Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-08-10T17:30:14-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Varejo online

O balanço bom não bastou. Mercado Livre cai na bolsa e arrasta Magalu, Via Varejo e B2W

Mercado Livre registrou forte crescimento no volume de vendas, que atingiu US$ 5 bilhões no segundo trimestre, mas não foi o suficiente para empolgar os investidores

10 de agosto de 2020
14:23 - atualizado às 17:30
Túlio Oliveira – diretor do Mercado Pago, mostra pagamento por QR Code
Pagamento feito pelo Mercado pago, do Mercado Livre - Imagem: Leo Martins/Seu Dinheiro

No primeiro trimestre deste ano, o Mercado Livre divulgou seu balanço com forte aumento nas receitas em plena pandemia e ajudou a puxar as ações de todas as varejistas com operações online na bolsa, como Magazine Luiza, Via Varejo e B2W.

Pois o roteiro se repetiu nesta segunda-feira — menos o desempenho das ações. O Mercado Livre abriu a temporada de divulgação de resultados das gigantes do varejo online com números que confirmam a empresa como uma das grandes vencedoras da crise provocada pela pandemia do coronavírus. Mas os papéis da empresa reagiram em forte queda ao balanço.

Enquanto boa parte do comércio manteve as portas fechadas, o Mercado Livre registrou US$ 5 bilhões (R$ 27 bilhões) em vendas pela sua plataforma de marketplace (que conecta vendedores e compradores) no segundo trimestre deste ano.

O volume de vendas bruto (GMV, na sigla em inglês) avançou 48,5% em dólares na comparação com o mesmo período do ano passado e de 101,5% sem considerar a variação cambial — a empresa atua em vários países, como Brasil, Argentina e México. A empresa atingiu um total de 51,2 milhões de usuários ativos no trimestre, um crescimento de 45,2%.

O Mercado Pago, a subsidiária de meios de pagamento da varejista, mais que dobrou de tamanho, com um volume total de pagamentos (TPV) de US$ 11,2 bilhões, alta de 142,1% sem o efeito da variação cambial. As transações realizadas fora da plataforma do Mercado Livre cresceram ainda mais e atingiram US$ 6,1 bilhões – alta de 174,7%.

Como resultado, o lucro líquido do Mercado Livre atingiu US$ 55,9 milhões entre abril e junho, mais que o triplo do segundo trimestre de 2019.

Foi bom, mas...

Mas nem todo o crescimento foi suficiente para animar os investidores. Ao contrário, as ações do Mercado Livre (MELI), que são listadas na Nasdaq, fecharam em forte queda de 5,83% no pregão desta segunda-feira.

O desempenho acabou arrastando junto as varejistas listadas aqui na B3 durante boa parte do dia. As ações do Magazine Luiza (MGLU3) encerraram o dia em baixa de 4,34%. Via Varejo (VVAR3) e B2W (BTOW3) também negociaram em queda durante boa parte do dia, mas acabaram virando para o positivo no fechamento.

Parte da baixa pode ser justificada por um movimento mais generalizado que envolveu a venda de ações que já subiram muito no ano, como é o caso das varejistas online. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

“O preço das ações está muito alto, então fica difícil saber o quanto desse crescimento já está refletido nas cotações”, me disse um gestor de fundos.

Para o Goldman Sachs, os resultados do Mercado Livre vieram acima do esperado. Os analistas, que têm recomendação de compra para as ações, destacaram o aumento de 58% no volume de vendas no Brasil, contra uma expectativa de alta de 42%.

Aqui no Brasil, os resultados das varejistas no segundo trimestre saem a partir de quarta-feira depois do fechamento do mercado, com os números da Via Varejo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

em família

Sobrinho-neto do bilionário Warren Buffett supera Berkshire Hathaway no ano

Ações da Boston Omaha, holding de capital aberto co-liderada pelo sobrinho-neto do bilionário, Alex Buffett Rozek, estão batendo os papéis da Berkshire Hathaway

novo serviço

Grupo pão de Açúcar vai fazer entrega para lojistas de seu marketplace

No próximo ano, a companhia passará a oferecer a possibilidade de que os lojistas virtuais armazenem produtos nos centros de distribuição do GPA

inovação

Varejo online agora quer conquistar a fronteira da venda de produto fresco

A partir do mês que vem, começa a funcionar no País uma startup mexicana de tecnologia do setor de supermercados que vai explorar exatamente esse filão

Clube do livro

Ajuste fiscal pode ser dolorido no início, mas é necessário; entenda mais no novo livro de Fabio Giambiagi, “Tudo sobre o déficit público”

Nova obra do economista do BNDES evidencia que atingir um equilíbrio orçamentário no país é essencial para o desenvolvimento em termos econômicos e sociais

em busca de recursos

AES Brasil (AESB3) aprova oferta pública e pode captar até R$ 1,8 bilhão

De acordo com a AES Brasil, o objetivo da oferta é acelerar seu plano de crescimento, com foco na diversificação do portfólio por meio de fontes complementares à hídrica, além de potencializar a criação de valor para os acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies