Menu
2020-11-07T14:44:47-03:00
Estadão Conteúdo
Balanço

Berkshire Hathaway, conglomerado de Warren Buffett, tem lucro de US$ 30,1 bilhões no 3º tri

Os resultados trimestrais da empresa foram impulsionados por sua vasta carteira de investimentos

7 de novembro de 2020
14:44
Warren Buffett, investidor americano
Imagem: Shutterstock

O lucro do Berkshire Hathaway Inc., conglomerado de Warren Buffet, reportou lucro líquido de US$ 30,1 bilhões no terceiro trimestre, acima dos US$ 16,5 bilhões no mesmo período do ano passado. O lucro operacional, que exclui alguns resultados de investimento, caiu para US$ 5,5 bilhões, de US$ 8,1 bilhões em igual etapa de 2019.

Os resultados trimestrais da empresa foram impulsionados por sua vasta carteira de investimentos. Após uma mudança nas regras contábeis nos últimos anos, os lucros da Berkshire geralmente refletem o desempenho do mercado de ações. As ações subiram no terceiro trimestre, com o S&P 500 valorizando-se 8,5%.

O conglomerado de Warren Buffett possui um grande negócio de seguros, bem como ferrovias, empresas de serviços públicos, indústrias e marcas de varejo americanas conhecidas, como Fruit of the Loom, Dairy Queen e Oscar Meyer.

Apesar da melhora no resultado líquido, os lucros operacionais caíram na Berkshire, em decorrência das operações em seguros. Várias seguradoras divulgaram seus resultados trimestrais esta semana, com desempenho misto.

De certa forma, a pandemia de coronavírus ajudou as seguradoras, já que a redução do tráfego de veículos levou a um declínio significativo nos sinistros. A Berkshire possui uma das maiores seguradoras de automóveis do EUA, a Geico. Em abril, a seguradora de automóveis juntou-se a muitas outras no setor para oferecer descontos aos clientes, relatando a emissão de US$ 2,5 bilhões em créditos de apólices.

Por outro lado, a Covid-19 alterou muitos outros aspectos da vida diária, que levaram a um aumento de sinistros, como eventos cancelados e seguro de viagem. Além disso, as seguradoras também sentiram uma onda de sinistros por causa da temporada de furacões e incêndios florestais na Costa Oeste.

A empresa, que por anos evitou recompras de ações, recomprou US$ 9 bilhões em ações, elevando o total das recompras de ações para US$ 16 bilhões no ano até agora.

A Berkshire tinha US$ 145,7 bilhões em caixa no final do terceiro trimestre, ante cerca de US$ 146,6 bilhões no final do segundo trimestre.

Fonte: Dow Jones Newswires

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Exile on Wall Street

Bolsa não precisa de motivos para subir e os ganhos acontecerão – mesmo no pior cenário

Do fim de fevereiro até este meio de abril, o Ibovespa retomou os 120 mil pontos rapidamente, e sem qualquer utopia. Isso nos traz uma importante lição enquanto investidores agnósticos: a Bolsa não precisa de motivos para subir. Repita o mantra: não precisa de motivos para subir, não precisa de motivos… assim como você não […]

Taxa zero pra todo o lado

Easynvest zera taxa de corretagem para maioria das operações com ações, BDRs e opções

A corretora digital já não cobrava por investimentos em renda fixa e agora quer expandir essa ideia para ações, BDRs e opções do aplicativo

O melhor do Seu Dinheiro

A magia dos dados da Boa Vista, Arezzo, Hering e outros destaques do dia

No começo do ano, vazaram na internet dados de mais de 220 milhões de brasileiros, incluindo CPF, nome, endereço e renda. O número é maior que o da população brasileira porque o arquivo incluía pessoas que já faleceram. Mas não são apenas criminosos que espalham referências sobre quem somos por aí. Todos os dias nós […]

Esquenta dos Mercados

Exterior deve reagir bem à temporada de balanços, enquanto tensão em Brasília aumenta

Confira esses e outros destaques para a manhã desta quinta-feira (15)

novata na b3

Mater Dei segue com IPO, mas arrecada menos que o esperado

Momento conturbado do mercado e concorrência entre nomes de saúde fazem rede de hospitais mineira cortar preço por ação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies