Menu
2019-11-12T10:33:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho na inovação

Startup de seguros brasileira recebe R$ 60 milhões de fundo americano investidor do Nubank

Chamada Pitzi, empresa tem 130 funcionários e acaba de receber aporte do fundo QED, que também investiu na QuintoAndar

12 de novembro de 2019
7:51 - atualizado às 10:33
pitzi
Startup Pitzi - Imagem: Divulgação/ instagram

A startup de seguros brasileira Pitzi anunciou na segunda-feira (11) que recebeu um investimento de R$ 60 milhões, liderado pelo fundo americano QED, investidor de empresas como Nubank e QuintoAndar, e também pelo WTI.

Com o novo aporte, a Pitzi se diz avaliada em R$ 400 milhões - este ano, a empresa, que vende seguros para celulares, atingiu a marca de 1 milhão de clientes.

O presidente executivo da startup, Daniel Hatkoff, afirmou ao Estadão que os novos recursos serão utilizados para sofisticar o serviço da Pitzi: "Vamos investir em logística para, ao mesmo tempo, acelerar a entrega dos celulares e reduzir o preço do nosso produto".

Além disso, a empresa pretende refinar o uso de algoritmos na sua operação. "O uso de dados nos ajuda a evitar fraudes. É um esforço importante inclusive para abrir mais espaço para um produto que oferecemos: o seguro de celulares usados", diz Hatkoff.

Os fundos Valiant Partners e Thrive Capital, que já eram investidores da Pitzi, também participaram da nova rodada. Até então, a startup tinha recebido três rodadas de aportes, somadas em R$ 70 milhões.

Estrutura

A Pitzi tem hoje 130 funcionários. Ela trabalha ao lado de seguradoras como Zurich, AXA, Mapfre, Sura e Generali, gerenciando seus programas de seguro de celular.

A startup utiliza tecnologia para cuidar desde o atendimento do cliente até a logística em torno do conserto e devolução do aparelho.

Segundo Hatkoff, a meta da startup é aumentar sua base de clientes: "Hoje, só 4% dos smartphones são protegidos no país. Queremos expandir o mercado e chegar a esse nível de penetração em um futuro próximo. Estamos só no começo".

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Socorro durante a pandemia

Caixa alerta para rombo no FGTS com ajuda a aéreas

Segundo o banco, texto atual da Medida Provisória de socorro ao setor aéreo impactaria o fundo em R$ 1,4 bilhão

Substituto do Bolsa Família

Renda Brasil terá R$ 51,7 bilhões e vai pagar benefício médio de R$ 232, prevê governo

Hoje, o Bolsa Família inclui 13,2 milhões de famílias, o que alcança 41 milhões de pessoas a um custo de cerca de R$ 32 bilhões ao ano

Mais lidas Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Os 10 anos bem vividos da Tesla na bolsa

Nos dez anos que separam a abertura de capital da Tesla na Nasdaq e o último dia 29 de junho, as ações da companhia subiram vertiginosos 4.125%, enquanto o principal índice da bolsa americana de tecnologia teve alta de “apenas” 345%. E a companhia do bilionário Elon Musk pôde comemorar o aniversário de uma década […]

Avião-problema

Fabricante de aviões trilha novo caminho: Boeing aposta no MAX

Mesmo começando a ficar otimista com relação ao futuro do Max, acredito que comprar ações da Boeing continua sendo mau negócio

ranking

Os títulos públicos mais rentáveis do 1º semestre; indicações do Seu Dinheiro estiveram entre eles

Em março, levantamos a bola para uma oportunidade aberta no Tesouro Direto com a alta dos juros no mês, e alguns dos títulos indicados ficaram entre os mais rentáveis do semestre. Confira a lista completa dos melhores e piores títulos públicos do ano até agora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements