Menu
2020-07-28T07:02:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
alta na crise

Carrefour tem alta de 75% no lucro do 2º trimestre

O que puxou o aumento expressivo do lucro foram as vendas fortes no período e o ganho de margem

28 de julho de 2020
7:02
https://www.seudinheiro.com/desemprego-abril-2019/
Imagem: Shutterstock

O Carrefour atingiu lucro líquido de R$ 713 milhões no segundo trimestre de 2020, uma alta de 74,9% em relação ao mesmo período de 2019. A margem líquida do grupo ficou em 4,5%, avanço de 1,6 ponto porcentual sobre 2019.

Já o Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, ajustado às particularidade de receita de cada empresa) teve aumento de 27,5%, atingindo R$ 1,4 bilhão.

O que puxou o aumento expressivo do lucro foram as vendas fortes no período e o ganho de margem. As vendas consolidadas do grupo foram de R$ 17,6 bilhões no trimestre, alta de 18,3% na comparação com o mesmo período de 2019.

As vendas LFL (mesmas lojas, sem gasolina) tiveram alta de 14,9%, mesmo sem o evento de promoções que costuma ser realizado no aniversário do Atacadão. O chamado "Dia A" não ocorreu devido à pandemia de covid-19.

Segundo o diretor financeiro do Carrefour, Sébastien Durchon, o ganho de margem da companhia deveu-se à prevenção de perdas e ganho de eficiência logística, sem ter ligação com aumento de preços.

"As galerias e os postos de gasolina foram atingidos negativamente pela crise. Descontada essa parte, tivemos aumento de margem de 1,2 ponto porcentual só no varejo. Desse avanço, 75% se referem à prevenção de perdas. O restante foi por ganho de eficiência logística", disse o diretor.

O executivo conta também que, dentre os processos que a crise transformou e acelerou, a forma de fazer promoções foi uma das mais marcantes. Antes, nos hipermercados, as promoções eram mais curtas e atingiam mais produtos.

Na pandemia, para evitar aglomerações, o grupo focou os esforços em menos produtos e manteve as ofertas por mais tempo. "Foi bem-sucedido. Perdemos alguns caçadores de ofertas, mas eles não são tão rentáveis", explica Durchon.

A dívida líquida totalizou R$ 1,1 bilhão (ou R$ 2,7 bilhões, incluindo arrendamentos pelo IFRS16 e R$4,7 bilhões adicionando também recebíveis descontados), valor inferior a junho de 2019.

"O Grupo Carrefour Brasil permanece com uma estrutura financeira muito confortável, com elevado caixa e uma relação dívida líquida/Ebitda extremamente baixa de 0,52 vez, excluindo recebíveis descontados, e 0,92 vez incluindo-os", diz o documento de divulgação de resultados.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Judiciário

Celso de Mello antecipa saída e acelera sucessão no STF

Com saída, abre-se a primeira vaga para indicação do presidente Jair Bolsonaro.

Mais lidas

MAIS LIDAS: De bolso cheio para brigar contra todos

Na semana em que o Seu Dinheiro completou dois anos no ar, refleti sobre quanta água rolou em tão pouco tempo. Foram muitos acontecimentos relevantes para os mercados, como eleição presidencial, guerra comercial de China e Estados Unidos, aprovação da Reforma da Previdência e a chegada do coronavírus. A Julia Wiltgen levantou o ranking de […]

Aviação regional

Governo quer licitar cinco blocos de aeroportos na Amazônia Legal

Pontapé inicial será no Amazonas, onde o governo espera transferir para uma empresa a operação de oito aeroportos regionais em 2022

Reforma Tributária

Cresce resistência a “nova CPMF”

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, avisou a interlocutores que a criação do imposto dificilmente passará no Congresso

Reforma Tributária

Dúvida é adotar desoneração da folha horizontal ou vertical

Há consenso sobre desonerar as empresas de tributos sobre os salários de quem ganha até um salário mínimo, mas forma ainda está em discussão no Executivo.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements