Menu
2020-03-03T14:51:18-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Sem problemas

Ministro diz não crer que coronavírus tenha impacto para chegada de low costs

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse nesta terça-feira, 3, não crer que a epidemia do novo coronavírus terá impacto no interesse de empresas aéreas low cost em atuar no País

3 de março de 2020
14:50 - atualizado às 14:51
Flybondi, companhia aérea ultra low cost
Flybondi, companhia aérea ultra low cost - Imagem: Shutterstock

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse nesta terça-feira, 3, não crer que a epidemia do novo coronavírus terá impacto no interesse de empresas aéreas low cost em atuar no País. O ministro defendeu que a decisão de negócio dessas empresas estará baseada na atratividade do mercado brasileiro, como o potencial não explorado de passageiros.

"O cara quando toma decisão de investir no Brasil está enxergando o potencial que o País tem. A gente tem potencial para ser explorado que não usamos. Podemos aumentar 30%, 40% da quantidade de brasileiros voando. O coronavírus é uma coisa momentânea, daqui a pouco a gente vai ter solução para isso. Ninguém vai deixar de tomar decisão de investir por causa disso, importante é agenda que estamos construindo", disse Freitas.

Para as companhias que já estão no mercado, o ministro avaliou que pode haver um impacto pontual no início do ano em função da epidemia. "Mas tenho certeza que vai ser superado", disse.

O ministro lembrou do pacote de medidas que a pasta vem estudando para o setor de aviação, revelado pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) em dezembro, que envolve novidades na regulamentação e na questão tributária. Freitas destacou os estudos para quebrar a concentração de empresas na área de distribuição do querosene de aviação.

O pacote também busca introduzir no País um combustível que é ligeiramente mais barato, já usado nos EUA, zerar o PIS/Cofins do querosene de aviação e acabar com o monopólio da Petrobras na venda do produto. "O que dá para fazer no campo regulatório e no campo da diminuição de imposto, isso vai ser feito, vai aumentar concorrência, e elas estão vindo", disse.

Resiliência

O mercado brasileiro de aviação mostrou "resiliência surpreendente" no ano de 2019, disse o ministro, citando problemas enfrentados, como a saída da Avianca e com o Boeing 737 MAX. Entre os indicadores citados está a queda no preço das passagens aéreas no fim do ano passado.

"As passagens aéreas já começaram a cair, estamos começando a equilibrar oferta e demanda", disse durante a cerimônia do Prêmio Aeroportos + Brasil, promovido pelo governo.

Como antecipou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) em fevereiro, o preço médio real da tarifa no mercado doméstico observou queda de 5,7% em dezembro, em relação ao mesmo período de 2018.

Ao parabenizar as companhias e aeroportos vencedores do prêmio, o ministro afirmou que o programa de concessões aeroportuárias foi responsável por conferir um impulso de qualidade no setor. Para Freitas, a Infraero também "aprendeu" com as concessões, e agora "disputa de igual para igual", citando os prêmios levados pelo Aeroporto Internacional de Curitiba Afonso Pena.

O Afonso Pena está na lista de 22 aeroportos que serão concedidos à iniciativa privada na sexta rodada de concessões, marcada para ocorrer neste ano. O terminal dividiu com Viracopos o prêmio 'Aeroporto + Brasil' (melhor do País na opinião dos passageiros) na categoria de aeroportos com entre 5 e 15 milhões de passageiros.

Com até 5 milhões, o vencedor foi o Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, em Vitória, e, com mais de 15 milhões, o prêmio foi para o Aeroporto internacional de Brasília Juscelino Kubitschek - concedido à iniciativa privada em leilão realizado em 2012 e operado pela Inframérica.

Em recuperação judicial, Viracopos conquistou também outros prêmios: de mais serviços ao passageiro em aeroportos com 5 a 15 milhões de passageiros (categoria que também dividiu com o Afonso Pena); e de Aeroporto com Raio X mais eficiente com entre 5 e 15 milhões de passageiros.

O plano de recuperação judicial de Viracopos foi aprovado fevereiro, e o governo já trabalha para fazer a relicitação do aeroporto. No mês passado, o Ministério da Infraestrutura publicou o edital de chamamento público para as empresas e consórcios autorizados a apresentarem projetos, levantamentos, investigações e estudos técnicos que subsidiarão a modelagem da concessão para expansão, exploração e manutenção de Viracopos.

Segundo Freitas, o aeroporto vai entrar na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) de imediato, já que o governo espera fazer o leilão em 2021.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Balanços

Por que as ações do Santander caem mesmo com lucro acima do esperado?

Ninguém discorda que os resultados do Santander foram muito bons. Mas os analistas que cobrem o banco questionaram se os números se sustentam nos próximos balanços

CRESCENDO

Superintendência do Cade aprova compra da Easynvest pelo Nubank

Compra da Easynvest é a terceira feita pelo Nubank em 2020 e visa atingir desbancarizados

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Exile on Wall Street

Save the date: a alma do investidor imoral

Assim como a vida, o investimento também é um ato de equilibrar forças ambivalentes, a intuição de Dionísio com as técnicas de valuation nas planilhas de Apolo

Mercados hoje

Ibovespa cai em meio a exterior misto, com peso de Petrobras e JBS

A temporada de balanços corporativos, com os resultados do terceiro trimestre de 2020, começa a ganhar força no Brasil e no exterior; por aqui, ações do Santander caem após resultados positivos, e pesos-pesados como Petrobras e JBS arrastam a bolsa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies