Menu
2019-10-30T15:44:13-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Meu 1º objetivo

Solteiro, casal ou king size: qual deve ser o tamanho do colchão financeiro da sua reserva de emergência?

O colchão financeiro deve ser o primeiro objetivo financeiro de qualquer pessoa; mas quanto dinheiro deixar na reserva de emergência, afinal?

26 de outubro de 2019
6:00 - atualizado às 15:44
Dinheiro embaixo do colchão representa reserva de emergência
Reserva de emergência funciona como um colchão financeiro, que oferece segurança para acomodar imprevistos. Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Agora que investimento virou tema de conversa de bar e almoço de família, quem tem condição de guardar algum dinheiro já está mais ou menos familiarizado com a expressão "reserva de emergência".

Mas a verdade é que esse assunto é pouco sexy diante da concorrência de tópicos como bolsa de valores e criptomoedas.

As pessoas parecem mais interessadas em saber quais ações podem decolar diante da perspectiva de crescimento da economia brasileira ou em como investir em bitcoin do que em começar do começo: ter um colchão financeiro aplicado em investimentos bem tranquilinhos para situações de emergência.

A verdade é que, mesmo no mundo dos investimentos, se começa de baixo. Não dá para começar a investir se você tem dívidas de juros altos, como a do cartão de crédito; também não dá para começar a comprar em ações, debêntures e cripto se você não tem o básico: uma reserva de emergência.

Seu primeiro objetivo financeiro

Então antes de alçar voos maiores, é essencial fazer o dever de casa: juntar uma boa reserva financeira, nem que isso leve certo tempo, e mantê-la aplicada em investimentos conservadores, mesmo que eles não rendam muito.

É o famoso “dinheiro em caixa”. Assim, quando falamos de caixa, estamos falando justamente da reserva de emergência, e não de dinheiro parado na conta-corrente.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Somente depois de completar a sua reserva de emergência é que os recursos que você conseguir poupar devem ser destinados à chamada diversificação.

Em outras palavras, só o que você juntar além da reserva de emergência deve ir para investimentos com mais risco e com a capacidade de render acima da renda fixa tradicional, como ativos de crédito privado, renda variável, fundos multimercados e até criptomoedas.

A importância da reserva de emergência

Antes de mais nada, quero que fiquem bem claros os objetivos e a importância da reserva de emergência.

Ela se destina a situações como a manutenção do padrão de vida no caso da perda de um emprego; problemas de saúde graves na família; urgências domésticas, como a necessidade de fazer um conserto ou obra emergencial em casa ou no carro, e assim por diante.

Se você precisar mexer na sua reserva de emergência, deve começar a repor esses recursos assim que puder voltar a poupar.

Mas afinal, quanto deixar aplicado na reserva de emergência?

Especialistas recomendam que a reserva de emergência seja suficiente para cobrir os seus gastos por, no mínimo, três meses, mas eu acho esse prazo muito curto.

Eu recomendaria pelo menos um ano, uma vez que, no caso de desemprego, a recolocação no mercado de trabalho pode demorar.

Certa vez eu conversei com uma planejadora financeira que atende famílias com grandes fortunas, e ela foi ainda mais conservadora.

Para ela, quem ainda está construindo patrimônio deve manter o equivalente a três anos de despesas na reserva de emergência.

Já aquelas famílias que já têm um grande patrimônio devem reservar o equivalente a pelo menos cinco anos de despesas, uma vez que esse é o prazo médio dos ciclos econômicos e das crises.

Os recursos da reserva de emergência devem ficar aplicados em investimentos de baixo risco de crédito e alta liquidez, isto é, aplicações seguras e que possam ser resgatadas a qualquer momento.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Ter um emprego versus empreender

Veja como avaliar se é melhor ter um próprio negócio, ser autônomo ou arrumar um emprego.

EMPREGOS

Para gerar 1 milhão de empregos, economia tem de crescer 3%, diz secretário

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, evitou nesta sexta-feira, 24, fazer uma previsão oficial para a geração de empregos com carteira assinada em 2020, mas disse acreditar em até 1 milhão de novos postos de trabalho neste ano, caso o Produto Interno Bruto (PIB) tenha uma alta próxima de 3% até […]

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que será que será da Selic?

A taxa básica de juros (Selic) vai continuar em queda? Quando fiz essa pergunta recentemente a um gestor de fundos, ele me devolveu com outra pergunta: – Você quer que eu responda o que o Banco Central deveria fazer ou o que ele vai fazer? Pode parecer uma diferença sutil, mas o mercado encontra-se atualmente […]

Dólar teve alta

Tensão com o coronavírus freia os mercados e faz o Ibovespa ficar no zero a zero na semana

O coronavírus trouxe cautela aos mercados, mas não desencadeou uma onda de pessimismo. Como resultado, o Ibovespa ficou praticamente zerado na semana — a nova doença neutralizou o otimismo estrutural visto na bolsa nos últimos dias

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: Já pensou em conquistar sua independência financeira?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

de olho na inflação

BC está confortável com inflação após choque de proteína, diz Campos Neto

“Há um gap de política monetária que a gente tenta comunicar. É importante, porque parte do que foi feito não está totalmente dissipado”, afirmou em seguida

MAIS ESCLARECIMENTOS

BNDES atual pôs R$ 15 milhões a mais em auditoria

O reajuste de 25% aconteceu por meio de um aditivo contratual, publicado no dia 25 de outubro de 2019, e aumentou de US$ 14 milhões para US$ 17,5 milhões o contrato da Cleary Gottlieb Steen & Hamilton, escritório contratado para realizar os serviços de auditoria

CONFIRMADA

Oi confirma venda de participação na angolana Unitel por R$ 1 bilhão

O montante corresponde a venda de 25% da participação que detém na angolana e engloba também os dividendos que a Oi tem o direito de receber, mas que estavam retidos até então

negativas

Bolsonaro nega a ideia de ‘imposto do pecado’

Presidente também descartou a chance de desmembrar o Ministério da Justiça e Segurança Pública em duas pastas

Na bolsa

Itaú reduz participação na Qualicorp para menos de 5%

O banco passou a deter 4,95% do capital da administradora de planos de saúde coletivos após a venda das ações, que acumulam alta de mais de 200% em 12 meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements