casa dos US$ 12 mil nesta terça-feira (20).. O ativo não se manteve muito tempo neste patamar, é verdade, mas tem mostrado força para romper a resistência nas últimas semanas. Será que vem um novo rali por aí?

A última vez que a moeda atingiu a marca foi no dia 17 de agosto, quando chegou ao fim o rali que havia começado no fim de julho e que levou a moeda às máximas do ano, aos US$ 12.359,06

Depois de dois meses longe das máximas, mas ainda bem acima dos patamares pré-crise, o ativo parece ter recuperado fôlego e chegou a ser negociado a US$ 12.047,10 nesta terça-feira. Por volta das 17h15, o bitcoin estava sendo negociado a US$ 11.970,62 (R$ 67.032).

Os investidores ficam agora na expectativa de que um novo ciclo de alta possa estar começando. Segundo o Coin Desk, grandes compras de investidores institucionais e o sinal verde do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, para a adoção de moedas digitais estão entre os gatilhos positivos que podem influenciar o novo ciclo.

Movimentação do bitcoin nos últimos três meses - Fonte: CoinmarketCap

O movimento de alta, no entanto, não parece se estender aos demais criptoativos. Enquanto o bitcoin teve uma variação positiva de 2,26% a 2,57% nas últimas 24 horas, ativos como o ether, lumen, monero e dash tinham quedas entre 2% e 4,9%.

O ano dos criptoativos

Mesmo que 2020 não marque o rompimento do topo histórico (de US$ 20.089,00, em 2017), o ano fica marcado pela consolidação do mercado de criptomoedas.

Além do halving - um evento programado e que corta pela metade a emissão de bitcoins -, os criptoativos também mostraram grande resiliência perante a crise, se recuperando muito mais rápido que a maior parte dos ativos que sofreram no momento mais agudo da crise de liquidez gerada pelo coronavírus.

O comportamento chama cada vez mais a atenção de investidores institucionais e bancos centrais, que voltam a discutir a ideia de emitirem as suas próprias moedas digitais.

Outro passo significativo para o mercado nos últimos meses foi o anúncio do primeiro ETF (Exchange Traded Fund) de criptomoedas, uma parceria entre a gestora brasileira Hashdex e a Nasdaq e que traz maturidade ao mercado.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

De volta ao jogo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 6,25%

Renda fixa “voltou ao jogo”, mas ainda não dá para ficar rico. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

entrevista

BC briga para recuperar a credibilidade e poderia ter acelerado alta da Selic, diz economista-chefe da gestora Garde

Para Daniel Weeks, BC passou mais tempo do que o necessário com a sinalização de que manteria taxa de juros muito baixas; ele avalia que aumento poderia ter sido de 1,25 ponto e que discussão sobre fim do ciclo de ajustes ainda não acabou

Seu Dinheiro na sua noite

Seguindo a rota planejada

Decisão da Selic pelo Copom, juros nos Estados Unidos, dólar em alta e muitas outras notícias que mexeram com o mercado hoje

Vai mudar

Ultrapar (UGPA3): Marcos Lutz, ex-presidente da Cosan, assumirá como CEO em janeiro de 2022

Lutz já era membro do conselho de administração da Ultrapar (UGPA3) e, após o período como CEO, deve virar presidente do colegiado

Bota para subir

Após nova alta da Selic, FMI apoia aperto monetário adotado pelo Banco Central para combater inflação

Os diretores do órgão também aprovam o compromisso do BC intervenções limitadas para conter condições desordenadas de mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies