🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: aumento da tensão em Brasília deve afetar bolsa com payroll no radar

E mais: balanços da última quinta feira que devem movimentar o Ibovespa hoje, em meio ao exterior sem direção única

Renan Sousa
Renan Sousa
6 de agosto de 2021
7:57 - atualizado às 8:14
Jair Bolsonaro, presidente da República
Imagem: Marcos Corrêa/PR

A primeira sexta-feira (06) do mês de agosto deve ser marcada por um velho inimigo dos investidores. O Ibovespa deve sentir a cautela vinda de Brasília, com o aumento da tensão política entre os Poderes. 

Vale lembrar que o mal-estar entre o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Supremo Tribunal Eleitoral (STE) respinga no Congresso Nacional e ameaça o andamento das reformas estruturais como um todo.

Mas as primeiras coisas primeiro.

O presidente do STF, ministro Luiz Fux, cancelou a reunião entre os líderes dos três poderes na noite de ontem (05). A retórica dura de Fux contra Jair Bolsonaro foi encarada como uma mudança de tom em relação ao presidente da República, que fez ameaças caso o voto impresso não fosse instaurado a tempo para as eleições de 2022. 

A PEC do voto impresso foi derrotada ontem na Comissão Especial da Câmara, por 23 votos a 11. A derrota do governo deve ter desdobramentos, em meio aos debates com a reforma tributária e o parcelamento de precatórios, as dívidas judiciais da federação. 

Enquanto o tema da reforma do Imposto de Renda e o parcelamento dos precatórios não avança, os investidores devem ficar de olho no teto de gastos, a regra que limita o avanço das despesas pela inflação.

E o Ibovespa deve digerir ainda os balanços da última quinta-feira (05), divulgados após o fechamento do pregão. Ontem, a bolsa encerrou o dia em queda de 0,14%, aos 121.632 pontos e o dólar à vista em alta de 0,57%, a R$ 5,2106.

Confira as ações que podem deixar a sua carteira mais diversificada no vídeo do Victor Aguiar no nosso canal do YouTube:

Enquanto os nós de brasília não se resolvem, fique atento ao que mais deve movimentar a bolsa hoje:

Emprego nos EUA

O dado mais esperado da semana deve ser divulgado ainda nesta sexta-feira (06). O relatório de empregos (payroll) deve apontar como anda a recuperação econômica dos Estados Unidos.

De acordo com a projeção dos especialistas ouvidos pelo Broadcast, devem ser criadas 900 mil novas vagas. Por sua vez, a taxa de desemprego deve cair de 5,9% para 5,7%, mas as perspectivas não são das melhores após o relatório ADP de empregos privados na última quarta-feira (04).

Esse relatório é considerado uma prévia do payroll dos Estados Unidos e veio abaixo do esperado. A previsão do The Wall Street Journal era de 653 mil novos postos de trabalho, mas o número veio quase pela metade, com 330 mil novas vagas de emprego em julho.

O dado deve ser acompanhado de perto pelos investidores porque a situação do emprego nos EUA é um dos parâmetros utilizados pelo Federal Reserve para o início da retirada de estímulos da economia, ou tapering, em inglês.

Dirigentes do Banco Central americano já iniciaram debates sobre o tapering, mas o presidente da instituição, Jerome Powell, quer uma normalização das taxas de desemprego no país antes da retirada dos estímulos. Powell já sinalizou que a instituição está preocupada com o momento inflacionário e que o Fed está pronto para agir se necessário. 

Bolsas pelo mundo

No último pregão da semana, as bolsas da ásia fecharam sem direção única. O sentimento negativo predominou nos mercados, apesar de algumas altas pontuais no continente.

De maneira semelhante, os mercados da Europa também abriram sem sinal único. Os investidores devem ficar de olho nos balanços da região, bem como nos dados de emprego nos Estados Unidos. 

Por falar nos EUA, Os futuros de Noba York operam próximos da estabilidade, à espera dos dados de emprego medidos pelo payroll, o relatório de empregos, e da taxa de desemprego no país. 

Agenda do dia

  • Anfavea: Dados de produção, venda e exportação de veículos e dados do setor como saldo líquido de vagas e duração dos estoques de junho (10h)
  • Estados Unidos: Relatório de empregos (payroll) de julho, taxa de desemprego e salário médio por hora (9h30)
  • G20 realiza reunião de economia digital

Compartilhe

A CULPA É DA INFLAÇÃO?

Brasil perde duas posições em ranking de competitividade, mas pode recuperar terreno com 5 medidas; veja quais

15 de junho de 2022 - 17:13

O Brasil voltou a ficar na zona de rebaixamento do ranking de competitividade mundial; o país ocupa a 59ª posição entre 63 países

FIQUE DE OLHO

Agenda de indicadores: Com o mundo de olho na inflação, ata e discursos de presidentes de sucursais do Fed são os destaques da semana; confira

11 de fevereiro de 2022 - 16:44

Por aqui, o destaque fica por conta do monitor do PIB, que deve dar pistas importantes sobre o desempenho da economia em 2021

FIQUE DE OLHO

Agenda de indicadores: Destaque da semana, inflação pelo IPCA deve apresentar desaceleração — e a política monetária ainda tem pouco a ver com isso; entenda

4 de fevereiro de 2022 - 18:02

Segundo a LCA, o indicador deve fechar o mês em 0,60%, em desaceleração frente os 0,73% de dezembro. Esse alívio, no entanto, reflete a dinâmica dos preços no início do ano — as altas na Selic só farão efeito mais adiante

segredos da bolsa

Início da temporada de balanços e crise política no Brasil devem movimentar Ibovespa esta semana

12 de julho de 2021 - 8:02

Também devem ficar no radar a divulgação do Livro Bege e falas dos dirigentes do Fed ao longo dos próximos dias

Esquenta dos Mercados

Com exterior positivo, PIB do 1º tri e balança comercial devem dar tom à bolsa

1 de junho de 2021 - 8:03

Além disso, o rali das commodities continua, com o petróleo e o minério de ferro avançando acima dos 2,0%

Mercados hoje

Payroll abaixo do esperado fortalece o Ibovespa e bolsa volta aos 121 mil pontos; dólar tem nova queda firme

7 de maio de 2021 - 10:34

O payroll era o dado mais esperado do dia no exterior. Isso fez as bolsas europeias inverterem o sinal, os futuros do petróleo Brent caírem quase 1,0% e com certeza terá reflexos nos negócios ao longo do dia

no azul

Commodities devem trazer de volta superávit nas contas externas após 14 anos

18 de abril de 2021 - 17:27

Impacto das commodities nas contas externas é cada vez maior porque o peso dos produtos básicos nas exportações brasileiras é crescente

um alívio

Após 12 semanas de alta, economistas mantêm expectativa para inflação em 2021

5 de abril de 2021 - 10:14

Por outro lado, mediana das estimativas para o PIB voltou a cair, enquanto cotação do dólar alcança R$ 5,35, de acordo com Relatório Focus

exportação em alta

Balança comercial tem superávit de US$ 1,482 bilhão em março

1 de abril de 2021 - 16:35

Importação de plataformas de petróleo fez a balança comercial registrar o menor resultado para meses de março em seis anos

impacto na indústria

Brasil deixou de exportar US$ 56,2 bi em dez anos para América do Sul

28 de março de 2021 - 14:20

Participação do país nas importações dos demais países sul-americanos caiu para 10,7% em 2019, segundo CNI

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar