Menu
2020-01-21T17:14:05-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Tensão global

Ibovespa cai mais de 1% em meio à apreensão com vírus na China; dólar vai a R$ 4,20

O medo quanto a um surto de pneumonia provocado pela nova variação do coronavírus que surgiu na China aumenta a aversão ao risco nos mercados, derrubando o Ibovespa e levando o dólar à R$ 4,20

21 de janeiro de 2020
10:22 - atualizado às 17:14
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O clima é de cautela nos mercados globais nesta terça-feira (21). Mas, dessa vez, o que traz preocupação não é um desdobramento negativo da guerra comercial, um dado econômico ruim ou uma declaração torta de Donald Trump. O gatilho para a apreensão é a nova pneumonia que atinge a China.

A tensão aumentou após autoridades chinesas confirmarem que o novo tipo de coronavírus, que causa infeções respiratórias em seres humanos e animais, é transmissível entre seres humanos.

A situação gera ainda mais cautela porque, a partir de sexta-feira (24), a China entrará num longo período de recesso, em comemoração ao Ano Novo Lunar. Assim, é esperado um grande fluxo de turistas ao país, além de deslocamentos de chineses para outras regiões — o que eleva o medo em relação a um surto da doença.

Nesse cenário de incertezas, o Ibovespa operava em baixa de 1,14% por volta de 17h05, aos 117.521,18 pontos. Lá fora, o clima também é negativo: nos EUA, o Dow Jones (-0,44%), o S&P 500 (-0,14%) e o Nasdaq (-0,15%) caem em bloco.

Na Europa, as principais praças acionárias tiveram perdas firmes e, na Ásia, a sessão foi marcada por um comportamento negativo das bolsas mais relevantes.

E a apreensão aumentou ainda mais durante a tarde: autoridades sanitárias dos Estados Unidos irão confirmaram o primeiro caso da doença em território americano. Trata-se de um residente do estado de Washington que esteve recentemente na cidade de Wuhan, na China.

O mercado de câmbio também mostrou-se mais defensivo: o dólar à vista passou por altas e baixas, mas, com o noticiário vindo dos Estados Unidos, a moeda americana acentuou os ganhos e fechou em alta de 0,39%, a R$ 4,2050 — é o maior patamar desde 3 de dezembro.

No exterior, o dólar se valorizou em relação a quase todas as divisas de países estrangeiros, num movimento clássico de busca por proteção por parte dos investidores.

Enquanto isso, em Davos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursou na abertura do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. E, como era de se esperar, ele tratou das negociações comerciais com a China.

Entre outros pontos, o chefe da Casa Branca disse que as relações entre Washington e Pequim "nunca estiveram melhores", mas ressaltou que as tarifas de importação que já foram impostas continuarão valendo até que uma segunda fase do acerto seja fechada.

Já o ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, disse durante o evento que o grande inimigo do meio ambiente é a pobreza. "Destroem porque estão com fome", disse.

Juros em baixa

Assim como ontem, o mercado de juros descolou do movimento de pressão mais intensa visto no dólar e terminou em baixa. Os agentes financeiros aguardam os dados do IPCA-15, a serem conhecidos na sexta-feira, para ter uma ideia melhor do cenário da inflação no país.

Os indicadores inflacionários são importantes para calibrar as apostas num eventual novo corte da Selic pelo Banco Central. Veja abaixo como ficaram os principais DIs nesta terça-feira:

  • Janeiro/2021: de 4,42% para 4,39%;
  • Janeiro/2023: de 5,66% para 5,60%;
  • Janeiro/2025: de 6,39% para 6,34%;
  • Janeiro/2027: de 6,77% para 6,73%.

Cia Hering sofre

As ações ON da Cia Hering (HGTX3) despencam 11,41% e apresentam o pior desempenho do Ibovespa nesta manhã. Na noite passada, a empresa reportou uma receita bruta de R$ 502,9 milhões no quarto trimestre de 2019, cifra 5,2% menor na base anual.

Além disso, as vendas mesmas lojas (SSS) recuaram 4% na rede Hering, interrompendo uma sequência de sete trimestres com alta nesse dado — os números foram considerados fracos pelos analistas do BTG Pactual e do Credit Suisse.

Cautela com a China

O cenário de incertezas em relação à China e à possível disseminação do coronavírus afeta as ações de empresas que exportam ao país asiático, especialmente mineradoras e siderúrgicas.

Assim, o dia é negativo para Vale ON (VALE3), que cai 2,39%; CSN ON (CSNA3), em baixa de 2,05%; Gerdau PN (GGBR4), com perda de 2,16%; e Usiminas PNA (USIM5), com desvalorização de 1,85%.

Top 5

Confira abaixo as cinco ações de melhor desempenho do Ibovespa nesta terça-feira:

  • Raia Drogasil ON (RADL3): +5,45%
  • Braskem PNA (BRKM5): +4,62%
  • Tim ON (TIMP3): +2,95%
  • JBS ON (JBSS3): +2,08%
  • Havida ON (HAPV3): +1,65%

Veja também as maiores baixas do índice no momento:

  • Cia Hering ON (HGTX3): -11,41%
  • CVC ON (CVCB3): -4,15%
  • Santander Brasil units (SANB11): -4,07%
  • Gol PN (GOLL4): -3,73%
  • Banco do Brasil ON (BBAS3): -3,01%
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies