Menu
2020-02-10T15:42:20-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
revisão

Coronavírus faz UBS reduzir estimativa de crescimento do Brasil para 2,1% em 2020

Banco leva em conta os reflexos da doença na economia chinesa; a instituição ainda espera mais cortes na Selic neste ano

4 de fevereiro de 2020
11:57 - atualizado às 15:42
Pessoas de máscara na China.
Pessoas de máscara na China - Imagem: Shutterstock

Os impactos da propagação do coronavírus fizeram o UBS reduzir a projeção de crescimento da economia brasileira para 2,1% em 2020. A expectativa anterior era de um avanço de 2,5%. A instituição ainda prevê a Selic a 4% ao ano.

Segundo os economistas do banco, Tony Volpon e Fabio Ramos, a redução das estimativas está diretamente relacionada aos impactos que a doença deve ter na economia da China — o país asiático é o maior parceiro comercial do Brasil.

O UBS lembra que a demanda da China é um dos principais fatores de determinação dos preços dos maiores produtos exportados pelo Brasil no mercado global — em especial soja, petróleo e minério de ferro.

A instituição suíça alterou a projeção de alta para o PIB chinês — de 5,4%, ante 6% —, avaliando que o maior impacto deve ser sentido no consumo e no setor de serviços. As áreas representam juntas 54% do PIB — correspondiam a 42% em 2003, quando houve o surto de Sars (síndrome respiratória aguda grave).

Com a mudança no cenário global, o UBS diz esperar que o Banco Central (BC) brasileiro leve em conta o impacto negativo do coronavírus na demanda e reduza a Selic, nesta quarta-feira, para 4,25%, e na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), para 4%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mercados hoje

Bolsas sobem em Nova York após dois dias de queda, mas petróleo pressiona índice de empresas brasileiras

Otimismo com retomada da economia norte-americana impulsiona bolsas. A maior surpresa do dia é o Nasdaq, que sobe mesmo com o peso das ações da Netflix

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies