Menu
2020-05-26T08:17:45-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
reação do mercado

ADRs da Latam derretem mais de 40%, após pedido de recuperação judicial

Unidades do grupo no Brasil, na Argentina e no Paraguai não estão envolvidas no processo; empresa diz que ainda está em discussão com o governo Bolsonaro as possíveis saídas para a crise

26 de maio de 2020
8:01 - atualizado às 8:17
Avião da Latam
Imagem: Shutterstock

Recibo que representa ações e são negociados na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), os ADRs (American Depositary Receipt) da Latam derretem mais de 40% no pré-mercado desta terça-feira (26), após a empresa anunciar recuperação judicial.

O grupo e suas afiliadas no Chile, no Peru, na Colômbia, no Equador e nos Estados Unidos entraram com pedido (Chapter 11) nos EUA nesta terça-feira (26). As unidades do grupo no Brasil, na Argentina e no Paraguai não estão envolvidas no processo.

A empresa é a segunda companhia aérea da América Latina a pedir recuperação judicial nos EUA, depois da Avianca Holdings. No Brasil, a Latam diz que ainda está em discussão com o governo Jair Bolsonaro as possíveis saídas para a crise.

A Latam é vista como uma das aéreas com maior dificuldade para atender as condições de acesso ao pacote emergencial para o setor aéreo que está sendo preparado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na avaliação de especialistas. Isso porque não tem capital aberto no Brasil, o que dificultaria seu acesso ao modelo de auxílio que está sendo estruturado.

Em Brasília, há ainda a interpretação de que, por se tratar de uma empresa chilena, Santiago deveria ajudar no socorro da empresa.

Segundo apurou a reportagem, a companhia contratou recentemente o banco PJT Partners para ajudá-la na reestruturação de sua dívida. Há 15 dias, a empresa deixou de honrar compromissos relativos ao serviço de uma de suas dívidas, vencidos em 15 de maio.

Diante da inadimplência, as agências de classificação de risco de crédito Fitch e S&P rebaixaram a nota da empresa na última sexta-feira. Em relatório, a Fitch destacou que a Latam tem um período de carência de 15 dias para realizar o pagamento, mas que não estava claro se a companhia pretendia cumprir com a obrigação ou se iria iniciar um processo de reestruturação de dívida maior.

Já os analistas da S&P escreveram que "as preocupações com uma reestruturação da dívida ou um pedido de falência estão aumentando".

Em março, o UBS havia afirmado, em relatório, que a Latam era a companhia aérea com atuação no mercado doméstico mais vulnerável à crise.

Segundo cálculos do banco, o caixa da empresa deveria ficar negativo já neste segundo trimestre com a redução dos voos em 70%, corte anunciado pela Latam à época. A Avianca era outra empresa em situação semelhante, escreveram os analistas do UBS.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

esquenta dos mercados

Expectativa com recuperação do varejo não apaga cautela vista no exterior

A expectativa de que os números das vendas no varejo de maio voltem a crescer, com a média das projeções indicando um avanço de 5,9%, deve ser insuficiente para fazer com que o Ibovespa descole da cautela exibida no exterior nesta quarta-feira. Os investidores seguem preocupados com o avanço do coronavírus no mundo, principalmente nos […]

demandas da crise

Uber lança serviço de entrega de mercado em 11 cidades do País

Lançamento foi feito em parceria com a startup chilena Cornershop, comprada pela companhia de transporte por aplicativos em 2019

pioneira

Claro vai ativar sinal de 5G em SP e Rio na semana que vem

Operadora vai empregar uma tecnologia desenvolvida pela Ericsson que permitirá à tele ligar o 5G nas frequências já usadas para 4G, 3G e 2G

decisão do trt-7

Tribunal cassa liminar que obrigava a remuneração mínima a motoristas de aplicativos

Tutela antecipada da remuneração mínima abrangia ainda os motoristas impossibilitados de trabalhar em razão de diagnóstico ou de suspeita de contaminação pela covid-19

volta ao normal?

Azul diz que demanda cresceu 43,6% em junho; taxa de ocupação sobe para 75,5%

Nos voos internacionais, a demanda em junho foi 27,8% maior que em maio, enquanto a oferta cresceu 9,7% no período

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements