2020-06-17T17:07:42-03:00
Estadão Conteúdo
Paulo Kakinoff

Presidente da Gol descarta possibilidade de uma recuperação judicial

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, afirmou que a empresa não tem na agenda hoje uma recuperação judicial diante da pandemia do coronavírus

17 de junho de 2020
17:07
Paulo Kakinoff, presidente da Gol
Paulo Kakinoff, presidente da Gol - Imagem: Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo/AE

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, afirmou que a empresa não tem na agenda hoje uma recuperação judicial diante da pandemia do coronavírus. Com a crise, algumas companhias tiveram até 100% dos seus voos suspensos. A retomada começou a acontecer agora, mas muitas estão sem caixa para conseguir fazer frente aos seus passivos.

Kakinoff, entretanto, foi detalhista: "Quando a pergunta se é possível uma recuperação judicial, a resposta é que ninguém pode responder impossível. Tudo é absolutamente possível. Porém, respondendo claramente, não temos nenhuma discussão, não enxergamos cenário que nos coloque nessa posição assumindo as variáveis que temos hoje, de recuperação de demanda, câmbio e custos de combustível. Dentro desse horizonte de variáveis que assumimos como mais prováveis, descartamos possibilidade de recuperação judicial", disse, durante evento promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo, nesta quarta-feira.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Questionado sobre a necessidade de caixa da empresa para conseguir atravessar esse período de turbulência, Kakinoff destacou que a Gol está em uma posição confortável até o final do ano. "Mas a questão principal não é quanto o caixa dura e sim nossa capacidade para reduzir a velocidade de queima de caixa, independentemente da duração da pandemia. Temos de redesenhar a companhia para uma relação de receita e custos para voltar ao equilíbrio em um cenário de demanda ainda arrefecida de maneira considerável pelo menos até o final do ano", disse.

Demanda

Apesar das dificuldades de se traçar um cenário para a recuperação do setor aéreo, o presidente da Gol estima que o mercado doméstico brasileiro deverá voltar a patamares anteriores à pandemia do covid-19 em meados de 2021.
"Mas quando digo ao normal, não necessariamente aos níveis de 2019. É um normal comparável ao que foi 2017, 2018 e 2019, períodos em que as aéreas tiveram margem acima do breakeven (ponto de equilíbrio)", destacou nesta quarta-feira. Em dezembro, a estimativa é que a demanda no mercado doméstico será entre 65% e 75% do que foi antes da pandemia.

Com a volta aos poucos dos voos, dentro do cronograma da malha essencial, costurada pela Agência Nacional de Aviação Civil, a Gol espera sair de 50 voos diários no ápice da crise, em meados de abril, para algo entre 200 e 250 voos por dia em julho. Hoje, a empresa opera com 120. "Já vemos um maior nível de procura por bilhetes", disse o executivo.

O cenário para o mercado internacional é mais desafiador. Ele destacou que alguns analistas apostam em recuperação apenas no fim de 2022 ou até em 2023. "Hoje é positivo que nossa dependência (de voos internacionais) seja pequena. Justamente porque analistas preveem recuperação para patamares pré-crise levará anos", disse. Antes da pandemia, cerca de 15% da receita da aérea vinha de voos internacionais.

Mesmo com as dificuldades, a Gol tem conseguido manter suas operações e a segurança de funcionários e tripulantes. Do total de 16 mil funcionários, Kakinoff disse que 14 estão com o vírus ativo. Desse total, apenas seis são tripulantes. "Desses seis, somente três voaram nos últimos 20 dias", disse.

Tarifa

Diante das incertezas, o executivo não foi muito direto ao responder se a pandemia poderá trazer preços maiores ou menores para as passagens aéreas no curto prazo. Tudo vai depender da retomada dos voos e demanda, assim como dólar e petróleo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Resultados

João Doria vence prévias e será candidato à presidência pelo PSDB; Em discurso, manda recado à Lula e Bolsonaro e faz aceno para 3ª via

“Ninguém faz nada sozinho. Precisamos da ajuda de todos. Da união do Brasil. Da união do PSDB. Da união com outros líderes e partidos”, afirmou

Décimo Andar

O mercado imobiliário americano segue vencedor: confira uma nova opção na B3 para investir na área

Mesmo com a perspectiva de aumento dos juros no exterior, o mercado imobiliário americano segue forte na alta dos preços; veja um ativo para investir sem sair da B3

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar