Menu
2019-07-01T13:07:25-03:00
Estadão Conteúdo
em comunicado

BC da Argentina decide cortar taxa básica de juros a 58%

BC do país afirma que, em junho, foi cumprido pelo nono mês consecutivo a meta de base monetária. A média da base monetária foi de US$ 1,341 bilhão

1 de julho de 2019
13:00 - atualizado às 13:07
shutterstock_613679384 (1)
Banco Central da Argentina - Imagem: shutterstock

O Banco Central da Argentina (BCRA) decidiu nesta segunda-feira cortar a taxa básica de juros de 62,5%, patamar em que estava na sexta-feira, para 58%. Em comunicado, a entidade diz que, durante o mês de julho, 58% será a taxa mínima para a taxa de juros das Letras de Liquidez (LELIQ).

O BC afirma que, em junho, foi cumprido pelo nono mês consecutivo a meta de base monetária. A média da base monetária foi de US$ 1,341 bilhão, levemente abaixo da meta de US$ 1,343 bilhão. Para melhor administrar as condições de liquidez e contribuir para fortalecer a transmissão da taxa de juros das LELIQ, o BCRA decidiu reduzir em 3 pontos porcentuais a exigência de efetivo mínimo sobre depósitos a prazo fixo. Além disso, diz que entre agosto e outubro a base monetária será reduzida até compensar totalmente o efeito monetário.

Em seu comunicado, o BC afirma que a decisão sobre a taxa mínima da LELIQ é tomada para garantir que as mudanças anunciadas não impliquem um relaxamento das condições monetárias. O BC diz que absorverá a liquidez necessária para evitar que a taxa de juros de referência fique abaixo de 58%. "Esta redução na taxa mínima está em linha com a redução na taxa de inflação que vem se registrando nos últimos meses e que, de acordo com o Levantamento de Expectativas de Mercado, espera-se que continua em julho."

O BC ainda reafirmou sua decisão de manter os limites mínimos da zona de referência cambial em 39,755 e 51,448 pesos argentinos por dólar até 31 de dezembro. "A política de intervenção cambial anunciada em abril para o período entre abril e junho se estende para o mês de julho", diz a nota.

As decisões foram tomadas de modo unânime pelos dirigentes, diz o comunicado da instituição comandada por Guido Sandleris.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PESSIMISMO

Risco fiscal impede Brasil de aproveitar bom momento dos mercados globais

Rogério Xavier, da SPX Capital, e Carlos Woelz, da Kapitalo Investimentos, criticam duramente falta de interesse em controlar contas públicas

Substituição barrada

Investidores de debêntures da Rodovias do Tietê rejeitam venda da empresa para Latache

Venda para fundo foi rejeitada pelos debenturistas da concessionária, que possui pelo menos R$ 1,5 bilhão em dívidas, a maior parte na mão de pequenos investidores

Termômetro da crise

Pedidos de auxílio-desemprego sobem 30 mil na semana nos EUA, a 778 mil

O total de pedidos da semana anterior foi ligeiramente revisado para cima, de 742 mil para 748 mil.

Número se manteve

PIB dos EUA sobe à taxa anualizada de 33,1% na 2ª leitura do 3º tri

A próxima leitura do BEA sobre o PIB americano será divulgada em 22 de dezembro, às 10h30 (de Brasília).

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies