Menu
2020-03-18T10:51:52-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
revisão diante da crise

Economia brasileira vai encolher no primeiro semestre e PIB em 2020 será de 0,5%, diz UBS

Medidas de contenção da propagação do coronavírus impactará de maneira forte a economia; cenário projeto pela instituição suíça e outros bancos é de recessão global

18 de março de 2020
10:47 - atualizado às 10:51
pib 2020
Imagem: Shutterstock

A economia brasileira vai crescer apenas 0,5% em 2020, segundo o banço suíço UBS. A instituição financeira atualizou a projeção para o Produto Interno Bruno (PIB) diante dos impactos do novo coronavírus, prevendo retração no primeiro semestre.

Na semana passada, o UBS havia atualizado a estimativa para o PIB de 2,1% para 1,3%. A instituição disse que, no pior cenário, a economia brasileira cresceria 0,7%. Ontem, o Credit Suisse divulgou que espera uma estagnação da atividade neste ano.

Para o UBS, o coronavírus provavelmente levará a economia global a uma recessão. No Brasil, o banco prevê que o impacto total da crise será no segundo trimestre deste ano devido aos efeitos retardados da deterioração das condições financeiras.

Ainda de acordo com a instituição suíça, o baque no lado da oferta está apenas começando. Os analistas do banco destacam que em São Paulo a maioria das escolas e universidades estão fechando nesta semana, assim como os centros culturais e de atividades de lazer. A cidade decretou ontem estado de emergência.

No segundo trimestre, a projeção do banco é de retração de 4,4% em relação ao primeiro trimestre e de encolhimento de 16,5% na comparação anual.

A projeção do UBS ainda não é pior do que o desempenho da economia no quarto trimestre de 2008, durante a crise financeira global, em que o encolhimento do PIB foi de 14,8%.

No primeiro trimestre, os analistas da instituição dizem que a previsão inicial para o PIB era de 0,15% na comparação com o trimestre anterior e 0,6% anual. Agora a estimativa é de -0,1% e -0,4%, respectivamente.

Emergência nacional

Prevendo a urgência de gastos em saúde, o governo federal informou ontem que vai pedir ao Congresso Nacional que aprove o reconhecimento de estado de calamidade pública no país, com efeito até 31 de dezembro deste ano.

A medida, prevista no Artigo 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), dispensa a União do cumprimento da meta de resultado fiscal prevista para este ano, que é de déficit primário de R$ 124,1 bilhões.

"O cenário aumentará a demanda por gastos sociais e flexibilidade dos limite de gastos constitucionais, juntamente com flexibilização monetária adicional", diz o UBS.

O Brasil tem 290 casos confirmados de coronavírus e uma morte, segundo dados de terça-feira (17) do Ministério da Saúde. São Paulo tem 164 casos - maior número no país.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Quarentena

Trump estende distanciamento social por coronavírus nos EUA até 30 de abril

Na semana passada, o presidente dos EUA havia sugerido que poderia “reabrir” a economia americana na Páscoa

Situação excepcional

Ministro do STF Alexandre de Moraes atende governo e relaxa exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal

Ao Supremo, a União pedia a relativização das exigências da Lei, devido à situação excepcional do novo coronavírus no País, destacando que o direito à saúde da população deve prevalecer

Balanço

Covid-19: número de mortes por coronavírus no Brasil sobe para 136

Os casos confirmados da doença aumentaram de 3.904 para 4.256. Mantendo o padrão identificado ao longo da semana, 90% tinham mais de 60 anos

Enquanto uns choram, outros vendem lenços

Na contramão do restante da economia, setores essenciais aceleram contratações

Varejistas como supermercados e farmácias, além de hospitais, estão contratando mais diante da pandemia de coronavírus

'rolezinho do presidente'

‘Provocação’ e ‘irresponsabilidade’: parlamentares condenam passeio de Bolsonaro

Saída do presidente aconteceu um dia depois de o ministro da Saúde reforçar medidas de isolamento e pedir que ele não menosprezasse a gravidade da pandemia do novo coronavírus em suas manifestações públicas

Do contra

Bolsonaro cogita decreto que permita volta ao trabalho a todas as profissões

Presidente disse ainda que irá recorrer da decisão judicial que derrubou decreto que permitia funcionamento de lotéricas no Brasil

Mais crédito

BNDES anuncia linha de R$ 2 bi para setor de saúde e prepara medidas para aéreas e setor público

Banco de fomento também fez balanço de medidas anunciadas até agora e reafirmou que será operador de linha de R$ 40 bilhões para pagamento de salários.

Mais paradas

Latam suspende rotas internacionais adicionais até 30 de abril

Em nota, a empresa diz que o valor do bilhete de todos os passageiros com voos cancelados será automaticamente mantido como crédito para futuras viagens

Mais autonomia

Guedes pede estudo para direcionar mais recursos aos municípios que aos Estados para combate ao coronavírus

Em videoconferência promovida pela Confederação Nacional de Municípios, ministro da Economia defendeu maior liberdade para prefeitos disporem de recursos durante combate ao coronavírus

Prioridades

Reabertura do país será decisão de saúde, diz secretário do Tesouro americano

Steven Mnuchin reconhece o aumento do número de desempregados e o declínio do PIB, mas diz que principal objetivo do presidente Donald Trump é a saúde das pessoas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements