Menu
2020-06-30T13:34:37-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
revisão diante da crise

Economia brasileira vai encolher no primeiro semestre e PIB em 2020 será de 0,5%, diz UBS

Medidas de contenção da propagação do coronavírus impactará de maneira forte a economia; cenário projeto pela instituição suíça e outros bancos é de recessão global

18 de março de 2020
10:47 - atualizado às 13:34
pib 2020
Imagem: Shutterstock

A economia brasileira vai crescer apenas 0,5% em 2020, segundo o banço suíço UBS. A instituição financeira atualizou a projeção para o Produto Interno Bruno (PIB) diante dos impactos do novo coronavírus, prevendo retração no primeiro semestre.

Na semana passada, o UBS havia atualizado a estimativa para o PIB de 2,1% para 1,3%. A instituição disse que, no pior cenário, a economia brasileira cresceria 0,7%. Ontem, o Credit Suisse divulgou que espera uma estagnação da atividade neste ano.

Para o UBS, o coronavírus provavelmente levará a economia global a uma recessão. No Brasil, o banco prevê que o impacto total da crise será no segundo trimestre deste ano devido aos efeitos retardados da deterioração das condições financeiras.

Ainda de acordo com a instituição suíça, o baque no lado da oferta está apenas começando. Os analistas do banco destacam que em São Paulo a maioria das escolas e universidades estão fechando nesta semana, assim como os centros culturais e de atividades de lazer. A cidade decretou ontem estado de emergência.

No segundo trimestre, a projeção do banco é de retração de 4,4% em relação ao primeiro trimestre e de encolhimento de 16,5% na comparação anual.

A projeção do UBS ainda não é pior do que o desempenho da economia no quarto trimestre de 2008, durante a crise financeira global, em que o encolhimento do PIB foi de 14,8%.

No primeiro trimestre, os analistas da instituição dizem que a previsão inicial para o PIB era de 0,15% na comparação com o trimestre anterior e 0,6% anual. Agora a estimativa é de -0,1% e -0,4%, respectivamente.

Emergência nacional

Prevendo a urgência de gastos em saúde, o governo federal informou ontem que vai pedir ao Congresso Nacional que aprove o reconhecimento de estado de calamidade pública no país, com efeito até 31 de dezembro deste ano.

A medida, prevista no Artigo 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), dispensa a União do cumprimento da meta de resultado fiscal prevista para este ano, que é de déficit primário de R$ 124,1 bilhões.

"O cenário aumentará a demanda por gastos sociais e flexibilidade dos limite de gastos constitucionais, juntamente com flexibilização monetária adicional", diz o UBS.

O Brasil tem 290 casos confirmados de coronavírus e uma morte, segundo dados de terça-feira (17) do Ministério da Saúde. São Paulo tem 164 casos - maior número no país.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

privatizações

‘Paulo Guedes está desequilibrado’, diz Maia após acusação

Ministro falou que há boatos de que o deputado fez um acordo com a esquerda para não pautar as privatizações

dados da anbima

Em meio à queda do Ibovespa, fundos de ações captam R$ 4,6 bilhões de 1º a 25 de setembro

Fundos de renda fixa movimentaram 68% dos recursos, captando R$ 29,8 bilhões no período

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Das aulas de física para a bolsa

Um corpo pode ou não estar em movimento, dependendo do observador. Tudo na vida é uma questão de referência, já dizia o meu professor de Física do segundo grau. Confesso que não fui dos melhores alunos do professor Oswaldo. Mas as aulas duplas das segundas-feiras pela manhã me voltaram à memória depois do desempenho da […]

parceria estratégica

Banco do Brasil e UBS confirmam acordo para sociedade em banco de investimentos e corretora

Acordo foi anunciado pelas empresas em novembro do ano passado; parceria é válida para o segmento institucional no Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements