Menu
2020-03-18T14:09:04-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Pessimismo na bolsa

Circuit breaker é acionado pela sexta vez em março, igualando a marca da crise de 2008

Os investidores voltam a assumir uma postura negativa em relação ao surto de coronavírus. Como resultado, o Ibovespa desabou e acionou novamente o circuit breaker

18 de março de 2020
13:18 - atualizado às 14:09
Ibovespa mercados queda
Imagem: Shutterstock

O pessimismo voltou com tudo aos mercados globais nesta quarta-feira (18). O Ibovespa abriu em queda firme e rapidamente perdeu o nível dos 70 mil pontos. As perdas se aprofundaram ainda durante a manhã e, às 13h18, o índice bateu os 10,26% de baixa, acionando o circuit breaker.

É a sexta vez apenas em março que o botão do pânico da bolsa precisou ser acionado. Com a nova interrupção, a atual crise do coronavírus igualou uma marca pouco animadora: em 2008, em meio à quebra do Lehman Brothers e ao caos no sistema financeiro, o circuit breaker também foi acionado seis vezes.

Por mais que os governos tenham assumidos medidas mais enérgicas para conter o avanço do coronavírus e limitar os impactos econômicos da pandemia, notícias preocupantes no front das empresas começam a ecoar. Na Europa, as montadoras de automóveis já começam a indicar uma paralisação ao menos parcial de suas atividades na Europa.

Outro setor fortemente abalado é o de transporte aéreo, com as principais companhias do mundo mostrando grande preocupação quanto à sustentabilidade de suas operações no médio prazo caso o cenário de forte contração da demanda e restrições aéreas persista.

Assim, em meio aos sinais desanimadores, muitos já apostam que os pacotes de estímulo acionados pelos governos não será suficiente para proteger a economia mundial — o que eleva a aversão ao risco por parte dos investidores.

E, de fato, os principais bancos e casas de análise já estão trabalhando com um cenário de recessão econômica no Brasil e no mundo nos próximos trimestres.

O Credit Suisse, por exemplo, cortou sua projeção de crescimento do PIB do país para zero em 2020; o Morgan Stanley agora tem como cenário-base uma recessão global neste ano; e o UBS projeta recuo na economia brasileira no primeiro semestre.

No mundo todo, já são mais de 8,2 mil mortes e cerca de 203 mil pessoas contaminadas pelo vírus — no Brasil, há mais de 300 casos e ao menos uma morte confirmada por causa da doença.

Por aqui, a falta de sintonia entre o presidente Jair Bolsonaro e os demais poderes no combate à doença também causa desconforto entre os investidores. A percepção é a de que Bolsonaro está se isolando politicamente e perdendo apoio popular — ontem, foram realizados 'panelaços' contra o presidente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

atuação da gestora TreeCorp

Marca de acessórios para animais de estimação recebe aporte de R$ 100 milhões

Zee.Dog tem crescimento acelerado neste início de 2020, com mais consumidores de olho na compra online de produtos e serviços por conta da pandemia

esquenta dos mercados

Dados econômicos positivos não impedem que cautela reine em dia de Wall Street fechada

Os investidores europeus adotam uma postura mais cautelosa diante do crescimento do número de casos do coronavírus nos Estados Unidos.

após boicote

Anunciantes voltarão em breve, diz Zuckerberg

Segundo o site americano especializado em tecnologia The Information, o executivo teria dito que estava relutante a encarar o movimento e chegou a apostar que os anunciantes voltariam para a plataforma em breve

sobre desmatamentos

Pressionado, governo faz carta a investidores

Estadão apurou que os ministérios do Meio Ambiente, Agricultura, Defesa, Justiça e Itamaraty já se reuniram para levantar dados e, a partir dessas informações, consolidar uma carta de resposta

agenda

Marinho diz que reforma tributária é a mais importante no momento

Fala do ministro endossada pelo presidente Jair Bolsonaro, que disse ver no sistema tributário do País um dos maiores entraves a empreendedores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements