Menu
2020-05-11T19:17:56-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Resseguradora encrencada

Em novo vexame, IRB recebe fiscalização da Susep e ações desabam

Ativos garantidores de provisões técnicas estão abaixo do mínimo regulatório, o que motivou a fiscalização do órgão regulador na empresa, que já perdeu mais de 80% do valor na bolsa

11 de maio de 2020
10:47 - atualizado às 19:17
Ibovespa mercados queda
Imagem: Shutterstock

Em um novo vexame corporativo, a empresa de resseguros IRB Brasil anunciou na manhã de hoje que a Susep decidiu instaurar uma fiscalização especial na companhia. O motivo? Os ativos garantidores de provisões técnicas estão abaixo do mínimo regulatório.

O IRB informou que a situação ocorreu em consequência dos efeitos da variação cambial sobre as provisões técnicas da companhia em moeda estrangeira.

A empresa também registrou um aumento das provisões de sinistros a liquidar durante o primeiro quadrimestre de 2020.

“O IRB compromete-se a auxiliar a Susep no que for necessário; a manter o mercado informado; e entende que a decisão não afeta a administração regular dos seus negócios”, acrescentou a empresa, em comunicado.

O mercado, porém, não pensa o mesmo. As ações da companhia (IRBR3) desabaram 14,82% no pregão de hoje. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Desde o início de fevereiro, o IRB já perdeu mais de 80% do valor de mercado. O inferno astral começou quando a gestora carioca Squadra contestou os balanços da companhia.

Na visão da gestora, os resultados da resseguradora foram inflados por uma série de itens extraordinários, que não se repetiriam em balanços seguintes.

A diretoria do IRB negou irregularidades, mas pouco depois se viu envolvida em um episódio de "fake news", ao divulgar que o megainvestidor Warren Buffett havia aumentado a participação na companhia.

A notícia levou a Berkshire Hathaway divulgar um comunicado informando que nunca teve, não tem e não pretende ter ações da empresa. Eu gravei um vídeo na época no qual eu comento o vexame internacional do IRB.

A diretoria do IRB acabou pedindo para sair logo após o episódio, mas os problemas não acabaram. A empresa ainda não publicou o balanço do primeiro trimestre de 2020, previsto para sair apenas no dia 18 de junho.

Ainda sobre a fiscalização da Susep, a empresa informou que possui “elevado índice de solvência e de volume de ativos livres”, mas que, em virtude de determinadas características, esses ativos não são aceitos pelo órgão regulador.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

PODCAST GRATUITO

Como foi possível essa empresa se multiplicar por 6 vezes em 2 anos?

Na edição de hoje do Tela Azul Empiricus, nós contamos a história da DocuSign, uma daquelas sagas que você vai ficar se perguntando: “como eu deixei passar essa?”

Incentivo

Primeiro ciclo do sandbox regulatório está previsto para 2021, diz BC

A instituição divulgou nesta segunda a regulamentação do sandbox e, a partir de agora, prepara-se para estabelecer as normas para o primeiro ciclo do projeto.

Quem vai levar?

OCDE defende que leilão do 5G no Brasil garanta mercado competitivo

Governo Bolsonaro vem sofrendo pressão por parte dos Estados Unidos para vetar a participação da empresa chinesa Huawei do leilão de 5G.

Tesouro Nacional

Ajuste fiscal passa por reformas que aumentam produtividade, diz Bruno Funchal

O secretário participou na manhã desta segunda-feira do 10º Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público.

Melhor para o bolso

Aneel aprova queda de 6,4% em revisão tarifária extraordinária da Roraima Energia

Novas tarifas vigoram a partir de 1º de novembro. A empresa atende a 175 mil unidades consumidoras no Estado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies