Menu
2020-04-02T21:31:30-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Coronavírus

Diante da queda de demanda doméstica, Petrobras está exportando com sucesso, diz Castello Branco

Estatal cortou produção e vem reduzindo custos, tendo como prioridade preservar caixa. Demanda por energia elétrica e derivados de petróleo já teve queda sensível no país

2 de abril de 2020
21:31
Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras
Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras: guerra de preços entre russos e sauditas tornou-se irrelevante perante a crise. Imagem: Will Shutter/Câmara dos Deputados

Mesmo com a queda da demanda doméstica por derivados de petróleo por causa da crise do coronavírus, a Petrobras tem conseguido ser bem-sucedida nas exportações, disse nesta quinta-feira (2) o presidente da estatal, Roberto Castello Branco.

“Estamos exportando e sendo bem-sucedidos, não em receita [dado que os preços estão baixos], mas em volume. As perspectivas para maio são boas, a China está se recuperando, e os chineses voltaram a comprar com intensidade, tanto petróleo cru quanto combustível marítimo”, disse durante uma transmissão ao vivo pela internet realizada pela XP Investimentos.

O presidente da Petrobras falou sobre como a estatal está lidando com a atual crise. Ontem, a Petrobras anunciou cortes na produção e disse que sua prioridade é preservar caixa, o que foi reforçado hoje por Castello Branco durante a live.

“Estamos numa situação nunca vista antes, de forte contração de demanda pelos nossos produtos e forte queda de preço. E uma volatilidade de preços enorme, maior do que a que se viu na crise de 2008”, disse Castello Branco.

A maior queda de demanda foi pelo querosene de aviação, combustível de aeronaves. Em segundo lugar, com 60% de retração, a demanda por gasolina. O diesel, disse o presidente, também viu uma redução de demanda expressiva, embora amenizada pela boa safra agrícola que o país está tendo.

“O único derivado de petróleo em que a demanda está se mantendo é o GLP [gás liquefeito de petróleo, usado nos botijões de gás de cozinha] porque as pessoas continuam comendo, seja em restaurantes ou em casa. Mas também porque há certo pânico: pessoas comprando para estocar. Mas eu queria assegurar aqui que não existe risco de desabastecimento”, disse o presidente.

Ele explicou que apesar de a Petrobras ter reduzido a produção de GLP, as importações continuam e serão suficientes para atender à demanda. Aliás, Castello Branco assegurou que não há risco de desabastecimento de nenhum dos produtos da estatal.

Diante de tal conjuntura, a Petrobras cortou a produção, dado que não teria como estocar tanto petróleo produzido e não vendido. “Teríamos que contratar navios para manter os estoques boiando nos mares até encontrar comprador”, disse Castello Branco.

Além disso, vem focando em corte de custos para preservar caixa o máximo possível. “A prioridade é preservar a liquidez da companhia”, afirmou.

Apesar de perguntado a respeito, Castello Branco não adiantou nenhuma possível mudança nos planos de investimento da companhia para o ano.

“Estamos num ambiente de incertezas. Para riscos, a gente tem uma distribuição de probabilidade. Para incerteza, não. É como estar trancado num quarto escuro sem saber para onde se vai. Estamos monitorando o mês de abril diariamente, como quem monitora um paciente no CTI”, falou.

Guerra de preços lá fora

Em relação à guerra de preços entre Arábia Saudita e Rússia que tanto vem impactando a cotação das ações da estatal na bolsa, Castello Branco avalia que tal disputa é mais uma evidência de que a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) não tem condições de determinar preços a longo prazo.

Para o presidente da Petrobras, a guerra de preços mostra que não há concordância entre os países produtores de petróleo, pois para cada um a commodity tem um peso diferente na economia. Além disso, os sauditas não aguentam sustentar os preços baixos por muito tempo.

Para Castello Branco, a disputa entre os dois países "ficou irrelevante perante a crise", e os preços cairiam de qualquer forma porque a demanda caiu.

Eletrobrás ainda pretende investir em 2020

O presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior, também participou da live, e disse que, por ora, não há alterações no plano de investimentos da estatal para o ano, no valor de R$ 5,3 bilhões, conforme já havia sido anunciado.

Ferreira Júnior também admitiu a queda na demanda por energia elétrica no país. “O Brasil está operando hoje com 86%, em média, da energia com que operava antes”, disse.

Também estava presente na live o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, já recuperado do Covid-19, que lhe havia acometido. O ministro, entretanto, afirmou que a doença foi totalmente assintomática, e que ele apenas respeitou o prazo de quarentena.

O ministro disse que o órgão pretende tomar medidas para preparar o setor energético para o aumento súbito da demanda quando a situação se normalizar, para lidar com a possível inadimplência que pode acometer as distribuidoras e para preservar sua liquidez.

Quanto aos leilões previstos para este ano e que foram adiados, Albuquerque disse que de fato o ministério e os setores chegaram à conclusão de que era melhor adiar dada a imprevisibilidade da crise.

Já em relação ao andamento da capitalização da Eletrobrás no Congresso, o ministro se disse otimista.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

balanço do dia

Covid-19: casos sobem para 15,5 milhões e mortes, para 432,6 mil

O total de vidas perdidas durante a pandemia subiu para 432.628. Entre ontem e hoje, foram registradas 2.211 novas mortes.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mudaram as estações, mas nada mudou na bolsa

Quem olha para o saldo do Ibovespa na semana pode achar que os últimos dias foram um marasmo. O índice, afinal, ficou praticamente estável — uma quase desprezível queda de 0,13%. “Mas eu sei que alguma coisa aconteceu / tá tudo assim, tão diferente”, já dizia a música. E é verdade: nada mudou na bolsa, […]

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies