🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Commodities puxam Ibovespa, que sobe 1,3% na semana; dólar volta a cair e vai a R$ 5,14

O Ibovespa teve uma semana marcada por expectativas para os juros e inflação. O dólar à vista voltou a cair após atingir máximas em 20 anos

Jasmine Olga
Jasmine Olga
9 de setembro de 2022
18:42 - atualizado às 17:41
vale minério de ferro valorização
Imagem: Pexels/Montagem: Julia Shikota

Apesar de a semana ter sido mais curta tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, os últimos pregões não estiveram livres de grandes emoções. 

Nos Estados Unidos e na Europa, os dias foram marcados por sinalizações mais duras dos bancos centrais, preparando o cenário para que mais ajustes de grande magnitude ocorram nas próximas reuniões de política monetária. 

No Brasil, uma decepção semelhante. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou a trazer para a mesa a possibilidade de mais um ajuste na Selic, tirando o sorriso do rosto de boa parte do mercado. 

Nesta sexta-feira (09), no entanto, essas questões ficaram em segundo plano, e os investidores correram atrás do prejuízo dos últimos dias. 

Em Nova York, nem mesmo as declarações de diversos dirigentes do Federal Reserve a favor de uma taxa de juros mais elevada impediram que as bolsas americanas encerrassem uma série de três semanas no vermelho. 

Enquanto isso, os investidores brasileiros aproveitaram os sinais de que a inflação começa a arrefecer no Brasil e na China para ir às compras. Impulsionado pela forte alta das commodities, o Ibovespa encerrou a sessão com ganhos de 2,17%, aos 112.300 pontos, um avanço de 1,30% na semana. 

Depois de alcançar as máximas de mais de 20 anos frente a uma cesta de moedas fortes, os últimos dias foram de depreciação para o dólar à vista. Hoje, a divisa teve queda de 1,13%, a R$ 5,1476 — o recuo foi de 0,72% nos últimos pregões. 

Enfim, deflação

O IBGE divulgou mais cedo o IPCA, que apontou uma deflação de 0,36% em agosto. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação voltou a ficar abaixo dos dois dígitos, com alta de 8,69%.

Para Igor Cavaca, head de gestão de investimentos da Warren, o indicador ainda apresenta comportamento pior do que o esperado em alguns componentes. "A queda do índice segue sofrendo impacto expressivo da queda de preço dos combustíveis. Se não fosse a gasolina, o IPCA teria sido positivo”. 

O número animou os investidores — que vinham de uma sequência de acenos mais duros no que diz respeito ao aumento de juros nos Estados Unidos e na Europa. Apesar de alguns analistas apontarem dificuldades no controle da inflação ao se observar o número em detalhes, o dia foi de recuo nos principais vencimentos dos contratos de DI. Confira:

CÓDIGONOMEULT FEC 
DI1F23DI jan/2313,73%13,74%
DI1F24DI jan/2412,94%13,00%
DI1F25DI Jan/2511,67%11,75%
DI1F26DI Jan/2611,38%11,46%
DI1F27DI Jan/2711,30%11,38%

Commodities ao resgate

Apesar de o IPCA ter melhorado as expectativas para a elevação dos preços, a sexta-feira foi de alta das principais commodities — o petróleo do tipo Brent, utilizado como referência global, avançou mais de 4%, enquanto o minério de ferro subiu mais de 3% durante a madrugada. 

O avanço não apagou a depreciação recente dos ativos, mas ajudou empresas como a Vale (VALE3) a puxarem os ganhos do dia. O avanço do petróleo, no entanto, foi insuficiente para evitar que os papéis da Petrobras (PETR4) repercutissem a desistência da venda do campo de Albacora — uma operação muito esperada pelo mercado. 

Sobe e desce do Ibovespa

Os sinais do governo chinês para a manutenção e a ampliação de estímulos fiscais e monetários para contornar a crise pós-covid serviram de incentivo para as empresas de mineração e siderurgia recuperarem parte das perdas recentes. Além disso, a deflação impulsionou os setores mais ligados à economia doméstica. Confira as maiores altas do Ibovespa na semana:

CÓDIGONOMEVALORVARSEM
VALE3Vale ONR$ 69,5010,46%
AZUL4Azul PNR$ 17,488,57%
NTCO3Natura ONR$ 16,138,40%
TIMS3Tim ONR$ 12,847,72%
GOLL4Gol PNR$ 10,767,71%

Apesar da forte alta do petróleo registrada nesta sexta-feira, o recuo da commodity no acumulado semanal pressionou a cotação dos papéis da Petrobras ao longo da semana. Além disso, as empresas de proteína animal tiveram desempenho fraco no período, repercutindo I) o recuo do dólar; II) notícias sobre um surto de gripe aviária nos Estados Unidos e; III) preocupações com a demanda vinda da China. Confira:

CÓDIGONOMEULTVARSEM
MRFG3Marfrig ONR$ 11,95-10,08%
BEEF3Minerva ONR$ 14,21-5,39%
PETR4Petrobras PNR$ 31,77-4,94%
PETR3Petrobras ONR$ 35,45-4,93%
BRKM5Braskem PNAR$ 31,02-4,58%

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies