Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-24T18:05:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
NOVAMENTE PELOS ALIMENTOS

IPCA-15 registra maior leitura para novembro desde 2015

Resultado representa uma desaceleração ante outubro, mas vem acima da mediana das expectativas dos analistas de mercado

24 de novembro de 2020
9:42 - atualizado às 18:05
inflação IPCA
Imagem: Shutterstock

A inflação deu sinais de desaceleração entre outubro e novembro, mas permanece em patamares historicamente elevados. A prévia do índice oficial de preços do País, o IPCA-15, ficou em 0,81% em novembro, maior leitura para o mês desde 2015 (0,85%). Os dados foram divulgados nesta terça-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou dentro do intervalo de estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam que a alta do IPCA-15 ficasse entre 0,63% e 0,86%. Mas o resultado superou a mediana, de 0,72%.

A taxa de novembro é 0,13 ponto percentual (p.p.) menor que a registrada em outubro (0,94%). No ano, o índice acumula alta de 3,13%, longe do centro da meta de inflação, de 4%.

Já o acumulado dos últimos 12 meses é de 4,22% contra 3,52% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. As projeções do mercado iam de avanço de 4,03% a 4,27%, com mediana de 4,12%.

Para o cálculo do IPCA-15, o IBGE coletou os preços apurados no período de 14 de outubro a 12 de novembro, que foram comparados com aqueles vigentes de 12 de setembro a 13 de outubro. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

Alimentos, novamente

Os alimentos foram novamente os responsáveis pela maior parte da inflação do começo de novembro, segundo o IBGE. Com alta de 2,16%, o grupo teve uma influência positiva de 0,44 p.p. no IPCA-15 do período. No ano, o grupo acumula alta de 12,12%.

Um dos destaques do período analisado foram os preços dos alimentos para consumo no domicílio, que subiram 2,69%. Eles foram influenciados pela alta de itens importantes no consumo das famílias, como as carnes (4,89%), o arroz (8,29%) e a batata-inglesa, que passou de uma queda de 4,39% em outubro para alta de 33,37% em novembro.

Também tiveram valorização o tomate (19,89%) e o óleo de soja (14,85%). Entre as quedas, a principal foi a do leite longa vida (-3,81%).

O IBGE informou ainda que a alimentação fora do domicílio também contribuiu para a alta do IPCA-15 de novembro, acelerando de 0,54% em outubro para 0,87% em novembro, principalmente em função da alta do item lanche (1,92%). Já refeição variou (0,49%), menos que a alta de outubro (0,93%).

Outros segmentos e regiões

Apesar de ter registrado a maior alta no começo deste mês, o grupo de alimentos e bebidas não foi o único responsável pela aceleração do IPCA-15.

De acordo com o IBGE, todos os demais grupos apuraram inflação. Os outros destaques foram transportes (1%), artigos de residência (1,40%), habitação (0,34%) e vestuário (0,96%).

E todas as regiões do País apresentaram alta na prévia do índice. O menor resultado verificado na Região Metropolitana de Recife (0,31%), especialmente por conta da queda nos preços da gasolina (-1,37%); e o maior no município de Goiânia (1,26%), onde a alta de 3,25% na gasolina foi a principal responsável.

* Com informações da Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Coluna do jojo

Mercados hoje: Em terra de Copom, quem sobe os juros é rei

Para hoje, além da continuidade da temporada de resultados com pesos pesados – por aqui, esperamos nomes como Gerdau, Banco do Brasil e Petrobras –, mais pesquisas de opinião sobre o sentimento empresarial estão por vir

O melhor do seu dinheiro

O que mexe com seu dinheiro: bolão do Copom na bolsa, novo fundo da Inter, IPO da Raízen e mais

Bem, amigos do Seu Dinheiro. Hoje é dia de decisão! Com o desfalque do diretor Bruno Serra, que testou positivo para a covid-19, o Banco Central entra em campo nesta quarta-feira para definir a taxa básica de juros (Selic). Haja coração! As reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) são para a imprensa econômica o […]

Cliente difícil

Barrada na alfândega: Carne de unidade da BRF não é mais bem vinda na China

País asiático suspende compra de produtos suínos e de aves processados na unidade de Lucas do Rio Verde (MT), alegando problemas no transporte

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: cautela antes da decisão do Copom e risco fiscal devem dividir atenção com balanços do dia

Em meio ao exterior positivo, bolsa brasileira deve lidar com cenário interno de incertezas quanto ao teto de gastos

Preparar para decolagem

Renovação total: Gol faz acordo para adquirir aviões novos; veja os detahes

Presidente da companhia aérea afirma que movimento é uma antecipação à esperada retomada da demanda por viagens após a pandemia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies