Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-08T15:09:18-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Pelo "conforto" da Previdência

Maia entra no coro dos parlamentares que pedem mudanças na aposentadoria de militares

Presidente da Câmara afirma que a chegada do projeto fará com que a PEC da reforma da Previdência geral seja avaliada “com mais conforto”

8 de março de 2019
15:08 - atualizado às 15:09
RodrigoMaiaPlenario
Maia disse que acredita que 12 das 25 comissões permanentes da Câmara devem ser instaladas na semana que vemImagem: J.Batista/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), resolveu apoiar o time dos parlamentares que cobram do governo o envio do projeto de lei que irá tratar da reforma da Previdência dos militares. Para ele, a chegada do projeto à Câmara fará com que a PEC da reforma da Previdência geral seja avaliada "com mais conforto". "Um pedido dos principais partidos que é que os dois tramitem de forma conjunta", disse.

Em relação às alterações que estão sendo pedidas por parlamentares e até ministros para a proposta do Benefício de Prestação Continuada (BPC), Maia afirmou que "tudo o que gera dificuldade na comunicação é melhor não ser tratado".

Para ele, este ponto que trata sobre benefícios assistenciais a idosos de baixa renda é "razoável", mas que não está sendo esse o entendimento da sociedade e dos partidos. "Essa falta de compreensão está gerando uma oportunidade daqueles que vão ser de fato atingidos pela reforma de usar o BPC como pano principal para dizer que a reforma prejudica a população mais pobre, o que não é verdade", disse.

"Temos que ter cuidado para não incluir algo que é nulo do ponto fiscal e, do ponto de vista político, pode ser mortal para a reforma", concluiu.

Nesta sexta-feira, Maia disse que acredita que 12 das 25 comissões permanentes da Casa devem ser instaladas na semana que vem. A partir de segunda-feira, 11, os partidos começam a indicar os presidentes de seus respectivos colegiados, segundo Maia. "Espero que na quarta-feira a gente consiga instalar pelo menos a Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) e as principais comissões da Casa", disse.

Vale lembrar que a instalação da CCJ é importante para a tramitação da PEC da reforma da Previdência. Antes de ir  passar por outras comissões e ir ao plenário, a proposta precisa ter o aval da CCJ, que irá verificar se a PEC respeita os princípios constitucionais.

Já em relação à Comissão de Tributação e Finança (CFT), Maia disse que ainda não há uma definição, mas que a tendência é que fique com o MDB.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

próximos anos

Eletrobras aprova em conselho plano de negócios com desinvestimentos de R$ 41 milhões

Entre as medidas previstas está a avaliação de oportunidades para efetuar a gestão dos passivos provenientes de dívidas do Sistema Eletrobras

temporada de resultados

Lucro da Alpargatas, dona da marca Havaianas, cresce 228,7%, R$ 111 milhões

Receita líquida da companhia saltou 71,4% sobre igual intervalo de 2020, para R$ 1,095 bilhão, ao mesmo tempo em que os volumes registraram crescimento de 57%

seu dinheiro na sua noite

As corridas da bolsa e do dólar — e a frustração dos investidores na linha de chegada de julho

Nove em cada dez operadores do mercado financeiro juram, de pés juntos, que o último pregão do mês costuma ser positivo. Ora essas, é a data limite para o fechamento das lâminas de desempenho mensal dos fundos e das carteiras de investimento — e é claro que todo mundo quer estampar o melhor resultado possível. […]

decisão temporária

CVM suspende oferta de recebíveis que financiaria cooperativas do MST

Decisão da autarquia vale por 30 dias; CVM diz que a oferta não apresenta informações consideradas essenciais para os investidores

FECHAMENTO DA SEMANA

Ameaça ao teto de gastos e derretimento do minério de ferro afundam o Ibovespa em mais de 3%; dólar vai a R$ 5,20

Com a pressão das ameaças político-fiscais e a queda brusca do minério de erro, a bolsa brasileira amargou uma queda de mais de 3%. Já o dólar voltou a ser negociado na casa dos R$ 5,20

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies