Menu
2020-08-04T11:38:36-03:00
Estadão Conteúdo
alívio para o vizinho

Argentina fecha acordo com credores para reestruturação da dívida

Governo “ajustará algumas das datas de pagamento” dos novos bônus estabelecidas na oferta de troca anunciada em 6 de julho

4 de agosto de 2020
11:38
Alberto Fernández, presidente da Argentina
Alberto Fernández, presidente da Argentina - Imagem: Shutterstock

A Argentina e seus três principais grupos de credores privados chegaram a um acordo para a reestruturação de dívida que garantirá um "alívio significativo" ao país, segundo comunicado divulgado pelo Ministério de Economia na madrugada desta terça-feira, 4.

Pelo acordo, que envolve o Grupo Ad Hoc de Bonistas Argentinos, o Comitê de Credores da Argentina e o Grupo de Bonistas del Canje e outros detentores de dívida, o governo "ajustará algumas das datas de pagamento" dos novos bônus estabelecidas na oferta de troca anunciada em 6 de julho.

Para que o acordo se efetue e os detentores de bônus formalizem sua adesão, a Argentina estendeu a data de sua oferta de troca até 24 de agosto, na tentativa de reestruturar dívida no valor de cerca de US$ 66,2 bilhões.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

EUA X China

Trump X TikTok: empresa chinesa tenta impedir proibição de downloads

Decisão judicial pode barrar restrição, que passaria a valer a partir de meia-noite deste domingo nos Estados Unidos.

A 38 dias da eleição

Trump anuncia nomeação de Barrett para a Suprema Corte

Nomeação ainda precisa ser confirmada pelo Senado, que hoje tem maioria Republicana.

Últimos ajustes

Guedes se reúne com líder do governo na Câmara para discutir Reforma Tributária

Segundo o deputado Ricardo Barros, na segunda-feira a proposta já estará fechada para uma rodada de discussão com os líderes da base governista no Congresso.

Em 2020

Pandemia tira R$ 12 bilhões em investimentos

Investimentos públicos em infraestrutura deverão ser 10% menores em relação ao estimado antes da pandemia de covid-19.

Entrevista

“A crise econômica será severa e prolongada”, diz de Bolle

Em novo livro, economista defende que é preciso romper com padrões estabelecidos de estratégia econômica – como o teto de gastos – para responder aos desafios trazidos pelo novo coronavírus.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements