2020-11-30T09:20:10-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
relatório focus

Economistas elevam pela 16ª semana seguida projeção para inflação em 2020

Aceleração dos preços dos alimentos faz mediana de estimativas para IPCA avançar par 3,54%, segundo BC

30 de novembro de 2020
9:20
Imagem: Shutterstock

Os economistas continuam revisando para cima as projeções para a inflação ao final de 2020, em meio à aceleração da alta dos preços dos alimentos.

Segundo o Boletim Focus do Banco Central, que reúne as projeções dos profissionais que atuam no mercado financeiro e que foi divulgado nesta segunda-feira (30), a mediana das estimativas passou a apontar uma alta de 3,54% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano.

Esta foi a 16ª semana consecutiva que o relatório mostra um ajuste positivo no principal indicador de inflação do País. Na semana passada, a expectativa era de fechar 2020 com um avanço de 3,45%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2020 foi de 3,39% para 3,51%.

O IPCA está em trajetória de alta desde a segunda metade do ano. A prévia do índice para novembro, o IPCA-15, apresentou avanço de 0,81%, maior leitura para o mês desde 2015 (0,85%), apesar de 0,13 ponto percentual (p.p.) menor que o apurado em outubro (0,94%). Os alimentos foram novamente os responsáveis pela maior parte da inflação no começo do mês.

Para 2021, a mediana foi elevada pela sexta semana seguida, indo de 3,40% para 3,47%. A estimativa das instituições no Top 5 passou de 3,31% para 3,40%, depois de ter recuado na semana passada.

Menor contração

Enquanto as estimativas para inflação continuarão sendo revisadas para cima, os economistas ouvidos pelo BC melhoraram pela quarta semana consecutiva a projeção para a atividade do País,

A mediana para o PIB de 2020 passou de uma retração de 4,55% para uma contração de 4,50%. Para 2021, as estimativas foram elevadas de uma expansão de 3,40% para um crescimento de 3,45%.

O IBGE vai divulgar o desempenho da economia no terceiro trimestre nesta quinta-feira (3). O PIB do segundo trimestre, em função da covid-19, apresentou forte queda na comparação trimestral (-9,7%) e na anual (11,9%).

Câmbio e contas públicas

Pela terceira semana consecutiva, os economistas reduziram a projeção para a taxa de câmbio entre real e dólar em 2020, desta vez de R$ 5,38 para R$ 5,36. A mediana das projeções para 2021 permaneceu em R$ 5,20.

A estimativa para a dívida líquida do setor público, como proporção do PIB, foi levemente revisada para baixo, de 67% para 66,2%. Já para o déficit primário, também como proporção do PIB, foi de 11,80% para 11,50%. O resultado primário considera o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Levando em conta os juros, a estimativa foi de 15,51% para 15,31%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022

INCERTEZAS NO RADAR

CEO da Moderna levanta dúvidas sobre eficácia de vacinas contra a ômicron e provoca reação negativa nos mercados

Stéphane Bancel disse que cientistas consultados por ele esperam ‘queda significativa’ na eficácia dos imunizantes contra a nova cepa

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Os investidores agora viraram virologistas: os impactos da Ômicron sobre os mercados

Ainda não sabemos o bastante para decidir se esta é uma oportunidade de compra, mas parecemos estar mais preparados como sociedade para enfrentar o problema

VAREJO DECEPCIONADO?

Black Friday supera prévias, mas vendas do fim de semana ainda perdem para os números registrados em 2019

Segundo índice calculado pela Cielo, as vendas cresceram 6,9% em relação ao ano passado, mas foram 3,8% inferiores ao período pré-pandemia