2020-01-12T17:19:15-03:00
Os dois lados da crise

Ex-CEO da Boeing recebe US$ 62 milhões por demissão, enquanto quase 3 mil trabalhadores ficam sem nada

Executivo levou para casa uma quantia milionária relativas a ações da Boeing, pagamentos de pensões e outras contribuições diferidas

12 de janeiro de 2020
17:19
Boeing 737-800 MAX - Imagem: Shutterstock

As polêmicas envolvendo a crise na gigante de aeronaves Boeing estão longe de acabar. A mais recente delas envolve o recém-demitido CEO da companhia.

Dennis Muilenburg, deposto da Boeing no final de dezembro, deixou a empresa com nada menos do que US$ 62 milhões em pagamentos. Os dados foram divulgados em documento na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

O curioso é que o anúncio dessa quantia veio acompanhado, no mesmo dia, da informação de que a Boeing demitiu 2.800 trabalhadores em função do desastre do modelo 737 MAX.

Corda no pescoço?

Muilenburg perdeu seu cargo de CEO depois da estratégia mais do que questionável para lidar com os dois acidentes fatais da Boeing pelo 737 Max, que mataram 346 pessoas.

Mas, apesar de retirar US$ 15 milhões em bônus, indenizações e outros incentivos, o executivo acabou levando para casa uma quantia milionária relativas a ações da Boeing, pagamentos de pensões e outras contribuições diferidas.

Enquanto isso, os trabalhadores do setor de suprimentos da Boeing foram derrotados na Justiça, ficando sem qualquer tipo de compensação.

As demissões destoam do posicionamento inicial da Boeing. Quando congelou a linha de produção do 737 Max, a empresa prometeu não demitir nenhum de seus empregados. Entretanto, a cadeia de produção de uma aeronave é muito maior do que a própria Boeing, e a Spirit AeroSystems, fabricante do Kansas, que obtém mais da metade de sua receita com o 737 MAX, anunciou demissões em uma de suas instalações.

A produção congelada do 737 MAX se mostrou devastadora para fornecedores como a Spirit, que ainda planeja demitir um número não especificado de trabalhadores em duas fábricas em Oklahoma, e também pode precisar demitir mais trabalhadores em sua base de Wichita.

*Com informações da Business Insider.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Dê o play!

A bolsa ainda pulsa, mas será um último suspiro? O podcast Touros e Ursos discute o cenário para o Ibovespa

No programa desta semana, a equipe do Seu Dinheiro discute o cenário para o Ibovespa e os motivos que fazem a bolsa brasileira subir

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O respiro da bolsa brasileira, o tropeço do bitcoin e o vazamento de dados do PIX: confira as principais notícias do dia

Para quem não aguentava mais ver a bolsa brasileira apanhando enquanto Wall Street renovava recordes, este início de ano está sendo o momento da revanche. Ou melhor, de o Ibovespa “correr atrás do prejuízo”. Nesta terceira semana de janeiro, o principal índice da B3 mais uma vez contrariou o exterior e enfileirou altas, enquanto as […]

Fechamento da semana

Ibovespa tem dia morno com exterior negativo, mas termina semana com ganho de 1,88%; dólar fecha em alta, mas acumula queda de 1,05% no período

Bolsa terminou o dia em baixa, com dólar e juros em alta, com piora no exterior e preocupações fiscais

CASOS DE FAMÍLIA

Elon Musk pega pesa pesado com o Twitter após integração de NFTs; veja o que o bilionário falou

Rede social passou a permitir que usuários do iOS, sistema da Apple, utilizassem os chamados tokens não fungíveis como fotos de seus perfis

Renda fixa

Nubank lança fundo para reserva de emergência que busca retorno entre 100% e 105% do CDI – mas tem uma pimentinha

Nu Reserva Imediata é o primeiro fundo de renda fixa da família Nu Reserva; embora seja de baixo risco, ele tem opção de investir em títulos privados