Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-30T11:00:19-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Ministro fala

Medidas contra coronavírus vão injetar R$ 750 bilhões em 3 meses, diz Paulo Guedes

Guedes afirmou que o rumor sobre uma eventual saída do governo é “conversa fiada total” e que a conta das medidas de estímulo não será paga pelas futuras gerações

28 de março de 2020
20:03 - atualizado às 11:00
Entrevista coletiva do ministro da economia, Paulo Guedes
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

As medidas anunciadas pelo governo para combater os efeitos do coronavírus vão injetar R$ 750 bilhões na economia nos próximos três meses. A afirmação é do ministro da Economia, Paulo Guedes, que participou de uma transmissão ao vivo promovida pela XP Investimentos no YouTube neste sábado (28).

A conta inclui os R$ 200 bilhões em recursos do depósito compulsório que foram liberados pelo Banco Central. Outros R$ 150 bilhões virão do BNDES e da Caixa Econômica Federal.

A antecipação do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS e o diferimento do pagamento do Simples por micro e pequenos empresários representam mais R$ 150 bilhões na economia, segundo Guedes.

O auxílio de emergência aos 38 milhões de trabalhadores informais deve liberar mais mais R$ 50 bilhões, de acordo com o ministro. Guedes também mencionou a inclusão de mais 1,2 milhão de pessoas entre os beneficiários do bolsa-família.

O governo vai entrar com mais R$ 50 bilhões na complementação da folha de pagamento das empresas. A medida ainda não está pronta, mas deve sair nos próximos dias, segundo o ministro.

Além do recurso direto, o Banco Central anunciou ontem uma linha de crédito de R$ 40 bilhões para financiar a folha de pagamento das pequenas e médias companhias.

Por fim, o ministro mencionou a liberação de R$ 88 bilhões em recursos para os governadores e disse que também fará um programa para os municípios.

Os recursos devem aumentar o rombo das contas públicas em 4,8% do PIB. “Vamos ter um déficit extra, mas não tem problema. Não vamos deixar os brasileiros pra trás.”

O ministro afirmou, contudo, que as medidas são temporárias e que a agenda de reformas deve ser retomada ainda neste ano.

“Não vamos empurrar essa conta para as futuras gerações” – Paulo Guedes, ministro da Economia

“Conversa fiada”

Guedes afirmou que o rumor sobre uma eventual saída do governo é “conversa fiada total”. “O presidente tem total confiança no meu trabalho. Como vou sair com o país no momento mais grave?”, afirmou, ao comparar o choque do coronavírus a um meteoro.

Após ter sido “despejado”, nas palavras do ministro, do hotel onde morava, Guedes passou os últimos dias do Rio de Janeiro, o que rendeu uma série de especulações sobre o futuro dele no governo.

O ministro afirmou que voltará amanhã a Brasília e vai se instalar com a família na Granja do Torto, a convite de Jair Bolsonaro.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Prévia da estatal

Petrobras (PETR4) anuncia produção do terceiro trimestre hoje, mas os dados da ANP já antecipam o que vem por aí; confira

Os dados chegam ao mercado em um momento de fortes críticas à política de preços da companhia e ameaças de desabastecimento

Exile on Wall Street

Quem não tem teto de vidro? As implicações das ameaças ao teto de gastos sobre seus investimentos

Ameaça ao teto fiscal exige atenção redobrada sobre a necessidade de diversificação e algumas proteções para a carteira – e há possíveis bons hedges para o momento

bitcoin (BTC) hoje

É recorde! Bitcoin (BTC) atinge nova máxima histórica com o novo rali das criptomoedas

A aprovação do ETF nos EUA impulsionou a alta do bitcoin, mas a principal criptomoeda do mercado pode subir ainda mais, segundo analistas

MERCADOS HOJE

Ibovespa engata recuperação, mas segue sob pressão do risco fiscal; dólar tem alívio após leilão do BC, mas juros futuros disparam

A agenda local está esvaziada nesta semana, mas os investidores aguardam por um desfecho para a PEC dos precatórios

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje: estaria o governo querendo furar o teto?

Ignorando o bom humor internacional de ontem, nós brasileiros vivemos nossa própria realidade, muito afetados com o vaivém de Brasília, que prejudicou bastante os mercados e que promete prejudicar ainda mais nos próximos dias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies