Menu
2020-06-09T07:33:05-03:00
Estadão Conteúdo
em meio à crise

China bate Brasil em comércio com a Argentina

Principal produto da balança comercial brasileira com o vizinho são automóveis e componentes, cujos negócios despencaram

9 de junho de 2020
7:32 - atualizado às 7:33
China
Imagem: Shutterstock

Pela primeira vez a China desbancou o Brasil como maior parceiro comercial da Argentina. Em abril, o país vizinho exportou US$ 509 milhões para os chineses principalmente em soja e carne bovina, um aumento de 50,6% ante igual mês de 2019.

Para o mercado brasileiro, as exportações somaram US$ 387 milhões, queda de 57,3%. Já as importações continuaram favoráveis ao Brasil, mas os chineses encerram o mês com saldo positivo de US$ 98 milhões no comércio bilateral, e o Brasil teve déficit de US$ 132 milhões.

No acumulado do quadrimestre, contudo, o Brasil comprou mais que o dobro de produtos argentinos se comparado aos chineses e contabiliza saldo positivo de US$ 75 milhões, enquanto o da China é negativo em R$ 1 bilhão, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística da Argentina (Indec).

O resultado de abril pode se manter nos próximos meses, já que a China têm condições de financiar grande parte das compras da Argentina - que passa por grave crise financeira -, ao contrário do Brasil. Soma-se a isso as constantes desavenças entre o governo de Jair Bolsonaro com a China, que pode afetar a relação comercial.

Mesmo sendo um mercado pequeno, a Argentina é atraente para a China “que vai procurar ocupar todos os espaços em todos os mercados”, avalia José Augusto de Castro, da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). Ele ressalta ainda que, no caso das importações, os chineses oferecem descontos de até 75% no valor das mercadorias.

“No curto prazo não tem como reverter isso, pois o custo Brasil continua alto”, afirma Castro. “Mas se o Brasil deixar a China colocar seus pés na América do Sul, ela vai ocupar todos os países da região.”

O principal produto da balança comercial brasileira com o vizinho são automóveis e componentes, cujos negócios despencaram primeiro por causa da crise argentina e agora em razão da pandemia da covid-19. Além disso, o governo argentino voltou a colocar barreiras burocráticas e atualmente pelo menos 10 mil veículos, a maioria produzida no Brasil, está retida nos portos da fronteira aguardando autorização para entrar em território argentino.

Para Martín Kalos, economista e diretor de EPyCA Consultores, da Argentina, a China deve se consolidar ao longo dos próximos anos como principal destino das exportações argentinas. No caso de abril, contudo, ele ressalta que o Brasil ainda enfrenta problemas para controlar o coronavírus, enquanto a China já passou dessa fase.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Temos vacina!

Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca

Primeiros profissionais de saúde já foram vacinados em pronunciamento do governador de São Paulo, João Doria

Mais uma recomendação

Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford/AstraZeneca

Mais cedo, área técnica havia defendido aprovação da CoronaVac

Ainda falta...

Anvisa devolve pedido de uso emergencial da Sputnik

Laboratório russo não apresentou os requisitos mínimos para que o pedido de uso emergencial pudesse ser analisado pela agência

Quase lá

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

Diretores da agência analisam pedidos de uso de vacinas. No momento, a área técnica ainda faz a apresentação. Em seguida, a relatora do tema, diretora Meiruze Freitas lerá seu voto, com os outros quatro diretores da agência votando depois

coronavírus

Covid-19: Brasil tem 8,4 milhões de casos e 61 mil novos diagnósticos nas últimas 24h

Segundo ministério, 7.388.784 pacientes recuperaram-se da doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies