Menu
2020-11-04T17:32:04-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Mercados hoje

Ibovespa dispara com exterior em meio à eleição indefinida; dólar e juros caem com cenário político

Apreciação de vetos e projeto de autonomia do BC aliviam moeda e taxas futuras, que fecharam em queda forte. De olho no exterior otimista, o Ibovespa abriu o dia em alta, enquanto investidores acompanham de perto a contagem dos votos nos Estados Unidos

4 de novembro de 2020
10:37 - atualizado às 17:32
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O dia é de força das bolsas nos mercados financeiros globais, em meio à apuração dos votos da eleição presidencial da maior economia mundial, que deve seguir por mais algum tempo antes que o vencedor seja anunciado.

Ainda assim, a dianteira por margem pequena tomada pelo democrata Joe Biden em Estados-chave como Wisconsin e Michigan tira um pouco da aflição de investidores, fazendo os índices futuros em Nova York virarem pela manhã. A falta de uma "onda azul" também ajuda os índices, uma vez que desta forma, com Senado e Câmara divididos entre republicanos e democratas, será mais difícil regular setores dos mercados.

O cenário político local, de outro lado, também ajuda a aliviar a pressão sobre o dólar e a curva de juros futuros, que precificam o risco fiscal.

Com a perspectiva de votação sobre vetos presidenciais no Congresso, além do projeto de autonomia do Banco Central aprovado, esses mercados experimentam um alívio nesta quarta-feira (04).

Os investidores do mundo todo acompanham de perto a contagem dos votos, com a apuração esteja acirrada e a "onda azul" esperada pelos especialistas não se concretizando.

Apesar da incerteza sobre quem será o próximo presidente dos Estados Unidos e da ameaça do republicano Donald Trump de ir à Suprema Corte do país contestar o resultado, as bolsas continuam a operar em alta hoje, após uma sessão positiva ontem. Na esteira desse movimento, o Ibovespa abriu o dia em alta e continua avançando.

Por volta das 16h55, o principal índice da bolsa brasileira subia 2,2%, aos 98.054,68 pontos — papéis de varejistas como Magazine Luiza ON (MGLU3), B2W ON (BTOW3), Via Varejo ON (VVAR3) e Lojas Renner ON (LREN3) estão entre os maiores ganhos percentuais, na esteira da disparada do índice Nasdaq, que reúne ações de tecnologia dos Estados Unidos.

Além disso, as ações de empresas do ramo da construção civil, como Cyrela ON (CYRE3), MRV ON (MRVE3) e EZTEC ON (EZTC3), também lideram a alta do índice.

Maior alta do Ibovespa no ano, Weg ON (WEGE3) também é outro destaque hoje, como Itaú PN (ITUB4)o bancão publicou balanço ontem à noite e anunciou a separação da participação na XP Investimentos em uma nova empresa.

Top 5

Veja as maiores altas percentuais do Ibovespa agora:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
CYRE3Cyrela ON             24,41 6,87%
BTOW3B2W ON             81,10 6,74%
LREN3Lojas Renner ON             40,55 6,57%
MRVE3MRV ON             17,97 5,89%
B3SA3B3 ON             53,87 5,69%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
CSNA3CSN ON             21,32 -4,78%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PN                9,94 -4,42%
GGBR4Gerdau PN             22,21 -4,18%
USIM5Usiminas PNA             11,11 -4,06%
IRBR3IRB ON                6,19 -3,28%

Dólar segue em queda; juros fecham em baixa forte

O noticiário local descomprime a pressão existente sobre alguns ativos em que está embutido o risco político, uma vez que há a percepção de andamento da agenda econômica no Congresso após nervosismo em razão de declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Neste contexto, o dólar cai 1,7%, sendo cotado a R$ 5,6643, em meio à perspectiva de apreciação de 41 vetos presidenciais.

Entre eles, estão o veto à prorrogação da desoneração da folha de pagamento — que há pouco foi derrubado pela Câmara por 430 votos a favor e 33 contrários —, além do veto que retirou 12 dispositivos da lei que amplia os beneficiários do auxílio emergencial.

A moeda americana também não exibe força nesta quarta frente a divisas fortes, como euro, libra e iene. O Dollar Index (DXY) aponta leve enfraquecimento do dólar, e os pares emergentes do real também se apreciam diante da divisa — caso do peso mexicano, do rublo russo e do rand sul-africano.

Enquanto isso, os juros futuros tombam, um dia após a aprovação do projeto de autonomia do Banco Central no Senado — o texto agora segue para a Câmara dos Deputados.

  • Janeiro/2021: de 1,954% para 1,945%
  • Janeiro/2022: de 3,51% para 3,46%
  • Janeiro/2023: de 5,18% para 5,06%
  • Janeiro/2025: de 6,92% para 6,76%

Exterior positivo

Lá fora, os principais índices acionários operam em alta. Os negócios na Europa até começaram o dia no vermelho, mas se recuperaram ao longo da manhã, após bons dados da economia do bloco europeu.

Em meio a um cenário favorável se desenhando em favor de Biden nos estados de Michigan e Wisconsin, os investidores tomaram um fôlego extra e as principais praças do velho continente, como Frankfurt, Londres e Paris, fecharam com ganhos de ao menos 1,7%.

Na madrugada, as bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta, e os índices acionários em Wall Street indicam um dia de otimismo e apetite ao risco nos mercados — marcando um avanço de no mínimo 2,15%.

No entanto, a perspectiva de que Donald Trump conteste o resultado — se sair perdedor — tem deixado os investidores apreensivos.

O atual presidente já declarou vitória antes da hora e promete não aceitar facilmente o resultado. Trump citou "fraude" e disse que vai brigar na Suprema Corte do país pela recontagem de votos.

Até o momento, Biden lidera a corrida, com 238 delegados computados, contra 213 de Trump. Para declarar vitória, é necessário o número mínimo de 270 delegados. Vitórias em Nevada (onde a apuração só será retomada amanhã), Michigan e Wisconsin, estados em que o democrata lidera por margem muito pequena no momento, elegeriam Biden.

Em segundo plano fica também a preocupação dos investidores com o crescimento do número de casos do coronavírus na Europa e as novas medidas de isolamento social.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Estamos em um novo ciclo de alta de commodities?

Por que está se falando tanto em commodities? Isso é o que Matheus Spiess te explica no vídeo de hoje. Observando o histórico de ciclos de alta de commodities, presenciamos ciclos de altas de preços nas matérias primas. E estudos dizem que estamos na beira de um SUPERCICLO. Vamos ao passado: Início de 1900: 2º […]

Controle total

Petrobras: Cade aprova venda da participação da estatal em eólica para FIP Pirineus

Após a assinatura do acordo de R$ 32,97 milhões, o FIP Pirineus passa a deter o controle unitário do empreendimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies