Menu
2020-05-30T09:18:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho no balanço

Cosan tem queda de 74,2% no lucro do primeiro trimestre

Lucro líquido foi de R$ 102,2 milhões; receita líquida da companhia cresceu 7,2% no primeiro trimestre, na comparação anual, para R$ 18,285 bilhões

30 de maio de 2020
9:18
Cosan
Imagem: Shutterstock

A Cosan encerrou o primeiro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 102,2 milhões, um número 74,2% menor que os R$ 395,7 milhões apurados no mesmo período do ano passado.

A companhia divulgou, ainda, o lucro ajustado, que no trimestre ficou em R$ 90,6 milhões, recuo de 77,4% na mesma base comparativa.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) também foi apresentado pela empresa nos critérios reportado e ajustado. No primeiro, o número ficou em R$ 1,982 bilhão entre janeiro e março, alta de 36,7% na comparação interanual.

No critério ajustado, o Ebitda do primeiro trimestre do ano ficou em R$ 1,769 bilhão, alta de 21,1%. Os ajustes excluem efeitos de resultados não realizados na Raízen Combustíveis e Raízen Energia, além de outros efeitos pontuais.

A receita líquida da companhia cresceu 7,2% no primeiro trimestre, na comparação anual, para R$ 18,285 bilhões.

A Cosan investiu R$ 933 milhões no primeiro trimestre, contra R$ 920,6 milhões na mesma base comparativa, um crescimento de 1,3%. Além disso, a empresa queimou R$ 556,3 milhões em caixa entre janeiro e março, ante geração de R$ 1,712 bilhão no mesmo período de 2019.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 623,2 milhões no trimestre.

A dívida líquida aumentou 5,8% nos três primeiros meses do ano, para R$ 12,276 bilhões. Assim, a alavancagem da Cosan, medida pela relação dívida líquida/Ebitda, chegou a 1,9 vez no período, contra 2 vezes no primeiro trimestre de 2019.

Neste mês, o banco BTG manteve a recomendação de compra da Cosan e elevou o preço-alvo da ação de R$ 81 para R$ 83. Analistas ressaltaram a diversificação no portfólio, o que diminui os efeitos da crise no setor sucroalcooleiro.

Ainda assim, o BTG vê que a recuperação nos preços do açúcar a partir de 2021 vai impactar no mercado de etanol, o que afeta diretamente as operações da empresa.

No comunicado de divulgação de resultados, a empresa afirmou que embora o ano tenha iniciado com uma perspectiva positiva no Brasil, a chegada da pandemia do novo coronavírus alterou as expectativas e prioridades da companhia para 2020.

As medidas de isolamento social adotadas em quase todas as regiões do País levaram a uma queda expressiva na demanda por combustíveis, o que diminuiu os volumes de venda e acabou resvalando nas operações da Cosan. Apesar da crise, a empresa se demonstrou otimista com os resultados.

"Avaliamos tempestivamente e cautelosamente as necessidades de liquidez e reforçamos nossa posição de caixa nas operações. Essa combinação tem se mostrado vencedora em cenários adversos nos últimos anos e estamos confiantes que superaremos esse também", afirmou o comunicado.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Decisão cautelar

TCU proíbe governo Bolsonaro de anunciar em sites que exerçam atividades ilegais

Indícios de irregularidades na veiculação de propagandas do governo federal levaram o TCU a tomar a decisão cautelar, concedida pelo ministro Vital do Rêgo

PGR

Aras recomenda a Guedes mais transparência em gastos no combate à pandemia

A pedido de procuradores do MPF-PE, o procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou recomendações para Guedes dar transparência aos gastos federais

Setor em destaque

Estatais de saneamento querem flexibilizar regras para contratar empréstimos

Com regras mais fáceis para a entrada do setor privado, as estatais de saneamento querem que a concessão de empréstimos ao segmento seja menos rigorosa

Preocupação ambiental

Para empresários, discurso do governo sobre desmatamento mudou

Após reunião com o vice-presidente Hamilton Mourão, empresários parecem satisfeitos quanto aos compromissos firmados pelo governo a respeito do desmatamento

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: O canto da sereia

Uma matéria alertando para os riscos do day trade foi a mais lida desta semana no Seu Dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements