Menu
2020-11-30T09:20:10-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
relatório focus

Economistas elevam pela 16ª semana seguida projeção para inflação em 2020

Aceleração dos preços dos alimentos faz mediana de estimativas para IPCA avançar par 3,54%, segundo BC

30 de novembro de 2020
9:20
inflação consumo
Imagem: Shutterstock

Os economistas continuam revisando para cima as projeções para a inflação ao final de 2020, em meio à aceleração da alta dos preços dos alimentos.

Segundo o Boletim Focus do Banco Central, que reúne as projeções dos profissionais que atuam no mercado financeiro e que foi divulgado nesta segunda-feira (30), a mediana das estimativas passou a apontar uma alta de 3,54% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano.

Esta foi a 16ª semana consecutiva que o relatório mostra um ajuste positivo no principal indicador de inflação do País. Na semana passada, a expectativa era de fechar 2020 com um avanço de 3,45%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2020 foi de 3,39% para 3,51%.

O IPCA está em trajetória de alta desde a segunda metade do ano. A prévia do índice para novembro, o IPCA-15, apresentou avanço de 0,81%, maior leitura para o mês desde 2015 (0,85%), apesar de 0,13 ponto percentual (p.p.) menor que o apurado em outubro (0,94%). Os alimentos foram novamente os responsáveis pela maior parte da inflação no começo do mês.

Para 2021, a mediana foi elevada pela sexta semana seguida, indo de 3,40% para 3,47%. A estimativa das instituições no Top 5 passou de 3,31% para 3,40%, depois de ter recuado na semana passada.

Menor contração

Enquanto as estimativas para inflação continuarão sendo revisadas para cima, os economistas ouvidos pelo BC melhoraram pela quarta semana consecutiva a projeção para a atividade do País,

A mediana para o PIB de 2020 passou de uma retração de 4,55% para uma contração de 4,50%. Para 2021, as estimativas foram elevadas de uma expansão de 3,40% para um crescimento de 3,45%.

O IBGE vai divulgar o desempenho da economia no terceiro trimestre nesta quinta-feira (3). O PIB do segundo trimestre, em função da covid-19, apresentou forte queda na comparação trimestral (-9,7%) e na anual (11,9%).

Câmbio e contas públicas

Pela terceira semana consecutiva, os economistas reduziram a projeção para a taxa de câmbio entre real e dólar em 2020, desta vez de R$ 5,38 para R$ 5,36. A mediana das projeções para 2021 permaneceu em R$ 5,20.

A estimativa para a dívida líquida do setor público, como proporção do PIB, foi levemente revisada para baixo, de 67% para 66,2%. Já para o déficit primário, também como proporção do PIB, foi de 11,80% para 11,50%. O resultado primário considera o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Levando em conta os juros, a estimativa foi de 15,51% para 15,31%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

Expectativa vs. realidade

Quando eu estava na terceira série do ensino médio, o coordenador do curso deu um alerta aos alunos: em geral os estudantes agem como se o vestibular fosse o objetivo final, e quando passam têm aquela sensação de “ah! Nunca mais vou precisar estudar!” Mas é depois do vestibular que a coisa começa a ficar […]

mudança nas estruturas

Acionistas da Cosan aprovam reorganização societária

Com isso, Cosan Logística e Cosa Limited serão incorporadas pela Cosan

FECHAMENTO DA SEMANA

Ano novo, vida velha: Ibovespa recua e dólar sobe mais de 2% com piora do cenário fiscal e avanço da covid-19

Semana foi negativa para os mercados brasileiros mesmo após a aprovação de vacinas e entusiasmo com Biden no exterior

preocupação

Ex-BCs dizem que atraso na vacinação preocupa por pressão fiscal

Carlos Viana disse não ver uma mudança estrutural no processo inflacionário no País, onde, assim como a atual direção do BC, vê como temporário os choques de preços

pandemia

Anvisa aprova segundo lote da vacina CoronaVac

Diferença da análise do segundo lote para o primeiro está no fato de que o envase e os processos de rotulagem e embalagem ocorrem no Instituto Butantan

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies