🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
depois do fundo do poço

Na bolsa, Gol, Azul e CVC recuperam parte das perdas com pandemia

Avanço das vacinas empolgou o mercado todo, mas não basta para explicar o desempenho dos papéis ligadas ao setor de aviação

Kaype Abreu
Kaype Abreu
30 de novembro de 2020
22:57 - atualizado às 23:14
Avião da Gol
Avião da Gol - Imagem: Shutterstock

Depois de derreterem na bolsa ao longo do ano por causa da pandemia, Azul, Gol e CVC recuperaram em novembro parte das perdas — as empresas estão entre as maiores altas do mês no Ibovespa, o principal índice da bolsa.

O avanço das vacinas empolgou o mercado todo, mas não basta para explicar o desempenho dos papéis ligados ao setor de aviação e turismo. Mais do que uma crença na retomada imediata da demanda, o importante para o mercado são as sinalizações dos executivos.

O analista do BB Investimentos Renato Hallgren listou em recente relatório o que faz as ações das companhias aéreas subirem nas últimas semanas.

  1. Preservação de caixa

O setor aéro sempre foi caro e difícil de operar. Com a pandemia, as operações ficaram ainda mais frágeis e as empresas tiveram de implementar uma série de medias para garantir liquidez.

Ao longo deste ano, Gol e Azul cortaram custos, renegociaram o perfil de pagamento com seus arrendadores de aeronaves e fecharam acordos com fabricantes para postergar a entrega de novos aviões.

As empresas adiaram investimentos e aproveitaram medidas de ajuda aprovadas pelo governo federal para reduzir salário de funcionários. As atuações teriam sido suficientes para garantir algum alívio de caixa, segundo analistas.

2. Retomada lenta e gradual na demanda

As empresas têm demonstrado um aumento das operações. No início de outubro, a Gol ampliou a oferta de voos para 400 por dia. Desde agosto, a Azul vem divulgando melhoras sequenciais de tráfego, capacidade e taxa de ocupação.

No segundo trimestre, com a pandemia, a Gol teve redução de 90,5% da demanda por voos domésticos. A Azul registrou uma queda de 83,8% na procura por viagens no período.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o total de passageiros transportados em outubro foi de 4,1 milhões — contra 3 milhões em setembro.

No entanto, na comparação anual o total de passageiros transportados em outubro ficou 51,1% inferior. Nos últimos 12 meses, foram transportados 51,7 milhões de passageiros, queda de de 45,3%.

3. Desvalorização do dólar

Parte do mercado acredita em uma perspectiva de desvalorização do dólar ante o real, depois da queda de 6,8% em novembro — embora a moeda ainda acumule alta de 33% no ano.

Dólar em baixa é bom para as empresas aéreas porque as companhias têm muitas linhas negativas do balanço — incluindo parte das despesas  —atreladas à moeda americana.

4. Capital estrangeiro na bolsa

A bolsa brasileira de forma geral foi beneficiada em novembro pela entrada de capital estrangeiro, motivada pela eleição do democrata Joe Biden nos Estados Unidos e pelo avanço das vacinas.

Foram R$ 30 bilhões que entraram na B3 em novembro, o maior valor desde 1995. O movimento impulsionou o Ibovespa para ganhos de 15,9% no período, marcando uma alta das empresas da chamada "velha economia".

5. Nível de desconto

Apesar da alta em novembro, Azul (AZUL4), Gol (GOLL4) e CVC (CVCB3) acumulam baixas no ano: respectativamente de 34%, 36% e 55%. A interpretação de parte do mercado é de que os papéis estão descontados.

As ações de Azul subiram 68% em novembro, a R$ 38, e as da Gol avançaram 49% no período, a R$ 23. Enquanto isso, os papéis da agência de viagens CVC escalaram 48%, negociados a R$ 18,23.

CVC tem imbróglio à parte

A CVC tem um imbróglio à parte da pandemia. A empresa atrasou por várias vezes a divulgação dos balanços por causa de erros na contabilização de valores transferidos a fornecedores de serviços turísticos.

Depois de dar algumas respostas ao mercado, a companhia diz que nota a retomada das viagens dentro do país, com aumento no número de reservas e de orçamentos solicitados pelos clientes.

Na primeira quinzena de setembro, as reservas atingiram 40% do valor do mesmo período de 2019, depois de as vendas ficarem próximas a zero entre abril e junho.

De acordo com a CVC, enquanto as vendas totais em junho representaram somente 8% do volume reservado na comparação com o mesmo mês de 2019, em setembro, até a última semana, elas alcançaram 35%.

Compartilhe

PRIMEIRO EMPREGO

Estágio e Trainee: Azul e Americanas estão processos seletivos abertos; veja oportunidades com bolsas-auxílio de até R$ 8 mil

29 de agosto de 2022 - 13:14

Os processos seletivos aceitam candidaturas até setembro, com início previsto em janeiro de 2023; as inscrições para trainee na Alpargatas, dona da Havaianas, continuam abertas

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de lucro de mais de 13% em swing trade com a Azul (AZUL4); confira a recomendação

16 de agosto de 2022 - 8:06

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Azul (AZUL4). Veja os detalhes

MAIS GENTE VOANDO

Tráfego de passageiros da Azul (AZUL4) aumenta 34% em julho

8 de agosto de 2022 - 10:03

A Azul (AZUL4) também observou uma alta de 33,1% em sua capacidade, fazendo a taxa de ocupação das aeronaves chegar a 82,9% no mês passado

RUN, FORREST, RUN!

É hora de fugir de Azul e Gol? JP Morgan diz se vale a pena ter ações AZUL4 e GOLL4 neste momento

27 de junho de 2022 - 13:30

O banco não mexeu na recomendação para os papéis, mas cortou bruscamente seus preços-alvo; entre as aéreas da América Latina, a mexicana Volaris é a preferida

ALTAS E BAIXAS

Destaques da bolsa: com dólar a R$ 5,08, Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) despencam; Suzano (SUZB3) e exportadoras sobem

2 de maio de 2022 - 15:56

Com o dólar se aproximando da barreira de R$ 5,10, empresas com dívida denominada na moeda americana e com custos dolarizados são as que mais sofrem; por outro lado, exportadoras ganham um impulso

COMBUSTÍVEIS EM ALTA

Latam, Gol e Azul vão aumentar o preço das passagens — chegar no aeroporto também vai ficar mais caro; saiba o porquê

11 de março de 2022 - 19:14

“Essa matemática é bastante impactante para o setor aéreo, em especial para as empresas brasileiras, que têm diversos custos em dólar e um dos combustíveis mais caros do mundo”, destaca a Azul

AÉREAS COM PROBLEMAS

Depois da Azul, Latam cancela voos por casos de covid e gripe entre tripulantes

9 de janeiro de 2022 - 16:58

Diante dos problemas, Anac oferece suporte a passageiros afetados e monitora os casos entre profissionais da aviação

destaques da bolsa

Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) disparam mais de 10% com alívio do noticiário sobre a covid-19; confira destaques

6 de dezembro de 2021 - 16:34

A demanda doméstica impulsiona o setor em novembro, com o desempenho das empresas melhor do que o esperado

Análise SD

Jogou a toalha? Azul (AZUL4) critica plano de recuperação da LATAM e dá a entender que não vai aumentar a proposta

29 de novembro de 2021 - 13:15

A LATAM pretende injetar mais de US$ 8 bi com as medidas de seu plano de recuperação judicial, cifra superior à proposta pela Azul (AZUL4)

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies