Menu
2020-05-04T14:24:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
tensão renovada

Trump volta a culpar China pelo coronavírus e diz que não cortará mais tarifas comerciais

Na semana passada Trump já havia ameaçado impor novas tarifas sobre os produtos chineses pela ‘culpa’ chinesa no surto

4 de maio de 2020
7:48 - atualizado às 14:24
China e Estados Unidos
Imagem: Shutterstock

As relações entre Estados Unidos e China voltaram a azedar durante o fim de semana e pesam nos mercados nesta segunda-feira.

Após declarar que a China 'cometeu um erro' ao 'esconder e demorar a avisar sobre a covid-19', o presidente Donald Trump informou que não irá reduzir ainda mais as tarifas comerciais impostas ao país, mesmo com os acordos firmados antes da pandemia.

Na semana passada Trump já havia ameaçado impor novas tarifas sobre os produtos chineses pela 'culpa' chinesa no surto.

Em entrevista ao canal Fox News, o presidente americano ainda declarou que não acredita que as declarações recentes possam prejudicar as relações comerciais estabelecidas com a China após um ano de negociações na área comercial.

Sobrou até para a OMS. O presidente americano afirmou que todas as medidas tomadas pela Organização Mundial da Saúde 'foram um desastre'.

A tensão entre as duas maiores economias do mundo volta a escalar em um momento em que mais de 3,5 milhões de pessoas já foram infectadas no mundo todo. O presidente americano, no entanto, acredita que uma vacina será obtida até o fim de 2020.

Reabertura

Na mesma entrevista, Trump ainda afirmou que os Estados Unidos estão prontos para uma abertura progressiva da economia e categorizou a estratégia americana como 'o melhor sistema de testes' e com o 'maior número de respiradores' do mundo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mudança nos juros

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou na decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 3,5% ao ano

CRYPTO NEWS

O mercado está cheio de bitcoin, mas as prateleiras estão vazias

O fluxo de saída da criptomoeda mais famosa das exchanges é algo inédito deste ciclo e pode representar a falta do ativo nas exchanges de cripto

DIA DE DECISÃO

Copom eleva Selic para 3,5% ao ano e indica aumento semelhante na próxima reunião

Essa é a segunda alta consecutiva da Selic em 0,75 ponto percentual — no começo do ano, a taxa de juros estava nas mínimas históricas, em 2% ao ano

FECHAMENTO

Dólar recua e bolsa sobe com mercado dando alta da Selic como certa e forte desempenho das siderúrgicas

No exterior, as bolsas operam sem um sinal único definido. Por aqui, os investidores aguardam a decisão do Copom

um viral que vale US$ 90 bi

Confira os 5 fatos que estão fazendo o Dogecoin subir (de novo) e passar a valer mais que a Petrobras

Valendo US$ 0,68 por unidade, o DOGE ficou próximo dos US$ 90 bilhões em valor de mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies