⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-06T07:43:08-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior deixam crise energética de lado e investidores buscam barganhas hoje; Ibovespa reage às falas de Campos Neto

Às vésperas do feriado local, a bolsa brasileira deve acompanhar o exterior, que vive momentos tensos entre Europa e Rússia

6 de setembro de 2022
7:43
Crise energética mantém bolsas pressiondas apesar da alta do dia
Confira o que movimenta a bolsa, o dólar e o Ibovespa esta semana. Imagem: Freepik

A tensão global envolvendo a crise energética permanece no radar dos investidores e seguirá como uma grande sombra sobre os negócios. Mesmo assim, as bolsas internacionais tentam emplacar recuperação nesta terça-feira (06). 

A operadora russa de gás natural Gazprom informou que as operações do gasoduto Nord Stream 1 — que leva o produto para a Europa — não devem ser retomadas até que a Siemens Energy faça os reparos necessários. A Alemanha e boa parte do Velho Continente estão sem fornecimento de gás desde sexta-feira passada. 

Apesar disso, países como Alemanha e França ainda possuem estoques significativos, o que não deve afetar a economia no curto e médio prazo. Porém, vale lembrar que a Rússia e o Ocidente seguem com uma relação tensa devido às sanções da guerra na Ucrânia. A liberação ou o corte do fornecimento de gás está atrelado a essas disputas, segundo analistas internacionais. 

As bolsas da Ásia e Pacífico fecharam o pregão de hoje sem uma direção única. Diferentemente da Europa e dos futuros de Nova York, o noticiário local movimentou o dia dos investidores por lá. 

A China prometeu uma nova rodada de estímulos no terceiro trimestre para conter os impactos dos sucessivos surtos de covid-19 na região. Ao mesmo tempo, o Banco do Povo da China (PBoC, em inglês) reduziu os juros para depósitos em moeda estrangeira devido à fraqueza do yuan frente aos seus pares internacionais.

Enquanto isso, as bolsas da Europa registram altas mais tímidas e acompanham os desdobramentos da briga pelo gás natural. Os futuros de Nova York também tentam sustentar leve alta hoje. 

Na primeira sessão da semana, o Ibovespa fechou o dia em alta de 1,21%, aos 112.203 pontos. O dólar à vista caiu 0,59%, a R$ 5,1540.

Confira o que movimenta o dia das bolsas, do dólar e do Ibovespa hoje:

Bolsas acompanham o petróleo

Nem só de gás natural vive o mundo. Os investidores em bolsa ainda acompanham a nova dinâmica do petróleo após a Opep+ cortar a produção de barris para outubro, praticamente revertendo o aumento anunciado na reunião passada. 

Assim, o preço do petróleo Brent, utilizado como referência internacional, passou a operar com volatilidade pela manhã. Por volta das 7h, a commodity recuava para os US$ 93,13, uma queda de 2,73%. 

Vale ficar de olho nas ações das petroleiras nesta terça-feira.

Vai um serviço aí?

O exterior deve acompanhar hoje a leitura final dos índices de gerentes de compras (PMI, em inglês) dos Estados Unidos relativos ao setor de serviços. 

O PMI é um índice que varia de zero a 100; com a atividade analisada acima de 50, há expansão e, abaixo desse nível, retração.

Um Brasil para o Ibovespa acompanhar

Se o cenário externo não conta com maiores indicadores para o dia, o doméstico também segue fraco nesse campo. Isso, no entanto, não quer dizer monotonia para o investidor. Muito pelo contrário. 

Começando pelo que mexe diretamente com os negócios, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sinalizou que o Copom irá avaliar um “possível ajuste final” da Selic na próxima reunião do Comitê.

Os juros básicos seguem na casa dos 13,75% e o “ajuste final” poderia colocar a Selic na casa dos 14% na próxima reunião, de acordo com analistas do mercado. 

Nada a comemorar

Mas por que o tom mais agressivo (hawkish) contra a inflação sendo que o IPCA vem registrando quedas nas últimas leituras? 

Para Campos Neto, a batalha contra a alta de preços ainda não está ganha e “não é para comemorar”, apesar da melhora do índice. O chefe da autoridade monetária ainda afirmou que existe um efeito “residual” ainda não sentido nos preços e que é preciso cautela antes de aliviar o aperto monetário.

No campo eleitoral

Enquanto isso, o pleito presidencial de 2022 ocorre em paralelo à bolsa local. A mais recente pesquisa do Ipec (ex-Ibope) mostrou a manutenção dos 44% das intenções de voto no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a oscilação negativa do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), com 31%. 

Com isso, Lula vislumbra uma vitória no primeiro turno dentro da margem de erro da pesquisa de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 

Feriado nada parado

Por fim, manifestações políticas estão marcadas para o feriado da independência que acontece nesta quarta-feira (07). Os candidatos à presidência devem fazer uso eleitoral desse dia tenso. 

A começar pelo fechamento da Esplanada dos Ministérios pela Polícia Militar do Distrito Federal na noite da última segunda-feira, a inteligência das forças de segurança do DF teme o risco de protestos de radicais por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

De qualquer forma, os investidores devem manter um movimento defensivo antes do feriado. Vale ressaltar que amanhã, feriado de 7 de setembro, não haverá negociações na B3.

Bolsas hoje: agenda do dia

  • FGV: Indicador Antecedente de Emprego em agosto (8h)
  • França: OCDE divulga o CPI de julho do bloco (7h)
  • Estados Unidos: Leitura final do PMI de serviços em agosto, medido pela S&P Global (10h45)
  • Estados Unidos: Leitura final do PMI de serviços em agosto, medido pela ISM (10h45)
  • Estados Unidos: Leitura final do PMI de serviços em agosto, medido pela S&P Global/JP Morgan (10h45)

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEXTOU COM O RUY

A ação da 3R Petroleum (RRRP3) disparou mais de 20% em uma semana. E pode ser apenas o começo

7 de outubro de 2022 - 6:09

Apesar dos maiores riscos, o potencial de valorização das ações da 3R Petroleum (RRRP3) também é enorme com a expectativa de demanda forte pelo petróleo por mais algumas décadas

A FORÇA DO VENTO

Copel (CPLE6) desembolsa R$ 1,8 bilhão por complexos eólicos no Rio Grande do Norte; veja detalhes

6 de outubro de 2022 - 19:49

A companhia destaca que os dois complexos estão um região que é considerada como “uma das melhores do mundo para a geração de energia de fonte eólica”

ELEIÇÕES 2022

Lula cede espaço para Bolsonaro no Nordeste e perde 9 pontos, segundo pesquisa Genial/Quaest

6 de outubro de 2022 - 19:25

O petista ainda segue liderando as intenções de voto na região onde sempre foi líder absoluto nas pesquisas, mas avanço do rival é um movimento significativo

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa emplaca mais uma alta, a disparada da Mobly (MBLY3) e o Nobel de Literatura; confira os destaques do dia

6 de outubro de 2022 - 18:51

Ao longo desta semana, o Ibovespa e os principais índices de Wall Street estão seguindo caminhos distintos.  Enquanto na B3 a alta do petróleo e a repercussão positiva do primeiro turno das eleições seguem levando a bolsa a patamares cada vez mais próximos dos 120 mil pontos, Nova York continua de olho na inflação e […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa pega carona com o petróleo mais uma vez e vai na contramão de NY; dólar também avança

6 de outubro de 2022 - 18:35

Embora o dólar tenha acompanhado a tensão internacional, o Ibovespa voltou a ir na contramão de Nova York com a ajuda do petróleo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies