Menu
2020-04-27T16:23:37-03:00
Estadão Conteúdo
Comércio brasileiro

Superávit na balança comercial na 4ª semana de abril é de US$ 1,744 bilhão

Valor de superávit primário foi alcançado por meio de total exportações de US$ 4,205 bilhões e de importações de US$ 2,460 bilhões

27 de abril de 2020
16:23
exportação logística
Imagem: Shutterstock

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,744 bilhão na quarta semana de abril (do dia 20 ao 24). De acordo com dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 27, pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, o valor foi alcançado com exportações de US$ 4,205 bilhões e importações de US$ 2,460 bilhões.

Em abril, até o dia 24, o superávit acumulado é de US$ 5,061 bilhões. Já no total do ano, o superávit comercial está em US$ 10,624 bilhões.

No entanto, no mês, até o dia 24, houve queda de 1,3% na média diária das exportações na comparação com abril do último ano, passando de US$ 918,2 milhões para US$ 906,0 milhões.

O movimento de queda nas exportações foi puxado, principalmente, pela diminuição dos seguintes produtos: Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (-44,7%); Outros minérios e concentrados dos metais de base (-54,3%); Outros minerais em bruto (-23,1%); Pedra, areia e cascalho (-7,6%); Fertilizantes brutos - exceto adubos (-43,6%); Aeronaves e outros equipamentos, incluindo suas partes (-93,7%); Veículos automóveis de passageiros (-75,0%); Celulose (-26,9%); Obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns (-75,2%); e Partes e acessórios dos veículos automotivos (-58,2%).

Já as importações registraram baixa de 9,1% na média diária em igual comparação. Elas saíram de US$ 649,0 milhões para US$ 589,7 milhões.

O movimento de queda nas importações ocorreu, principalmente, pela diminuição nos seguintes produtos: Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (-75,3%); Cacau em bruto ou torrado (-100,0%); Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-15,6%); Centeio, aveia e outros cereais, não moídos (-50,5%); Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos (-69,9%); Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos - exceto óleos brutos (-39,3%); Partes e acessórios dos veículos automotivos (-54,4%); Válvulas e tubos termiônicas, de cátodo frio ou foto-cátodo, diodos, transistores (-33,7%); Veículos automóveis para transporte de mercadorias e usos especiais (-66,2%); e Equipamentos de telecomunicações, incluindo peças e acessórios (-18,7%).

Tanto as exportações quanto as importações de produtos são influenciados, neste mês de abril, pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre o comércio global. A corrente de comércio - que representa a soma de exportações e de importações - somou US$ 23,932 bilhões em abril até o dia 24. Neste período, a média diária foi de US$ 1,496 bilhão, o que representa uma diminuição de 4,6% em relação à medida de US$ 1,567 bilhão de abril do ano passado.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 11 milhões de casos e 266,3 mil mortes

Em 24 horas, país registra 987 óbitos e 32.321 novos diagnósticos positivos de covid-19, segundo Ministério da Saúde

Reviravolta política

Vem aí o Lula 3? Como a volta do ex-presidente ao xadrez político pesa nos seus investimentos

Ainda sob o impacto da notícia, eu conversei com gestores de fundos e analistas ao longo da tarde e da noite de ontem e trago cinco razões para o alvoroço dos investidores com a volta de Lula

Insights Assimétricos

O ruído de inflação nos EUA e o ciclo de commodities. O Brasil vai perder o bonde novamente?

O país está perdendo o ponto de entrada, mas existe uma tendência macro global que pode beneficiar nosso país, como foi no início do século 21

IR 2021

Quem pode ser declarado como seu dependente no imposto de renda

Cada dependente gera uma dedução de R$ 2.275,08 na base de cálculo do IR, além de abatimentos adicionais de despesas com saúde e educação

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies