Menu
2019-03-13T16:55:12-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Durante posse de Campos Neto no BC

Guedes: “tenho visto um extraordinário sentido de cooperação com a reforma”

Ministro da Economia afirmou que tal cooperação vem do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e do presidente do STF, Dias Toffoli

13 de março de 2019
16:55
Paulo Guedes
Guedes diz que a atual geração tem de ter coragem de pagar o custo para não abandonar as gerações futuras - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que tem visto um extraordinário sentido de cooperação em torno da reforma da Previdência. “Estou muito convencido que vamos fazer o que temos de fazer”, disse durante a transmissão de cargo de presidente do Banco Central (BC), para Roberto Campos Neto.

A cooperação com relação à reforma, segundo Guedes, vem do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal (STF), via ministro Dias Toffoli.

Guedes também disse que seu time sabe que entrou para fazer um trabalho que será feito e que o time não vai recuar. “Quem decide é o Congresso e o presidente, mas vamos fazer a nossa parte”, disse.

Segundo o ministro, a necessidade de R$ 1 trilhão em economia com a reforma decorre do plano de lançar o regime de capitalização para as gerações futuras. “Vai ser fácil lançar a capitalização se tiver potencial fiscal, por isso precisamos de um trilhão”, disse.

O ministro disse que em conversa com quem se diz contrário à reforma, diz que “você não derrota a equipe econômica, vocês derrotam seus filhos e netos”, e foi aplaudido.

Segundo Guedes, a atual geração tem de ter coragem de pagar o custo de trilhão para não abandonar as gerações futuras.

O ministro também reafirmou o plano de zerar o déficit primário neste ano. Segundo ele, se conseguir entregar um déficit na metade do projetado já está bom, mas sua equipe vai tentar.

Sobre a venda de estatais, Guedes disse que as últimas contas mostram valor de R$ 1,250 trilhão. E com a venda desses ativos a equipe vai tentar reduzir a dívida interna.

Guedes arrancou risos da plateia ao falar que abrir a economia com juro alto e 50 impostos diferentes “é condenar o brasileiro a virar churrasquinho de chinês”, por isso a abertura gradual.

“Pode demorar, doer um pouco, mas vamos fazer a coisa certa, que é relativamente simples. O Brasil todo não está doente é o setor público que está doente por excesso de gastos”, disse.

Guedes também defender a descentralização de recursos e disse que foi a classe política que empurrou a PEC do Pacto Federativo, pois todos estão quebrados e já passou da hora de descentralizar as receitas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

seu dinheiro na sua noite

Onde está o Guedes?

Paulo Guedes esteve presente ontem no anúncio do programa Renda Cidadã pelo governo, ao lado de Jair Bolsonaro e lideranças do Congresso. Mas os investidores no mercado financeiro não reconheceram no ministro a figura que prometeu implementar uma agenda de medidas liberais na economia, incluindo privatizações e reformas. A desconfiança sobre como a equipe econômica encaixaria […]

ajuste fiscal

Propostas para o Renda Cidadã não têm intenção de driblar teto, diz secretário do Tesouro

“A gente sabe que o teto é baseado em credibilidade e não adianta tomarmos ações que minem a credibilidade do teto”, disse Bruno Funchal

Mercado agora

Ibovespa fecha em queda com descrença sobre possível recuo de ‘pedalada’

No exterior, expectativa em torno do primeiro debate entre os principais candidatos à presidência dos EUA inibiu apetite por risco

Fiador sem crédito

Investidores veem omissão de Guedes no Renda Cidadã e mostram cansaço com “Posto Ipiranga”

Agentes do mercado financeiro questionam voto de confiança no ministro da Economia como fiador da disciplina fiscal

recadinho

Relevância do cumprimento do teto no pós-crise será ainda maior, diz Tesouro

Tesouro Nacional reforçou o alerta de que é preciso acelerar as reformas para manter a confiança dos investidores e os juros baixos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements