Menu
2020-03-08T21:28:49-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
tombo da siderúrgica

CSN tem queda de 57% no lucro em 2019

A empresa teve queda na receita e no lucro no último trimestre do ano passado, impactada pelo menor volume de vendas no mercado externo

5 de março de 2020
8:32 - atualizado às 21:28
Instalações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) na cidade de Volta Redonda
Imagem: Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo

O grupo siderúrgico CSN registrou lucro líquido de R$ 2,245 bilhões em 2019, um número 57% menor que o apurado no ano anterior. Analistas ouvidos pela Bloomberg esperavam que a cifra ajustada chegasse a R$ 1,866 bilhão.

No quarto trimestre, houve uma queda de 36% no lucro, para R$ 1,134 bilhão, ao passo que a receita foi de R$ 3,349 milhões — 11% inferior ao mesmo período do ano anterior. O resultado foi em parte consequência do menor volume de vendas no mercado externo e dos preços estáveis nos mercados interno e externo.

Segundo a CSN, em 2019 a receita líquida da área Siderúrgica chegou a R$ 13,949 milhões, 11% inferior ao ano anterior. A companhia foi impactada pela queda nas vendas externas e pela venda da subsidiária em Terra Haute, Indiana.

A receita líquida de vendas da companhia subiu 8% no último trimestre do ano, para R$ 6,524 bilhões, puxada pelo mercado externo, que cresceu 22%. Já as vendas domésticas caíram 7% (para R$ 2,76 bilhões). No ano, as receitas somaram R$ 25,436 bilhões, numa alta de 11%.

Ainda no ano passado, o custo dos produtos vendidos subiu 3% em relação a 2018, devido principalmente à queda momentânea de produtividade com a reforma do Alto Forno 3.

A CSN também foi impactada pela demanda por aço na China e a perspectiva de déficit da balança do minério de ferro — ambos produziram efeito positivo nos preços do produto.

Quanto ao endividamento, a siderúrgica informou que o indicador foi afetado pela variação cambial e pela distribuição de R$ 1,9 bilhão em dividendos.

Veja os principais números da CSN em 2019

  • Lucro líquido ajustado: R$ 2,245 bilhões (↓57%)
  • Receita líquida: R$ 25,436 bilhões (↑11%)
  • Ebitda ajustado: R$ 7,251 bilhões (↑24%)
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Exile on Wall Street

Águas de março para salvar o verão: cinco ações bem quentes

O boletim do primeiro bimestre de 2021 traz notas vermelhas.  A alta dos juros de mercado trouxe aumento da atratividade relativa da renda fixa e preocupações com o valuation de nomes de crescimento.   Internamente, a falta de clareza sobre nossa trajetória fiscal e o temor de adoção de maior intervencionismo estatal na economia impuseram perdas […]

Vai um desconto?

Três meses após IPO, Meliuz faz sua primeira aquisição com empresa de cupons de desconto

A Picodi.com agora faz parte do sistema da Meliuz e foi adquirida por R$ 120 milhões

Gás natural

Braskem fecha acordo com mexicana Pemex e retoma totalmente transporte de gás

A empresa estava operando parcialmente desde janeiro e, com a decisão, deve voltar normalmente às atividades

de novo

Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás

Reajustes, motivados pela alta dos preços no mercado internacional, foram o ponto que provocaram a demissão de Castello Branco da estatal

MERCADOS HOJE

Ibovespa sobe mais de 1% na cola de Nova York; dólar recua a R$ 5,55

O noticiário corporativo intenso também movimenta as negociações. Na ponta positiva Hapvida e Intermédica se destacam. Já o GPA recua mais de 70% após a estreia do Assí na bolsa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies