Menu
2020-03-27T14:54:30-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
efeito coronavírus

Economia mundial vai encolher 2,1% em 2020, diz Moody’s

Zona do euro deve ter retração de 6,5% e a China de 0,1% este ano, de acordo com as previsões atualizadas

27 de março de 2020
14:53 - atualizado às 14:54
crise recessão mundo
Imagem: Shutterstock

A economia mundial inteira deve ter recessão em 2020, com o Produto Interno Bruto (PIB) devendo encolher 2,1%, prevê a Moody's Analytics. Segundo a instituição, os Estados Unidos devem registrar queda de 2,3%.

Já a zona do euro deve ter retração de 6,5% e a China de 0,1% este ano, de acordo com as previsões atualizadas, apresentadas em conferência pela internet nesta sexta-feira (27).

O economista-chefe da Moody's Analytics, Mark Zandi, reforçou que as previsões vêm sendo revistas para baixo em velocidade impressionante e as chances ainda são de piora nos números, dependendo do avanço da pandemia de coronavírus.

No caso dos Estados Unidos, a perda acumulada no PIB desde o início da crise já é de 3%, com vários locais, como Nova York e Pensilvânia, paralisados. "Vamos ver perda substancial de emprego", disse ele.

Oferta e demanda

Por enquanto, a maior parte do estrago causado pela pandemia nos EUA e na economia mundial é do lado da oferta, disse Zandi, ressaltando que a crise afetou cadeias internacionais de produção e serviços.

Mas está vindo piora também pelo lado da demanda, na medida em que o desemprego já está em forte alta, fazendo com que as pessoas tenha perda importante de renda e posterguem gastos. Na quinta, 26, os pedidos semanais de auxílio-desemprego dos EUA dispararam para 3,2 milhões, recorde histórico.

Zandi disse que as hipóteses da Mooody's levam em conta que a maioria do impacto negativo da pandemia ocorra de agora, passe pelo mês de abril e continue em maio, mas comece a se dissipar.

Com isso, o segundo semestre pode ser de recuperação. O PIB americano deve ter contração de 18,2% no segundo trimestre e depois crescer 11,1% no terceiro e 2,4% no quarto, em valores anualizados.

Há "incertezas conhecidas" que dificultam prever melhor o cenário, ressaltou o economista. Entre elas, até quando os novos casos vão continuar a crescer; quando as quarentenas vão acabar por completo; a eficácia dos estímulos dos governos; o tamanho do impacto nos índices de confiança dos agentes.

Sobre a China, a previsão da Moody's Analytics é que o PIB tenha contração de 29% neste primeiro trimestre, pois o país foi afetado primeiro e depois se recupere 14,9% no segundo período, 27,7% no terceiro e 13% no quarto.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

decisão judicial

Justiça ordena religação de internet do governo do RJ; Oi alega inadimplência

Empresa acusa o governo do Estado de ter uma dívida com a empresa desde 2017 – hoje ela está em R$ 300 milhões

promessa de ipo

Locaweb compra ConnectPlug por R$ 18 milhões e avança em segmento de alimentação

Empresa comprada começou em food services mas hoje também atende outros segmentos, com foco em pequenas e médias empresas

seu dinheiro na sua noite

Mais fácil falar que fazer

Hoje foi um daqueles dias em que as falas dos detentores do poder no cenário doméstico até repercutiram no mercado, mas foram sobrepostas pelos fatos e pelo que aconteceu no exterior. O mercado local começou o dia animado com as apresentações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no badalado evento […]

perspectivas

Para Verde e SPX, auxílio emergencial por mais três meses não é preocupante

Luis Stuhlberger e Rogério Xavier dizem que a medida pode ser necessária, caso a vacinação demore demais; ambos veem 2021 positivo para os mercados

FECHAMENTO

Aceno liberal do governo não convence e bolsa fecha o dia no vermelho; na contramão, dólar cai mais de 3%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, mas o mercado espera ações mais concretas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies