Menu
2020-05-14T18:14:37-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Balanço fraco

Os números que fizeram as ações da SulAmérica despencarem na bolsa

Ações da seguradora lideraram as quedas do Ibovespa após apresentar lucro bem abaixo do esperado no primeiro trimestre. O que esperar daqui para frente?

14 de maio de 2020
13:03 - atualizado às 18:14
SulAmérica
Imagem: Divulgação

As ações da SulAmérica foram o principal destaque de queda entre as empresas do Ibovespa nesta quinta-feira (14), depois que a seguradora apresentou números bem ruins no balanço do primeiro trimestre deste ano.

A empresa registrou lucro líquido de R$ 79,8 milhões, o que representa uma redução de 64,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Para você ter uma ideia, a projeção média dos analistas apontava para um resultado de R$ 250 milhões no período.

Diante da frustração com os números, os recibos de ações (units) da SulAmérica (SULA11) fecharam em baixa de 6,91%, a R$ 37,87, e lideraram as quedas do Ibovespa — na mínima, chegaram a cair13,62%, a R$ 35,14. Leia também nossa cobertura completa de mercados hoje.

O que aconteceu?

O balanço da SulAmérica era bastante aguardado porque os resultados da companhia – que tem a maior parte da receita no negócio de seguro saúde –são influenciados diretamente pela pandemia do coronavírus.

A receita operacional da seguradora até que foi bem e aumentou 7,2% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, para R$ 5,6 bilhões.

O problema é que a sinistralidade aumentou nos três primeiros meses do ano e derrubou a margem da SulAmérica. No ramo de saúde e odonto, o índice subiu 3 pontos, para 82,5%, o pior para o trimestre desde 2015.

O resultado financeiro também ajudou a derrubar o lucro da companhia, com uma queda de 77,1% em consequência da desvalorização da parcela da carteira aplicada em ações no fatídico mês de março.

Impactos do coronavírus

O resultado sem dúvida foi ruim, mas qual a perspectiva para as ações da SulAmérica daqui para frente com o agravamento da pandemia do coronavírus no país?

No relatório que acompanhou o balanço, a SulAmérica informou que até o dia 13 de maio, 1.610 beneficiários foram internados com confirmação de covid-19, com 713 destes precisando de cuidados em UTI. “Desse total, 1.031 segurados já se recuperaram e receberam alta e registramos 91 óbitos.”

Para o BTG Pactual, a queda dos papéis da SulAmérica hoje representa uma oportunidade de compra. Em relatório, o banco apontou que as medidas de isolamento social devem resultar em uma melhora nos índices de custos com procedimentos médicos no balanço do segundo trimestre.

Os analistas também esperam que a conclusão da venda do negócio de seguro de automóveis para a alemã Allianz ajude a "destravar" valor da SulAmérica.

Já para o UBS, que tem recomendação neutra para as ações, a queda nos custos que a seguradora deve ter no curto prazo com a redução de outros procedimentos médicos durante a fase mais aguda da pandemia deve ser compensada após a fase de quarentena.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Private equity

Ações da gestora brasileira Pátria sobem 17% na estreia na Nasdaq após IPO de R$ 3,2 bilhões

A gestora brasileira estreou com um valor de mercado de mais de R$ 15 bilhões e mira mais crescimento, o que poderá envolver aquisições

Uma nova chance?

O que esperar da nova Lei de Falências, que entra em vigor hoje

A reforma na Lei de Falências deve facilitar a recuperação das empresas que ainda são viáveis e tornar mais célere e eficiente a liquidação daquelas que estão condenadas a desaparecer

Aposta na retomada

Goldman Sachs eleva o preço-alvo de ação de locadora de veículos e recomenda compra

Os analistas elevam o preço-alvo para as ações da Localiza (RENT3) de R$ 69,30 para R$ 73,20 e projetam lucro acima do consenso do mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies