Menu
2020-01-25T17:49:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
CORONAVÍRUS

Xi Jinping alerta para a ‘grave situação’ criada pela disseminação ‘acelerada’ do novo coronavírus

Até agora, as autoridades disseram que a doença já infectou mais de 1.300 pessoas e matou 41. Mas a Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves

25 de janeiro de 2020
17:49
Vírus coronavírus China Ibovespa
Imagem: Shutterstock

Diante do agravamento da situação na China, o presidente do País, Xi Jinping, convocou uma reunião especial no feriado do Ano Novo Lunar e classificou a "acelerada" propagação do novo tipo de coronavírus como "grave". As informações são do site Business Insider.

Até agora, as autoridades disseram que a doença já infectou mais de 1.300 pessoas e matou 41. Mas a Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves.

Segundo o site, durante a reunião, o presidente estabeleceu uma força-tarefa para enfrentar a crise e garantiu que vai aumentar o monitoramento de passageiros e visitantes em estações ferroviárias, aeroportos e portos.

"Temos certeza de que seremos capazes de vencer esta batalha por meio da prevenção e do controle", disse Xi.

Os comentários do presidente vieram alguns dias depois de um "certo período de silêncio" em que a autoridade preferiu não comentar sobre o tema, ainda que as frustrações aumentassem sobre o poder acelerado de propagação do novo vírus.

Autoridades locais em Wuhan, uma cidade de aproximadamente 11 milhões de habitantes na província de Hubei, no centro da China, estiveram à frente da resposta inicial aos crescentes relatos do vírus misterioso.

A cidade está em quarentena desde quinta-feira e as viagens para dentro ou para fora da área foram canceladas. No entanto, o prefeito de Wuhan admitiu que "os avisos iniciais não eram suficientes".

Além disso, as autoridades chinesas fecharam vários pontos turísticos, como o parque temático da Disney, de Xangai e a Cidade Proibida, em Pequim.

Coronavírus e os mercados

Ao longo da semana, o noticiário referente ao novo tipo de coronavírus trouxe volatilidade às negociações, mexendo com o Ibovespa e as demais bolsas do mundo.

A tensão com o novo vírus coronavírus freou os ganhos, mas foi incapaz de trazer uma onda de pessimismo completa às bolsas.

O Ibovespa, por exemplo, fechou em queda de 0,96% na última sexta-feira (24), aos 118.376,36 pontos. Com isso, o principal índice da bolsa brasileira terminou a semana com uma leve baixa acumulada de 0,09% — praticamente no zero a zero. No mês, a alta é de 2,36%.

Nos Estados Unidos, o desempenho semanal foi um pouco pior, mas nada que inspire pânico: o Dow Jones caiu 1,22% desde segunda-feira, o S&P 500 recuou 1,02% e o Nasdaq teve perda de 0,79%.

O mercado de câmbio, por sua vez, fechou em alta. Ontem (24), o dólar à vista subiu 0,43%, a R$ 4,1845, terminando a semana com um ganho de 0,48%. A moeda americana está pressionada, mas ainda possui alguma folga em relação às máximas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies